Image

A35 AMG abre as portas da linha de esportivos da Mercedes-Benz por R$ 280 mil

30

nov
2019

A Mercedes-Benz começa a vender no Brasil mais três modelos da grife de alto desempenho AMG, totalizando 29 esportivos no portfólio oferecido em nosso mercado. As novidades são a versão mais nervosa do SUV GLC reestilizado, o extravagante AMG GT C Roadster e o hatch A35 AMG 4Matic, o qual demos uma rápida volta no evento promovido pela marca no interior de São Paulo..

Ocupando o posto de modelo de entrada da AMG, o A35 chega por R$ 279.900 após a Mercedes vender as 40 unidades da série limitada Launch Edition, lançada em setembro R$ 6 mil mais cara por conta do spoiler dianteiro e aerofólio sobre a tampa traseira pintados de preto. Com exceção dos apêndices aerodinâmicos, o pacote de equipamentos e a motorização são idênticos.

Falando em motor, o hot hatch traz sob o capô o 2.0 turbo de quatro cilindros, que entrega 306 cv de potência entre 5.800 e 6.100 rpm e 40,8 kgfm de torque a 3.000 rpm. O câmbio automatizado de dupla embreagem e sete velocidades e o sistema de tração integral 4Matic priorizam o envio dessa força ao eixo dianteiro, mas pode transferir até 50% do torque para as rodas traseiras para favorecer o desempenho em determinadas condições.

Embora ostente a desejada sigla dos esportivos da Mercedes-Benz, o A35 não é considerado um AMG puro. O seu motor, assim como os seis-cilindros das variantes 53, é produzido em grande escala, diferentemente dos V8 biturbo montados artesanalmente por um único engenheiro para os modelos 63 na fábrica alemã de Affalterbach.

Ainda assim, o hatch de 1.555 kg é capaz de atingir os 100 km/h em apenas 4,7 segundos e só parar de acelerar aos 250 km/h por conta do limitador eletrônico.

Embora a “degustação” promovida pela Mercedes-Benz mal completava uma volta no Autódromo da Fazenda Capuava, em Indaiatuba (SP), foi possível aproveitar um pouco do acertadíssimo conjunto do A35. Apesar de ser menos potente que os sedãs E 53, CLS 53 e AMG GT 4Door, também disponíveis para teste, o hatch percorreu a parte mais travada do traçado com maior desenvoltura por conta do entre-eixos mais curto e da direção mais precisa. A tração integral ainda ajuda a sair rápido das curvas, enquanto o escape dinâmico amplifica o ronco do 2.0 turbo com direito a pipocos a cada troca de marcha.

Uma pena que não tivemos a oportunidade de acelerar o A35 na reta mais extensa da pista, mas fica a expectativa para uma avaliação mais detalhada com as medições do Instituto Mauá de Tecnologia, parceiro de testes do Carsale há quase duas décadas.

Na hora de curtir o A35 em momentos mais tranquilos, o hatch disponibiliza a nova central multimídia MBUX com tela de 10 polegadas integrada ao painel digital de mesmo diâmetro. O equipamento executa funções, como abrir os vidros, regular a temperatura do ar-condicionado ou sintonizar estações de rádio, obedecendo comandos por voz.

Já o GLC 63 completa a recém-atualizada gama do SUV trazendo sob o capô nada menos que um 4.0 V8 biturbo de 476 cv e 66,3 kgfm. A tração integral, que funciona em conjunto com a transmissão automática de nove marchas com embreagem multidiscos no lugar do conversor de torque, pode enviar toda a cavalaria para as rodas traseiras. O utilitário esportivo vai de 0 a 100 km/h em 4 segundos e ainda pode receber o pacote de desempenho que libera a velocidade máxima de 250 km/h para 270 km/h.

Com preço sugerido de R$ 549.900, ele traz faróis multibeam com 84 pontos de LED, assistente automático de estacionamento, câmera 360º, painel digital de 12,3”, carregador de celular sem fio, acabamento interno em fibra de carbono e rodas de 21 polegadas.

A cereja do bolo acaba sendo o belo AMG GT C Roadster, tabelado em R$ 1.256.900. O conversível de dois lugares conta com uma capota de lona que leva 11 segundos para ser aberta com o carro rodando a até 50 km/h. São três opções de cores para o teto (bege, preto ou vermelho) combinar com uma das 10 tonalidades disponíveis para a carroceria.

O motor é o mesmo do GLC 63, mas otimizado para gerar 557 cv de potência e 68,3 kgfm de torque e combinado a uma caixa automatizada de dupla embreagem e sete marchas. Sempre com tração traseira, o roadster leva apenas 3,7 segundos para chegar aos 100 km/h, mas requer experiência para atingir os 317 km/h de velocidade final em uma pista fechada que comporte tanto desempenho.

Teste-drive a convite da Mercedes-Benz
Fotos: Divulgação

Ficha técnica
 
CarroceriaMonobloco em aço, cinco portas, cinco lugares
MotorDianteiro, transversal, injeção direta, turbocompressor, duplo comando de válvulas na admissão e escape acionado por corrente, a gasolina
Número de cilindros4 em linha
Número de válvulas16
Taxa de compressão10:1
Cilindrada1.991 cm³
Potência 306 cv a 5.800 rpm
Torque 40,8 kgfm entre 3.000 e 4.000 rpm
TransmissãoAutomatizada de dupla embreagem e 7 marchas
TraçãoDianteira
DireçãoElétrica
Suspensão dianteiraIndependente McPherson
Suspensão traseiraIndependente multibraços
Freios dianteirosDiscos ventilados com ABS e EBD
Freios traseirosDiscos sólidos com ABS e EBD
Pneus e rodas235/35 R19, liga leve 19"
Altura1,40 m
Comprimento4,43 m
Largura1,79 m
Entre-eixos2,73 m
Volume do porta-malas370 litros
Volume do tanque de combustível/reserva51 litros/5 litros
Peso em ordem de marcha1.555 kg
Aceleração 0 a 100 km/h4,7 segundos
Velocidade máxima250 km/h (limitada eletronicamente)

Sobre o autor

Editor. Começou a trabalhar no Carsale em 2012, mas gosta e acompanha o universo automotivo desde que se conhece por gente. Prefere carros compactos e práticos, mas se diverte da mesma forma quando avalia um utilitário no fora-de-estrada ou acelera um superesportivo num autódromo.