Image

GM anuncia o fim da Holden, fabricante do Omega australiano vendido no Brasil

17

fev
2020

A General Motors anunciou que reduzirá suas operações fora dos Estados Unidos, América Latina e China até 2021. A medida encerrará as atividades de engenharia, projetos e vendas da Holden, subsidiária australiana que fabricava o sedã Commodore, vendido no Brasil entre 1998 e 2012 como Chevrolet Omega (incluindo uma série especial que homenageava o ex-piloto de Fórmula 1 Emerson Fittipaldi). Cerca de 600 funcionários serão afetados.

Além disso, a GM já confirmou que deixará de produzir veículos na Tailândia, onde as instalações da fábrica de picapes serão vendidas à chinesa Great Wall.

A empresa diz que vai “investir em mercados onde possui estratégias adequadas para impulsionar retornos sólidos e priorizar investimentos globais”.

Em 2015, a GM deixou a Rússia e tirou a marca Chevrolet da Europa. Dois anos mais tarde, encerrou as atividades na África do Sul e vendeu as marcas Opel (Alemanha) e Vauxhall (Reino Unido) ao grupo francês PSA Peugeot Citroën. Nos últimos anos, a empresa também saiu da Índia, Indonésia e Vietnã.

Com vendas em queda na Índia e Oceania, a GM decidiu encerrar o desenvolvimento e produção de carros com volante do lado direito (mão inglesa).

A Holden entrou no ramo de automóveis em 1908, mais de meio século após a sua fundação como fabricante de selas. A empresa foi adquirida pela General Motors em 1931, mas só fabricou o primeiro carro australiano depois da Segunda Guerra Mundial.

A linha Commodore foi lançada em 1978 baseada no alemão Opel Senator, dando origem a diversos modelos, especialmente à picape Ute, bastante apreciada pelos australianos. Nos últimos anos, a marca vinha trabalhando com modelos importados da Coreia do Sul e Tailândia.

Fotos: Divulgação

Sobre o autor

Editor. Começou a trabalhar no Carsale em 2012, mas gosta e acompanha o universo automotivo desde que se conhece por gente. Prefere carros compactos e práticos, mas se diverte da mesma forma quando avalia um utilitário no fora-de-estrada ou acelera um superesportivo num autódromo.