Image

Novo Peugeot 208 terá versão de entrada com motor 1.2 de três cilindros

03

ago
2020

A Peugeot já confirmou que o novo 208 fabricado na Argentina será lançado no mercado brasileiro em setembro, equipado somente com o antigo motor 1.6 flex de 118 cv, mas informações divulgadas pelo Argentina Autoblog indicam que o hatch terá uma versão de entrada movida pelo eficiente Pure Tech 1.2 de três cilindros de 90 cv.

Concessionários do país vizinho confirmaram que os clientes do consórcio do antigo 208 Active 1.6 serão contemplados com o novo 208 Like 1.2. Como a geração anterior deixou de ser fabricada no Brasil, ela será substituída por um modelo de preço similar.

A Peugeot ainda não revelou se venderá o novo 208 com o motor 1.2 no Brasil. Antes de divulgar as primeiras informações do hatch, havia a expectativa de o 208 ter versões equipadas com a variante turbinada deste propulsor, mas a marca já adiantou que por enquanto ele está descartado por questões de custo.

O elogiado 1.6 THP usado no antigo 208 GT também está fora dos planos, uma vez que a plataforma do carro, desenvolvida apenas para motores de três cilindros e já adaptada para o 1.6 aspirado, teria de sofrer novas alterações.

Por ora, o que se sabe é que o novo 208 será vendido no Brasil nas configurações Like, Active, Allure e Griffe, sempre equipadas com o motor 1.6 aspirado e câmbio automático de seis velocidades. Os preços são estimados entre R$ 65 mil e R$ 85 mil.

O hatch é fabricado a partir da nova plataforma modular CMP, também desenvolvida para receber eletrificação. A estrutura permite criar versões 100% elétricas ou híbridas, como já acontece no mercado europeu – e ainda serve de base ao novo Opel Corsa.

A marca francesa também já confirmou a importação do 208-E, versão elétrica movida por um propulsor que entrega bons 136 cv e 26,5 kgfm. Capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em 8,1 segundos, essa variante chegará no final do ano custando cerca de R$ 120 mil.

Fotos: Argentina Autoblog

Sobre o autor

Editor. Começou a trabalhar no Carsale em 2012, mas gosta e acompanha o universo automotivo desde que se conhece por gente. Prefere carros compactos e práticos, mas se diverte da mesma forma quando avalia um utilitário no fora-de-estrada ou acelera um superesportivo num autódromo.