Image

Coronavírus: Volkswagen e sindicatos fecham acordo para reduzir jornada de trabalho

22

abr
2020

Devido à paralisação de suas atividades em razão da pandemia do coronavírus, a Volkswagen fechou na última segunda-feira (20), em assembleias virtuais, um acordo de flexibilização trabalhista com os sindicatos dos funcionários de suas quatro fábricas no Brasil (São Bernardo do Campo, São Carlos e Taubaté, em São Paulo, e São José dos Pinhais, no Paraná). A retomada das atividades está prevista para o final de abril.

No acordo, que também atinge colaboradores dos escritórios regionais e do Centro de Peças e Acessórios de Vinhedo (SP), foi aprovada a proposta de redução de 30% da jornada de trabalho sem impacto no valor líquido dos salários.

A proposta aprovada pelos empregados permite desconto de 30% no valor do salário bruto do funcionário e o mesmo percentual de redução em jornada de trabalho. Serão aplicados os critérios da Medida Provisória 936 e, desta forma, será possível obter o complemento de renda, parte paga pelo governo e parte pela Volkswagen.

A empresa e os sindicatos também concordaram em postergar para dezembro deste ano o pagamento da primeira parcela de PLR (Participação nos Lucros e Resultados). Todos os empregados horistas e mensalistas serão impactados com a medida pelos próximos 90 dias.

“Os efeitos provocados pela pandemia do novo Coronavírus levaram a Volkswagen a aplicar novas medidas de flexibilidade previstas em Acordo Coletivo de trabalho, negociadas em parceria com os sindicatos de todas as nossas operações no país. Temos o compromisso de proteger o emprego e evitar demissões, além de garantir a sustentabilidade do nosso negócio”, reforça Pablo Di Si, presidente e CEO da Volkswagen para a América Latina.

Foto: Divulgação