Image

Lembra dele? VW Polo GTI de 2006 faz o novo Polo GTS parecer uma pechincha

24

jan
2020

Lançado oficialmente na última quinta-feira (23), o Polo GTS foi elogiado por resgatar a nostalgia dos esportivos da Volkswagen das décadas de 1980 e 1990. No entanto, o hatch esportivo também foi alvo de críticas por conta do preço inicial de R$ 99.470, chegando a custar R$ 103.440 com o acréscimo de pintura metálica (R$ 1.570) e do sistema de som da grife Beats (R$ 2.400) – equivalente a 99,5 salários mínimos atuais (R$ 1.039).

O Polo GTS está longe de ser barato para os padrões econômicos brasileiros, mas nem é tão caro assim se comparado ao Polo GTI de quarta geração que a Volks vendeu por aqui em 2006. Na época, cada um dos apenas 30 exemplares importados da Alemanha custava R$ 99.800 – valor que equivalia a 285 salários mínimos de R$ 350.

Com a correção de valores do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), cada Polo GTI custou o equivalente a R$ 226.251 nos dias de hoje – valor que dá para comprar dois Polos GTS novinhos com opcionais e ainda sobra troco para, por exemplo, pagar o seguro, dependendo dos perfis dos condutores.

Além do visual mais invocado, da suspensão com acerto mais firme e do câmbio automático de seis marchas com trocas sequenciais no volante, o Polo GTS faz jus à proposta esportiva da sigla GTS apostando no motor 1.4 turbo flex com injeção direta e duplo comando de válvulas com variador de fase na admissão e escape (família EA211), que entrega 150 cv de potência a 4.500 rpm e 25,5 kgfm de torque a partir de 1.500 rpm.

Os dados de fábrica informam que o hatch de 1.214 kg acelera de 0 a 100 km/h em 8,4 segundos e atinge a velocidade máxima de 207 km/h.

Já o antigo Polo GTI, de duas gerações passadas, levava sob o capô um motor 1.8 turbo movido a gasolina (EA113) de concepção mais antiga. O propulsor, com injeção multiponto indireta e cabeçote com cinco válvulas por cilindro sem variação no duplo comando, gerava os mesmos 150 cv de potência (a 5.200 rpm), mas o torque máximo era menor e surgia um pouco mais tarde: 22,4 kgfm a 1.950 rpm.

Mais leve (1.164 kg), o hatch com câmbio manual de cinco marchas tinha desempenho superior ao do Polo GTS. Ele levava 7,8 segundos para chegar aos 100 km/h e alcançava os 216 km/h de velocidade final.

Em termos de estilo, o Polo GTS adota elementos visuais inspirados no “primo” europeu Polo GTI (2.0 turbo de 200 cv) e é vendido apenas com carroceria de quatro portas. O interior conta com exclusivos bancos de encosto inteiriço revestidos de couro.

O Polo GTI de 2006 vinha com a estilosa carroceria de duas portas, mais condizente com um carro de proposta esportiva. Os bancos tinham revestimento em tecido xadrez, iguais aos do irmão maior Golf GTI.

Embora seja um carro já com quase uma década e meia de idade, o antigo Polo GTI não pode ser considerado uma pechincha. As poucas unidades à venda costumam ser anunciadas na faixa dos R$ 50 mil a R$ 55 mil, dependendo do estado de conservação e originalidade.

Fotos: Divulgação

Sobre o autor

Editor. Começou a trabalhar no Carsale em 2012, mas gosta e acompanha o universo automotivo desde que se conhece por gente. Prefere carros compactos e práticos, mas se diverte da mesma forma quando avalia um utilitário no fora-de-estrada ou acelera um superesportivo num autódromo.