Image

Toyota Raize: SUV do tamanho do EcoSport é registrado no Brasil

10

mar
2020

Apresentado na última edição do Salão de Tóquio, em novembro, o Toyota Raize foi registrado no INPI (Instituto de Propriedade Industrial), dando pistas sobre uma possível produção nacional do SUV, uma vez que a marca japonesa anunciou investimentos de R$ 1 bilhão para a fabricação de um novo modelo em Sorocaba (SP).

Entretanto, os registros no INPI podem ser apenas uma forma de a fabricante resguardar os direitos comerciais de componentes e tecnologias que possam ser implementados em outros veículos no futuro. A prática é comum entre as montadoras.

Mas o Raize tem potencial para ser feito no Brasil em 2021 por utilizar uma versão simplificada da plataforma TNGA do novo Corolla. A modularidade da estrutura permitiria aumentar a distância entre-eixos para ampliar o espaço interno e chegar no mesmo tamanho dos concorrentes – mesma receita usada pela Volkswagen no T-Cross.

Com desenho inspirado no SUV médio RAV4, o Raize japonês mede 3,99 metros de comprimento, 1,69 m de largura, 1,62 m de altura e 2,52 m de distância entre-eixos. O porta-malas acomoda 369 litros de bagagem.

Pesando apenas 980 kg, o Raize tem porte parecido com o do Ford EcoSport para se enquadrar nas leis de países asiáticos que cobram menos impostos de veículos compactos.

A motorização oferecida no Japão é a 1.0 turbo de três cilindros a gasolina, que entrega 98 cv de potência a 6.000 rpm e 14,3 kgfm de torque entre 2.400 e 4.000 rpm. A transmissão é sempre automática CVT, com opção de tração integral.

Para o Brasil, a 1.5 flex de 116 cv do Yaris (nas versões de entrada) e a 2.0 flex com injeção direta de 177 cv do Corolla seriam as mais cotadas para o Raize nacional.

O Raize foi tão bem recebido no mercado japonês a ponto de superar as vendas do Corolla em janeiro. A fila de espera pelo SUV é de quatro meses.

Fotos: Divulgação

Sobre o autor

Editor. Começou a trabalhar no Carsale em 2012, mas gosta e acompanha o universo automotivo desde que se conhece por gente. Prefere carros compactos e práticos, mas se diverte da mesma forma quando avalia um utilitário no fora-de-estrada ou acelera um superesportivo num autódromo.