Image

Retrospectiva: 5 recalls que deram o que falar em 2019

19

dez
2019

Este ano foi bastante movimentado para as montadoras no que diz respeito a recalls. Essas campanhas envolveram desde os “airbags mortais” da Takata, a recompra de carros com problemas de documentação e até mesmo a troca completa do motor. Veja abaixo os cinco chamados mais comentados em 2019:

Toyota chama 380 mil Corolla, Etios, Fielder e Hilux para trocar “airbags mortais” (janeiro)

A Toyota anunciou, no começo do ano, um recall para trocar os airbags de 379.689 unidades dos modelos Corolla, Etios (hatch e sedã), Fielder, Hilux e SW4. As duas bolsas infláveis dianteiras podem expelir fragmentos da carcaça metálica do insuflador quando acionadas em caso de colisão ou se ficarem expostas durante muito tempo ao calor, alta umidade relativa do ar ou sofrer grandes variações de temperatura.

Volkswagen recompra quase 200 carros com problema na documentação (janeiro)

A Volkswagen emitiu um comunicado para comprar de volta carros, produzidos entre janeiro de 2008 e fevereiro de 2017, devido a falta de documentação técnica interna. A empresa se comprometeu a pagar o valor da tabela Fipe por 194 unidades dos modelos CC, CrossFox, Fox, Gol, Golf, Parati, Passat, Passat Variant, Polo, Polo Sedan, Saveiro, Tiguan, Touareg, Up e Voyage. A fabricante identificou que esses veículos foram montados sem o registro de liberação da fábrica, podendo apresentar falha de funcionamento de componentes e sistemas. Todos os carros serão destruídos pela empresa.

Chevrolet Onix Plus (outubro)

Os vídeos compartilhados nas redes sociais mostrando um Chevrolet Onix Plus sendo consumido pelo fogo após sofrer uma explosão no motor foram suficientes para a GM anunciar o recall mais polêmico de 2019. Mais de 19 mil unidades foram convocadas às concessionárias para atualizar o software de gerenciamento do motor 1.0 turbo, que poderia provocar um incêndio em condições climáticas específicas e de qualidade do combustível.

GM convoca quase 170 mil carros para substituir airbags (novembro)

Outra fabricante prejudicada pelos “airbags mortais”, a General Motors convocou 169.041 unidades dos modelos Cruze, Sonic e Tracker vendidos no Brasil para trocar a bolsa inflável do motorista. Esses carros estão envolvidos no mega recall da empresa japonesa Takata, que atingiu milhões de veículos em todo o mundo. Segundo a GM, a troca do componente é necessária para evitar que, em caso de acidente com acionamento do airbag, fragmentos metálicos do insuflador localizado no volante sejam dispersados para o interior do carro, prevenindo os ocupantes de ferimentos graves e até fatais.

BMW convoca novo Série 3 para trocar motor (dezembro)

A campanha para a troca do motor completo do novo Série 3 envolve apenas oito carros (sete unidades da versão 330i M Sport e uma 330i Sport), produzidos entre janeiro e agosto deste ano. Segundo a marca alemã, existe a possibilidade de desgaste prematuro da bronzina do eixo de balanceamento, resultando em perda de lubrificação e travamento do propulsor 2.0 turbo de 258 cv durante a condução. A BMW diz que o problema pode provocar acidente, com risco aos ocupantes e terceiros, por isso decidiu pela troca completa do motor. O reparo leva cerca de três dias úteis.

Fotos: Divulgação

Tags

Sobre o autor

Editor. Começou a trabalhar no Carsale em 2012, mas gosta e acompanha o universo automotivo desde que se conhece por gente. Prefere carros compactos e práticos, mas se diverte da mesma forma quando avalia um utilitário no fora-de-estrada ou acelera um superesportivo num autódromo.