Image

Cayenne Coupé é praticamente um Porsche 911 que tomou anabolizantes

31

out
2019

Anabolizantes são hormônios sintéticos usados por praticantes de atividades físicas para incrementar o ganho de força e massa muscular. Se usadas indiscriminadamente, sem acompanhamento médico, essas substâncias podem desenvolver sérios problemas de saúde. Mas se fosse possível aumentar o tamanho de um carro apenas injetando algum tipo de hormônio, poderíamos afirmar que o novo Porsche Cayenne Coupé é praticamente uma versão “bombada” do icônico 911, porém, sem efeitos colaterais.

Embora seja uma variante de carroceria do Cayenne, o SUV honra, de fato, a esportividade que o teto rebaixado sugere. O modelo chega ao Brasil nas versões V6 e Turbo S E-Hybrid, ambas movidas a gasolina, com câmbio automático de oito velocidades e tração integral.

A configuração “de entrada” é equipada com um motor 3.0 V6 turbo, que entrega 340 cv de potência e 45,9 kgfm de torque. O SUV atinge os 100 km/h em 6 segundos e chega aos 245 km/h de velocidade final.

Partindo de R$ 459 mil, o Cayenne Coupé V6 cobra R$ 20 mil extras em relação ao Cayenne V6 convencional, adicionando o teto solar panorâmico e o pacote Sport Chrono (seletor de modos de condução com a tecla Sport Response, controle de largada, cronômetro e controle de estabilidade com função mais permissiva).

Já a versão topo de linha híbrida é movida pelo 4.0 V8 biturbo de 550 cv e 78,5 kgfm. Esse motor, auxiliado por um propulsor elétrico de 136 cv e 41 kgfm, é capaz de rodar até 40 km e atingir 135 km/h apenas com eletricidade. Aproveitando os insanos 680 cv e 91,7 kgfm de potência e torque combinados, respectivamente, o SUV faz de 0 a 100 km/h em apenas 3,8 segundos e atinge 295 km/h de velocidade máxima.

A tabela do Cayenne Turbo S E-Hybrid começa em R$ 956 mil (R$ 10 mil a mais que a variante de teto alto), mas passa facilmente de R$ 1 milhão com a inclusão da miríade de opcionais.

O Cayenne Coupé entrega a inspiração no 911 pelo teto rebaixado em dois centímetros, integrado à traseira pelas colunas em formato de arco. A Porsche optou por uma traseira mais baixa para deixar o visual mais proporcional que o dos rivais BMW X6 e Mercedes-Benz GLE Coupé, “esticando” o SUV em somente 1,3 centímetro. Os para-lamas traseiros alargados e as lanternas horizontais fazem o Cayenne Coupé parecer mais baixo do que realmente é, enquanto o aerofólio retrátil – que se abre a partir de 90 km/h para aumentar a aderência do carro contra o solo – reforça esse ar mais dinâmico.

Apesar dos quase cinco metros de comprimento e mais de duas toneladas de peso, o Cayenne Coupé esbanja disposição e movimentação precisa. Testamos a versão V6 em um percurso de cerca de 400 km por rodovias e estradas de terra na região serrana do Rio Grande do Sul, onde tivemos a oportunidade de colocar o SUV à prova em diferentes condições de rodagem.

Mesma na versão menos potente, o Cayenne Coupé passa a sensação de sobrar força no motor V6 turbinado. As acelerações são sempre vigorosas, proporcionando muita segurança nas ultrapassagens em estradas de pista simples. O câmbio automático trabalha suavemente, mas “entende” quando o motorista precisa de maior agilidade para passar por veículos mais lentos nos trechos de subida.

Ao apertar a tecla do Sport Response no volante, o Cayenne Coupé adota um comportamento mais agressivo. Por 20 segundos, o recurso deixa a condução mais divertida ao tornar as respostas do motor e da transmissão mais rápidas, favorecendo o desempenho nas retomadas. Nessa condição, as marchas são esticadas e cada troca é seguida por “coices” sentidos pelas costas dos ocupantes. A experiência fica ainda mais instigante ao liberar a sinfonia do V6 no sistema de escape ativo, um opcional de R$ 16.483 que deveria ser item de série em um carro dessa categoria.

No entanto, o que realmente surpreende é o apetite do Cayenne Coupé para devorar curvas. O SUV se comportou quase como um cupê esportivo nas sinuosas estradas da serra gaúcha. Obviamente que o centro de gravidade elevado provoca certa movimentação da carroceria, mas a suspensão com amortecedores eletronicamente ajustáveis mantém o carro na trajetória com eficiência.

Outro ponto que remete ao DNA esportivo da Porsche é a direção elétrica, um tanto firme para um SUV, mas com a precisão ideal para conduzir um grandalhão que gosta de andar bem rápido.

SUV até tolera alguns desafios com lama e terra, mas prefere rodar em asfalto liso

Diferentemente da maioria dos SUVs com tração integral, que prioriza o envio da força do motor às rodas dianteiras, o Cayenne Coupé proporciona uma experiência de direção diferenciada ao mandar 90% do torque para o eixo traseiro. Com isso, as respostas nas saídas de curva são mais imediatas. Caso detecte perda de aderência dos pneus, o sistema reparte essa transferência em até 40% para as rodas da frente.

Se no asfalto o Cayenne Coupé roda bem à vontade, fora dele o SUV pode passar alguns apuros. O Porsche até possui um modo de condução que atua nos diferenciais central e traseiro para auxiliar o motorista em pisos de baixa aderência, no entanto, os pneus de perfil baixo e as enormes rodas de liga leve (o diâmetro varia entre 19 e 22 polegadas, dependendo da configuração) sofrem demais em terrenos acidentados. Durante o teste, o carro testado teve dois pneus rasgados por buracos do péssimo asfalto da rodovia que liga as cidades gaúchas de São Francisco de Paula e Cambará do Sul. Por sorte, as rodas modelo Sport Classic aro 22” (vendidas à parte por R$ 28.071) não foram danificadas.

Os pneus de perfil baixíssimo (285/35 R22 e 315/30 R22) não suportaram os buracos no trajeto

De resto, ele é idêntico ao irmão Cayenne: acabamento interno refinado, digno de carro de luxo, posição de dirigir impecável e boa dose de conforto para todos os passageiros, com direito a ar-condicionado de quatro zonas e controles individuais no banco traseiro. Ao contrário do que o teto mais baixo pode sugerir, quem viaja atrás encontra bom espaço para as cabeças, inclusive para passageiros mais altos na faixa de 1,90 m de altura. O porta-malas teve a capacidade reduzida de 770 litros para 625 litros, ainda suficientes para levar a bagagem de uma família. Na versão mais cara, o compartimento leva 600 litros devido às mudanças no assoalho para acomodar as baterias do sistema híbrido.

Acabamento interno impecável e partida do motor à esquerda da direção são marcas da Porsche

Como todo Porsche, o Cayenne Coupé é para poucos. Entretanto, é difícil pensar em um SUV da sua faixa de preço que combina conforto e sofisticação com uma dinâmica tão refinada. A versão V6 entrega tanto desempenho e diversão ao volante a ponto de fazer a variante topo de linha parecer um exagero.

Preços da linha Porsche Cayenne (outubro 2019)

Cayenne E-Hybrid – R$ 435 mil
Cayenne V6 – R$ 439 mil
Cayenne Coupé V6 – R$ 459 mil
Cayenne S – R$ 533 mil
Cayenne Turbo – R$ 745 mil
Cayenne Turbo S E-Hybrid – R$ 946 mil
Cayenne Coupé S E-Hybrid – R$ 956 mil

Viagem e teste-drive a convite da Porsche
Fotos: Divulgação e Guilherme Silva

FICHA TÉCNICA
 
CarroceriaMonobloco em aço, cinco portas, cinco lugares
MotorDianteiro, longitudinal, injeção direta, turbo, duplo comando de válvulas na admissão e escape, a gasolina
Número de cilindros6 em V
Número de válvulas24 (quatro por cilindro)
Taxa de compressão11,2:1
Cilindrada2.995 cm³
Potência 340 cv de 5.300 a 6.400 rpm
Torque45,9 kgfm de 1.340 a 5.300 rpm
TransmissãoAutomática de oito marchas
TraçãoIntegral
DireçãoElétrica
Suspensão dianteiraIndependente multibraço
Suspensão traseiraIndependente multibraço
Pneus e rodas275/45 R20 (dianteiros) e 305/40 R20 (traseiros), liga leve 20"
Freios dianteirosDiscos ventilados com ABS e EBD
Freios traseirosDiscos ventilados com ABS e EBD
Tanque de combustível 75 litros
Volume do porta-malas 625 litros
Altura1,67 m
Comprimento4,93 m
Largura1,98 m (sem espelhos)
Entre-eixos 2,89 m
Peso em ordem de marcha2.105 kg
Carga útil765 kg
Capacidade de reboque (com/sem freios)3.500/750 kg
Ângulo de entrada25,2º
Ângulo de saída22º
Altura livre do solo210 mm
Diâmetro de giro12,1 m
Capacidade de submersão 50 cm
Aceleração 0 a 100 km/h (dado de fábrica)6 segundos
Velocidade máxima (dado de fábrica)245 km/h

Sobre o autor

Editor. Começou a trabalhar no Carsale em 2012, mas gosta e acompanha o universo automotivo desde que se conhece por gente. Prefere carros compactos e práticos, mas se diverte da mesma forma quando avalia um utilitário no fora-de-estrada ou acelera um superesportivo num autódromo.