Image

Sucesso de vendas, Fiat Strada Volcano só ficou devendo o câmbio automático

27

ago
2020

Lançada no final de junho com a projeção de vender 30 mil unidades até o final do ano, a nova Fiat Strada já recebeu mais de 25 mil encomendas. E, para a surpresa do próprio fabricante, a versão topo de linha Volcano cabine dupla tem sido a mais procurada, representando cerca de 40% dos pedidos de clientes dispostos a aguardar 60 dias para receber a picape.

Além de manter a robustez que consagrou a geração anterior nas últimas duas décadas, a nova Strada entrou no radar de clientes de outros segmentos após a configuração de cabine dupla substituir a engenhosa terceira porta por uma estrutura convencional de quatro portas com capacidade para cinco ocupantes (inédita na categoria) e ganhar novas tecnologias.

Para isso, a Fiat teve de desenvolver uma nova plataforma que, apesar de aproveitar o para-brisa e as portas dianteiras do Mobi, aumentou a rigidez estrutural e ainda permitiu a aplicação de airbags laterais e controles de estabilidade e tração para elevar o nível de segurança dos passageiros.

A bordo da Strada Volcano o condutor logo percebe uma evolução na ergonomia, embora o volante tenha apenas ajuste de altura. A posição de dirigir é altinha como num SUV, mas os bancos dianteiros poderiam ter uma regulagem de distância mais ampla para as pernas do motorista e do carona. Pelo menos os encostos, com abas laterais salientes, apoiam bem o corpo e o revestimento de tecido passa a impressão de qualidade.

Condizente para um veículo que também poderá ser usado para trabalhar, o acabamento interno é simples. A predominância de plástico serve justamente para facilitar a limpeza, enquanto a forração preta do teto disfarça marcas de sujeira.

Apesar dos três lugares, o banco traseiro é mais indicado para levar dois adultos de estatura mediana – ou duas cadeirinhas infantis ancoradas nos pontos Isofix.

O painel é parecido com o do Uno, com direito ao quadro de instrumentos com uma telinha central que mostra as informações do computador de bordo e o velocímetro digital. Mas a novidade fica por conta da central multimídia Uconnect de 7 polegadas, com câmera de ré e conexão com smartphones por meio dos sistemas Android Auto e Apple CarPlay via Bluetooth (sem fio). O equipamento tem interface intuitiva e duas entradas USB, sendo uma para os passageiros do banco traseiro.

Nova Fiat Strada manteve a parruda suspensão traseira de eixo rígido e feixes de molas

Mesmo com todos os mimos herdados de carros de passeio, a Strada Volcano leva sob a nova “casca” a mecânica simples e robusta da geração anterior. A suspensão traseira manteve o eixo rígido “ômega” montado com feixes de molas semielípticas, aprimorando a geometria com peças reforçadas e novos amortecedores e molas. Somada às rodas de liga leve de 15 polegadas calçadas em pneus de uso misto Pirelli ATR Scorpion, essa receita confere mais de 21 centímetros de altura em relação ao solo – e maiores ângulos de entrada e saída.

A Strada Volcano é movida pela motorização Firefly 1.3 flex de até 109 cv de potência e 14,2 kgfm de torque, restringindo a veterana Fire 1.4 de 88 cv e 12,5 kgfm à versão de entrada Endurance. Combinado a um câmbio manual de cinco marchas, esse motor é bastante competente no uso diário por entregar boa dose de força em baixas rotações. Elástico, o novo propulsor também é favorecido pela transmissão de relações curtas, tornando a Strada uma picapinha bem ágil na cidade.

Em contrapartida, o câmbio e o diferencial de relações encurtadas comprometem o conforto acústico na estrada. Mesmo trabalhando a quase 4.000 rpm a 120 km/h em quinta marcha – deixando clara a falta de uma sexta velocidade ou até mesmo da opção de transmissão automática – o motor surpreendeu nos testes de consumo aferidos pelo Instituto Mauá de Tecnologia.

Pneus de uso misto Pirelli ATR Scorpion conferem mais tração na terra

A Strada Volcano fez médias rodoviárias de 13 km/l com etanol e ótimos 17,5 km/l quando abastecida com gasolina. A antiga Strada Adventure 1.8 de 132 cv chegou a fazer 13,1 km/l e 16,1 km/l, respectivamente.

Na cidade, a diferença de consumo foi superior. A novata fez 9,7 km/l com etanol e 12,7 km/l com gasolina ante 6,8 km/l (e) 11,2 km/l (g) da antecessora.

A Fiat informa que a Strada Volcano acelera de 0 a 100 km/h em 11,2 segundos usando etanol, mas a nossa melhor marca foi de 12,43 segundos. Já o modelo anterior registrou 11,13 segundos nos testes do IMT.

Apesar do desempenho ligeiramente inferior ao da Strada Adventure, é na dinâmica que a Volcano se sobressai. A direção elétrica, leve nas manobras, é consideravelmente mais precisa e firme nas curvas. As suspensões atualizadas também conferem um rodar mais agradável, filtrando melhor as imperfeições e controlando a inclinação da carroceria nas mudanças de direção.

Painel remete ao do Uno, mas a central multimídia com tela de 7″ estreou na picape

Se na cidade a Strada Volcano já manda bem na hora de encarar a buraqueira do asfalto, na terra ela parece ficar ainda mais à vontade. O vão livre do solo e as suspensões de curso longo instigam a andar mais rápido nas estradinhas de cascalho, enquanto os pneus de uso misto garantem boa aderência até mesmo num trecho com lama moderada.

No lugar do antigo sistema Locker, a eletrônica continua ajudando a superar obstáculos longe do asfalto, como erosões e valetas, por exemplo. Um botão no painel aciona o bloqueio eletrônico de diferencial atuando no ABS dos freios dianteiros, travando a roda que está patinando e enviando o torque do motor para a que está mais apoiada no chão.

Caçamba tem 844 litros de volume; capacidade de carga foi mantida em 650 kg

Pensando nos clientes que vão usar a caçamba como um grande porta-malas, a Fiat adotou um sistema de amortecimento que deixa a tampa bastante leve tanto abrir ou fechar o compartimento. A Strada Volcano já sai de fábrica com capota marítima e proteção plástica que evita riscos na pintura. A picape manteve os 650 kg de capacidade de carga (incluindo passageiros, combustível, etc), mas o volume da caçamba foi ampliado de 680 litros para 844 litros.

Em resumo, a nova Strada evoluiu a ponto de ficar tão confortável quanto um carro de passeio, porém, com a funcionalidade da caçamba. No entanto, mesmo com números de vendas expressivos, já é sentida a falta da opção de câmbio automático (ao menos na versão mais cara) para atender os clientes que desejam aproveitar a picapinha em momentos de lazer no campo ou na praia após uma semana de trabalho na cidade.

Quanto custa – a Fiat Strada Volcano parte de R$ 79.990. O único opcional são as rodas de 16″ (R$ 2.500), mas a picape pode receber uma série de acessórios da linha Mopar. As pinturas sólidas branco Banchisa e vermelho Monte Carlo têm custo extra de R$ 900 cada. As tonalidades metálicas (R$ 2.300) e perolizadas (R$ 2.500) também são cobradas à parte.

Fotos: Guilherme Silva e Divulgação

TESTE CARSALE-MAUÁ
 
0 a 60 km/h5,23 segundos (etanol)
5,33 segundos (gasolina)
0 a 100 km/h12,43 segundos (etanol)
12,98 segundos (gasolina)
0 a 120 km/h18,86 segundos (etanol)
19,73 segundos (gasolina)
Aceleração em 5 segundos45,71 metros/57,89 km/h (etanol)
45,48 metros/57,31 km/h (gasolina)
Aceleração em 400 metros18,60 segundos/119,19 km/h (etanol)
18,79 segundos/117,54 km/h (gasolina)
Aceleração em 1000 metros34,48 segundos/146,40 km/h (etanol)
34,90 segundos/145,07 km/h (gasolina)
Retomada 40 a 100 km/h11,01 segundos (etanol)
11,75 segundos (gasolina)
Retomada 80 a 120 km/h12,13 segundos (etanol)
13,21 segundos (gasolina)
Frenagem 100 a 0 km/h57,6 metros
Consumo cidade9,7 km/l (etanol)
12,7 km/l (gasolina)
Consumo estrada13 km/l (etanol)
17,5 km/l (gasolina)

FICHA TÉCNICA
 
CarroceriaMonobloco em aço, quatro portas, cinco lugares
MotorDianteiro, transversal, injeção multiponto, comando de válvulas com variador na admissão e escape acionado por corrente, a gasolina/etanol
Número de cilindros4
Número de válvulas8 (quatro por cilindro)
Taxa de compressão13,2:1
Cilindrada1.332 cm³
Potência (gasolina/etanol)101/109 cv a 6.250 rpm
Torque13,7/14,2 kgfm a 3.500 rpm
TransmissãoManual de cinco marchas
TraçãoDianteira
DireçãoElétrica
Suspensão dianteiraIndependente McPherson
Suspensão traseiraEixo rígido com feixe de molas semielípticas
Pneus e rodas205/60 R15, liga leve 15"
Freios dianteirosDiscos ventilados com ABS e EBD
Freios traseirosTambores com ABS e EBD
Tanque de combustível 55 litros
Volume da caçamba844 litros
Altura1,59 m
Comprimento4,48 m
Largura1,73 m (sem espelhos)
Entre-eixos 2,73 m
Peso em ordem de marcha1.174 kg
Carga útil650 kg
Capacidade de reboque (sem freio)400 kg
Ângulo de entrada23,2º
Ângulo de saída28,4º
Altura livre do solo210 mm
Diâmetro de giro10,7 m
Aceleração 0 a 100 km/h (dado de fábrica)11,2 segundos
Velocidade máxima (dado de fábrica)168 km/h

Sobre o autor

Editor. Começou a trabalhar no Carsale em 2012, mas gosta e acompanha o universo automotivo desde que se conhece por gente. Prefere carros compactos e práticos, mas se diverte da mesma forma quando avalia um utilitário no fora-de-estrada ou acelera um superesportivo num autódromo.