Image

Dodge Dart: clássico nacional era lançado há 50 anos

25

out
2019

Sonho de consumo na década de 1970, o Dodge Dart completou 50 anos de seu lançamento no Brasil. O primeiro exemplar nacional deixou a linha de produção da fábrica da Chrysler do Brasil, em São Bernardo do Campo (SP), no dia 21 de outubro de 1969 para se tornar um dos carros mais desejados pelos brasileiros.

Chamado carinhosamente de “Dojão”, o modelo ostenta até hoje o título de maior motor de carro de passeio produzido no país. O Magnum V8 de 5.2 litros gerava 198 cv potência a 4.400 rpm e 41,5 kgfm de torque a 2.400 rpm, combinado ao câmbio manual de três marchas posicionado na coluna de direção.

O sedã levava 12 segundos para atingir os 100 km/h, tempo expressivo para a época, mas que qualquer carro atual entre 1.6 e 2.0 litros cumpre sem esforço.

Embora não fosse um carro de luxo nos Estados Unidos, por aqui o Dart se tornou referência em requinte e conforto. O banco dianteiro inteiriço permitia levar dois passageiros ao lado do motorista, totalizando seis ocupantes com os outros três do banco traseiro.

Outro toque de sofisticação para a época era o painel de instrumentos completo, com relógio elétrico, indicadores de pressão do óleo, carga da bateria, termômetro e hodômetros parcial e total.

Detalhes como as luzes de cortesia no porta-malas, compartimento do motor e porta-luvas também eram pouco comuns nos anos 1970. E o Dart ainda contava com o miolo de ignição que permanecia iluminado por 20 segundos após a abertura da porta para auxiliar o motorista a dar a partida no motor em locais escuros.

O Dart foi produzido até 1981, gerando outros modelos, como o icônico Charger R/T. Feito na carroceria cupê, o esportivo copiava o estilo do Charger norte-americano e trazia uma versão mais potente do motor V8 (215 cv).

Veja abaixo algumas curiosidades do Dodge Dart brasileiro:

1969 – O Dodge Dart é lançado como modelo 1970, apenas com carroceria de quatro portas. Motor era o Magnum 5.2 V8, o único disponível durante a trajetória do modelo no país. O modelo era alinhado com o Dart norte-americano, o que era raro na época.

1970 – Chega ao mercado a versão Coupé, de duas portas e estilo mais arrojado, sem as colunas centrais e com as colunas traseiras mais inclinadas.

1971 – A carroceria do Dart Coupé foi a base para os esportivos Charger LS e R/T, ambos com versões mais potente do motor V8, chegando a 215 cv de potência. Direção hidráulica e câmbio automático passam a ser oferecidos como opcionais.

1973 – O melhor ano do Dart no mercado nacional, quando atingiu a marca de mais de 18 mil unidades vendidas. As mudanças feitas na linha 1973 foram as maiores até então, com nova grade dianteira, quadro de instrumentos redesenhado e o surgimento de duas versões mais refinadas: Gran Coupé e Gran Sedan.

1978 – Ao final do ano, a linha 1979 trouxe as maiores modificações na história do modelo. O Dart recebeu dianteira e traseira iguais às usadas nos últimos anos de produção nos Estados Unidos. Já as versões topo de linha Magnum (duas portas), Le Baron (quatro portas) e Charger ganharam uma frente inteiramente nova, desenvolvida no Brasil pelo designer Celso Lamas.

O Charger trazia as primeiras rodas de alumínio de um automóvel brasileiro de série, enquanto o Magnum tinha como opcional outra novidade no país: teto solar com comando elétrico.

1981 – São montados os últimos modelos da linha Dodge no Brasil, complementada pelo hatch Polara, pela picape D100 e caminhões. A Chrysler do Brasil havia sido comprada dois anos antes pela Volkswagen. A fábrica de São Bernardo do Campo foi usada pela empresa alemã para dar lugar à Volkswagen Caminhões.

O nome Dart ainda é muito forte na história da Dodge, a ponto de a marca batizar, nos Estados Unidos, um sedã médio com essa alcunha. O Dart moderno (foto acima) foi cogitado no Brasil após a fusão da Chrysler com a Fiat, mas saiu de linha em 2016 sem nunca ter dado as caras por aqui. O único representante da marca em nosso mercado é o crossover Journey, que serviu de base ao Fiat Freemont.

Fotos: Ivan Carneiro e Divulgação

Tags

Sobre o autor

Editor. Começou a trabalhar no Carsale em 2012, mas gosta e acompanha o universo automotivo desde que se conhece por gente. Prefere carros compactos e práticos, mas se diverte da mesma forma quando avalia um utilitário no fora-de-estrada ou acelera um superesportivo num autódromo.