Image

Toyota Mega Cruiser, o exótico Hummer japonês

07

jan
2020

A tensão entre Estados Unidos e Irã faz quem já passou dos 30 anos lembrar de quando o país atualmente dirigido por Donald Trump liderou a coalizão internacional que libertou o Kuwait das forças militares iraquianas na Guerra do Golfo, no começo da década de 1990.

Na época, os norte-americanos chamaram a atenção do mundo por empregar tecnologias bélicas então desconhecidas, como aviões invisíveis a radares e bombas inteligentes. Mas outra novidade também ganhou destaque: o Humvee, um jipe criado especificamente para transportar equipamentos e tropas, que podia, inclusive, ser lançado de um avião cargueiro no campo de batalha.

O Humvee fez relativo sucesso a ponto de ganhar uma versão civil, batizada de Hummer H1. Apesar do tamanho, o veículo, vendido naquele país entre 1992 e 2006, não chegava a ser um empecilho para as largas ruas e estradas dos Estados Unidos.

Inspirada nos norte-americanos, a Toyota decidiu aproveitar a sua experiência com veículos off-road para desenvolver a sua versão do Hummer H1. Criado, inicialmente, para servir as forças armadas japonesas, o Mega Cruiser também acabou ganhando uma variante civil, em 1995.

O grandalhão de 5,09 metros de comprimento, 2,07 m de altura, 2,17 m de largura e 3,97 m de entre-eixos pesava nada menos que 2.900 kg (o modelo militar passava das três toneladas). Para facilitar as manobras nas apertadas ruas das cidades japonesas, ele contava com um sistema de esterçamento das rodas traseiras para proporcionar um diâmetro de giro de 11,2 metros (bem menos que os 16 metros necessários para um Hummer H1 dar uma volta completa).

Hummer H1 e Toyota Mega Cruiser

Para mover tudo isso, a Toyota apostava num motor de 4.1 litros turbodiesel de quatro cilindros, que entregava 150 cv de potência e 38,9 kgfm de torque, combinado a uma transmissão automática de quatro marchas. A Toyota dizia que o jipão fazia 10 km/l rodando constantemente a 60 km/h.

Para transpor terrenos acidentados, o Mega Cruiser era dotado de sistema de tração nas quatro rodas com bloqueios nos diferenciais dianteiro, central e traseiro. As suspensões eram indenpendentes com braços triangulares sobrepostos, enquanto os freios usavam discos ventilados “inboard”, nos diferenciais de cada roda.

Além de caro (custava o equivalente a US$ 90 mil naquela época), o Mega Cruiser ainda pagava taxa extra para rodar pelas ruas do Japão devido o seu tamanho – sem contar a dificuldade na hora de encontrar uma vaga para estacionar. Com poucas unidades produzidas (a Toyota não revela o número), ele saiu de linha em 2002.

Fotos: Divulgação

Tags

Sobre o autor

Editor. Começou a trabalhar no Carsale em 2012, mas gosta e acompanha o universo automotivo desde que se conhece por gente. Prefere carros compactos e práticos, mas se diverte da mesma forma quando avalia um utilitário no fora-de-estrada ou acelera um superesportivo num autódromo.