Image

JAC iEV330P: primeira picape elétrica do mundo chega ao Brasil para pegar no batente

20

set
2020

Enquanto os Estados Unidos, maior mercado de picapes do mundo, terão de aguardar pelo menos até o ano que vem para ter os primeiros modelos elétricos das marcas Ford, Rivian e Tesla, no Brasil já é possível comprar por R$ 289.900 primeira picape movida a bateria de produção em série.

A JAC iEV330P já é vendida na China e estreia no mercado brasileiro em outubro, mas já pode ser encomendada. A fabricante chinesa admite que a picape está longe de ser barata, justificando que a sua venda é voltada a empresas e frotas.

Porém, qualquer pessoa interessada pode comprar a iEV330P, mas a JAC Motors entende que a picape não atenderia o consumidor comum com a mesma eficiência dos modelos movidos a diesel, por exemplo.

Segundo Sergio Habib, presidente da JAC Motors do Brasil, “a iEV330P atende muito bem o uso profissional no dia a dia, mas a sua autonomia é limitada para o uso recreativo. O cliente que utiliza picapes a diesel para o lazer ou viajar roda distâncias muito superiores a 320 quilômetros – sem contar que ele poderia ter dificuldades para recarregar a bateria em locais mais afastados”.

Habib explica que o desenvolvimento de uma picape elétrica com autonomia para viajar longas distâncias demandaria diversas mudanças no projeto e, consequentemente, elevaria consideravelmente o preço final do veículo.

“A engenharia teria de criar um chassi para instalar baterias de maior capacidade, e a estrutura reforçada exigiria dois motores mais potentes (um dianteiro e outro traseiro) para empurrar todo esse peso. Nesse caso, podemos falar em uma picape que chegaria custando por volta de R$ 600 mil”.

Feita para o trabalho, a iEV330P sofreu algumas mudanças em relação ao modelo vendido no mercado chinês para atender aos pedidos de clientes brasileiros ouvidos pela JAC. A principal delas é a caçamba cerca de 30 centímetros maior que a das demais picapes de cabine dupla. Medindo 1,80 m de comprimento, o compartimento permite acomodar objetos maiores no uso comercial.

Apesar de mais comprida, a caçamba tem laterais um tanto baixas, que podem ser empecilho na hora de apoiar cargas mais altas – além de destoar do visual da picape. Diferentemente da maioria dos veículos elétricos, a iEV330P deixa de lado o desenho futurista para manter um estilo conservador, que não combina muito com a tecnologia escondida sob a longa carroceria de 5,61 metros de comprimento.

Caçamba de 1,80 m é a mais comprida entre as picapes de cabine dupla à venda no Brasil

O interior também segue um desenho mais tradicional. Mesmo com o visual de picape da década passada, a cabine tem acabamento mais que satisfatório para um veículo que será utilizado para trabalhar. As peças são bem alinhadas, com direito a material macio ao toque sobre o painel e plásticos imitando metal escovado no console central. Os bancos revestidos de tecido marrom de boa qualidade dão uma aparência mais sofisticada.

A iEV330P tem uma lista de equipamentos mais básica, se comparada às versões topo de linha das picapes médias movidas a combustão, cada vez mais carregadas de assistências de condução e itens de segurança. No entanto, a elétrica possui um pacote trivial, com direção eletro-hidráulica, ar-condicionado, central multimídia, acionamento elétrico dos vidros, travas e retrovisores, faróis com iluminação diurna em LED, rodas de liga leve de 18 polegadas, além dos obrigatórios airbags frontais e freios com ABS.

Antes de ligar a picape, o condutor encontra facilmente a posição ideal de dirigir graças à boa amplitude de regulagem do banco. No entanto, a falta de ajuste de distância do volante obriga os motoristas mais altos a dirigirem a iEV330P com os braços esticados.

No contato inicial após dar a partida no motor elétrico, a maior estranheza são o silêncio e a falta de vibração dos propulsores a diesel. A luz espia com a inscrição “Ready” acesa no painel indica que a iEV330P já pode seguir em frente, mas antes de acelerar, é preciso colocar em Drive a alavanca tipo joystick, parecida com a utilizada nos carros da BMW, localizada no console.

Acabamento interno não é luxuoso, mas é bastante correto e sem falhas de montagem

A picape não utiliza os 33,6 kgfm de torque instantâneo do motor elétrico de 150 cv de potência para arrancar com o vigor típico dos carros movidos a eletricidade – afinal, são 2.200 kg (364 kg só de baterias) para tirar da inércia. A iEV330P gerencia essa força às rodas traseiras para executar as tarefas de um veículo de carga, capaz de carregar até 800 kg.

No teste, realizado com um protótipo em um condomínio fechado na Grande São Paulo, notamos que a picape atende bem a sua proposta de rodar em centros urbanos ou dentro de grandes empresas sem um grama de emitir poluente. A iEV330P mostrou boa disposição em algumas subidas, sem exigir acelerações mais fortes. Entretanto, não foi possível avaliar a picape com alguma carga na caçamba.

De acordo com a JAC Motors, a velocidade máxima da iEV330P é limitada a 97 km/h para poupar a carga da bateria de 67 kWh.

O comportamento dinâmico da iEV330P não foge muito do que as demais picapes médias proporcionam. O rodar até que é macio nos trechos de asfalto bem cuidado, mas o conforto dos ocupantes fica um pouco comprometido quando a traseira começa a quicar com a caçamba vazia ao passar sobre pisos mais castigados.

A picape elétrica possui dois modos de recarga. O primeiro, que leva até 8 horas, permite conectar a iEV330P a uma tomada comum de 220 volts por meio de um cabo conectado ao motor. O mais rápido reabastece a bateria na metade do tempo, mas exige o uso de um carregador (que será vendido separadamente) ligado a um plugue na lateral esquerda da caçamba.

Motor elétrico entrega 150 cv de potência e 33,6 kgfm de torque imediato

A JAC Motors diz que rodar com a iEV330P custa cerca de R$ 11 a cada 100 quilômetros (20 kWh). É praticamente um quarto do que uma picape convencional gastaria para percorrer a mesma distância, considerando um consumo médio de 10 km/l com o litro do diesel custando R$ 4.

Além disso, a marca enfatiza que os custos de manutenção são consideravelmente mais baratos pelo fato de a iEV330P não possuir componentes de veículos a combustão, como correias, filtros, radiador, velas e transmissão. A marca que o custo operacional pode ser até seis vezes mais baixo.

Ainda é muito cedo para fazer algum comparativo com a JAC iEV330P, pois é a única picape elétrica vendida oficialmente no mercado brasileiro. Embora o preço não seja dos mais convidativos, a iEV330P deixou boa impressão, considerando uma operação diária que possa ser atendida com uma autonomia de pouco mais de 300 quilômetros.

Teste-drive a convite da JAC Motors
Fotos: Guilherme Silva

Ficha técnica
 
CarroceriaEm aço, quatro portas, cinco lugares, montada sobre chassi de longarinas de aço
MotorElétrico, movido por bateria de fosfato de ferro-lítio
Potência110 kW (150 cv)
Torque33,7 kgfm
Capacidade da bateria67,2 kWh
TraçãoTraseira
DireçãoEletro-hidráulica
Suspensão dianteiraIndependente duplo A
Suspensão traseiraEixo rígido com feixe de molas semielípticas
Pneus e rodas265/60 R18, liga leve 18"
Freios dianteirosDiscos ventilados com ABS e EBD
Freios traseirosTambores com ABS e EBD
Volume da caçamba1.500 litros
Altura1,83 m
Comprimento5,61 m
Largura1,88 m (sem espelhos)
Entre-eixos 3,38 m
Peso em ordem de marcha2.200 kg
Carga útil800 kg
Aceleração 0 a 50 km/h (dado de fábrica)5,1 segundos
Velocidade máxima (dado de fábrica)97 km/h

Sobre o autor

Editor. Começou a trabalhar no Carsale em 2012, mas gosta e acompanha o universo automotivo desde que se conhece por gente. Prefere carros compactos e práticos, mas se diverte da mesma forma quando avalia um utilitário no fora-de-estrada ou acelera um superesportivo num autódromo.