Image

Volkswagen Polo Track: versão básica substituirá Up, Gol e Fox de uma só vez

14

set
2020

A Volkswagen entrou em acordo com os sindicatos de suas quatro fábricas no Brasil, em São Bernardo do Campo (SP), São Carlos (SP), São José dos Pinhais (PR) e Taubaté (SP), para viabilizar investimentos paralisados durante a pandemia do novo coronavírus.

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté (Sindmetau), após quatro semanas de negociação, foi firmado um acordo com a empresa para e produzir três novos modelos na fábrica no interior paulista e garantir empregos nos próximos cinco anos.

“Saímos de uma situação de risco de demissão em massa para um cenário de garantia de emprego até 2025. Além disso, conseguimos descongelar os investimentos para Taubaté. É um acordo que garante tranquilidade aos trabalhadores em um momento extremamente delicado da economia”, explica Claudio Batista da Silva Junior, presidente do Sindmetau.

O plano de reestruturação prevê a implantação da estrutura modular MQB em Taubaté para compartilhar a produção do Polo com São Bernardo do Campo. Atualmente, a unidade produz os modelos Up, Gol e Voyage, construídos a partir de plataformas mais antigas.

Outro ponto do acordo é a exclusividade na produção do Polo Track em Taubaté. Segundo a apuração do jornalista Leonardo Felix, da Mobiauto, a inédita versão será  apresentada no ano que vem como a principal novidade da linha 2022 do hatch, que deverá ganhar equipamentos e sofrer uma reestilização.

O Polo Track será uma versão mais básica em equipamentos, criada para ser o novo carro de entrada da Volks. Equipado com o motor 1.0 aspirado de três cilindros e câmbio manual de cinco marchas, além de manter o desenho atual, ele substituirá de uma só vez os veteranos Up, Gol e Fox.

Esses três modelos serão descontinuados em 2022, assim que entrar em vigor a lei que obriga a instalação de controles de estabilidade e tração nos carros e comerciais leves zero quilômetro comercializados no Brasil.

Com a aposentadoria de Up e Fox decretada para daqui dois anos, o destino do Gol segue incerto. A Volkswagen ainda não definiu se levará adiante o projeto A0 CUV, um compacto com visual de crossover e suspensão elevada feito a partir de uma versão encurtada da plataforma MQB.

Existe a possibilidade de o projeto A0 CUV ser lançado como nova geração do Gol, incluindo uma variante sedã para ocupar o lugar do Voyage – ambos exclusivos de Taubaté. O recém-lançado Nivus é outro modelo cogitado a ter a produção compartilhada entre São Bernardo do Campo e a fábrica no interior.

Entretanto, São Bernardo do Campo teria a prioridade para produzir a nova geração da Saveiro, enquanto São José dos Pinhais seria responsável pela produção da picape Tarok, rival da Fiat Toro.

O acordo da Volkswagen com os sindicatos das quatro fábricas foi negociado de acordo com as condições de cada unidade, mas com bases parecidas.

As negociações incluem um plano de demissão voluntária (PDV) com adição de até 20 salários à tabela base, extensão dos regimes de layoff (suspensão dos contratos ou redução do período normal de trabalho), extensão da redução de jornada com pagamento parcial de salários e 13º, reajustes salariais apenas pela inflação e plano de participação em resultados (PPR) sem ganho real se a produção no país não superar o mínimo de 580 mil veículos por ano, com reajustes seguindo somente a inflação. Já os trabalhadores teriam estabilidade de emprego garantida até 2025.

Projeções: Kleber Silva

Sobre o autor

Editor. Começou a trabalhar no Carsale em 2012, mas gosta e acompanha o universo automotivo desde que se conhece por gente. Prefere carros compactos e práticos, mas se diverte da mesma forma quando avalia um utilitário no fora-de-estrada ou acelera um superesportivo num autódromo.