Image

Mercedes-AMG G63 de R$ 1,4 milhão é campeão de recalls no Brasil

17

ago
2020

Um dos carros mais caros da Mercedes-Benz, o jipão de luxo AMG G63 foi o modelo campeão de recalls no Brasil no primeiro semestre. A pesquisa feita pelo aplicativo Papa Recall, que informa se o veículo cadastrado possui algum defeito, mostrou que o SUV de R$ 1,4 milhão esteve envolvido em quatro campanhas do fabricante.

De acordo com o levantamento, os proprietários do Mercedes-AMG G63 foram convocados para a correção de defeitos de fabricação nas portas dianteiras, no turbocompressor do motor, no módulo de travamento do diferencial traseiro e na trava de segurança infantil traseira.

O Papa Recall ainda informa que BMW, Fiat, Mercedes-Benz e Porsche foram as marcas que responderam por metade dos recalls na primeira metade do ano.

A Mercedes foi a montadora que mais realizou campanhas no primeiro semestre, marcado pela pandemia e o isolamento social. A marca alemã foi responsável por seis dos 34 chamamentos realizados por 18 montadoras e que envolveram 85 modelos únicos de carros de passeio e comercial leves. O número de companhias participantes representa queda de 21% em relação a igual período do ano passado, enquanto o total de modelos foi 36% menor. O Papa Recall ressalta que não houve campanhas em maio.  

As 18 empresas correspondem a 43% das montadoras constantes na base de dados do Papa Recall, um índice que aponta para redução de 13% em referência ao mesmo semestre de 2019. Os três primeiros lugares entre as que mais realizaram campanhas foram ocupados por quatro montadoras: Mercedes Benz, como mencionado, BMW (4), Porsche (4) e Fiat (3). Juntas, responderam por metade de todos os chamados. 

O teto solar foi alvo de duas campanhas da Mercedes Benz. Uma envolveu o modelo A250 Vision 2018. A outra foi dirigida a modelos das linhas C, AMG, E, CLK e CLS. Outros recalls dessa montadora tiveram o objetivo de corrigir eventuais defeitos nas portas dianteiras (AMG G 63 – 2018), turbocompressor (modelos AMG, E, S e G63), módulo de travamento do diferencial traseiro (AMG G 63 -2018 e 19) e trava de segurança infantil das portas traseiras (AMG G63). 

As quatro campanhas da BMW foram dirigidas à correção de defeitos em airbag do condutor (modelos 323, 328 e 330), no sistema Isofix (modelos X6), sistema de transmissão (M5 2019) brake light (M6 Gran Coupé de 2013 a 2019). Os chamamentos da Porsche buscam reparar problemas em luzes de alerta (911 Carrera 2019), sistema de combustível (Macan 2013 a 2018), risco de vazamento de combustível (Cayenne) e no sistema de transmissão (Cayenne e Cayenne Coupé 2019). 

Na Fiat, foram identificados defeitos em coxins de absorção com risco de vazamento de combustível na Toro Diesel, nos sistemas de freios de todos os modelos do Mobi e no sistema de airbag e volante do Gran Siena Attractive 1.0 e 1.4. 

“Os tipos de problemas detectados mostram a importância de estar com o recall em dia. É uma segurança para proprietário, familiares e terceiros”, afirma Vinícius Melo, CEO do Papa Recall. Ele destaca que airbag ainda segue como um dos principais motivadores das campanhas de recalls. “No primeiro semestre de 2020, esse dispositivo de segurança esteve presente em 8 convocações diante de um total 34 ações de recall, envolvendo 7 montadoras”, diz.  

De acordo Melo, a Honda gerou dois recalls, sendo um para desativar e outro para substituir em definitivo a bolsa de ar do lado do motorista. Envolveu cerca de 35 mil unidades entre os modelos Civic, Accord, CR-V e Odyssey. 

Fotos: Divulgação Mercedes-Benz