Image

Ar-condicionado do Bugatti Chiron é capaz de gelar apartamento de 80 m²

22

jul
2020

Superlativo em todos os sentidos, o Bugatti Chiron não chama a atenção apenas pelo exotismo e a capacidade de superar a barreira dos 400 km/h. O hiperesportivo francês impressiona também pela complexidade de sua engenharia.

O Chiron é movido por um motor que pode ser considerado uma usina de força. São 16 cilindros dispostos em W com uma capacidade cúbica de 8.0 litros, sobrealimentados por quatro turbocompressores para atingir 1.500 cv de potência e 163 kgfm de torque.

Capaz de levar o supercarro aos 100 km/h em apenas 2,5 segundos e a velocidades acima dos 400 km/h, o motorzão precisa ser arrefecido por quatro radiadores.

Outra curiosidade revelada recentemente pela Bugatti é a potência do ar-condicionado do Chiron. Segundo a marca francesa, o sistema é capaz de refrigerar um apartamento de 80 metros quadrados.

O equipamento conta com 9,5 metros de tubulações, dois condensadores e capacidade para comprimir cerca de 3 kg de fluido refrigerante a uma pressão que pode variar entre 2 bar a 30 bar por minuto.

Julia Lemke, engenheira da Bugatti, explica que “nos carros convencionais, o ar é forçado para o interior do veículo pelas entradas na base do para-brisa, mas no Chiron isso só ocorre a partir dos 250 km/h” devido à aerodinâmica desenvolvida para atingir altas velocidades.

Além disso, o enorme para-brisa, posicionado a 21,5 graus de inclinação, favorece a incidência dos raios solares, transformando a cabine em uma pequena estufa.

Fotos: Divulgação

Sobre o autor

Editor. Começou a trabalhar no Carsale em 2012, mas gosta e acompanha o universo automotivo desde que se conhece por gente. Prefere carros compactos e práticos, mas se diverte da mesma forma quando avalia um utilitário no fora-de-estrada ou acelera um superesportivo num autódromo.