Image

Primeiras impressões: Mercedes-Benz GLC 220d Enduro nem parece que é a diesel

24

out
2019

Lançado em 2015, o Mercedes-Benz GLC sofreu no começo deste ano a providencial reestilização de meio de ciclo de vida antes de ganhar uma nova geração. Junto com o novo visual, o SUV estreia no Brasil uma inédita motorização turbodiesel e novos equipamentos, entre eles a central multimídia MBUX com interação por comandos de voz. O motor a gasolina passa a ser exclusivo da versão GLC 300 Coupé.

As duas variantes de carroceria trazem novos faróis full LED e para-choque dianteiro e grade redesenhados. Na traseira, as lanternas de LED ganharam novo arranjo de luzes em formato retangular, enquanto as saídas de escape ficaram maiores. O desenho das novas rodas de liga leve de 19 polegadas muda de acordo com a versão.

Por dentro, as principais mudanças são o painel de instrumentos com tela digital de 12,3”, o novo volante com comandos táteis e a central multimídia MBUX de 10,25” e interface controlada por comandos de voz.

O equipamento permite ajustar a temperatura do ar-condicionado digital de duas zonas, escolher a emissora de rádio preferida, ver informações do computador de bordo ou até abrir o teto solar, entre outros comandos, sem precisar apertar uma única tecla. Basta dizer “Oi, Mercedes” para a multimídia perguntar o que o motorista deseja fazer.

As versões 220d Off-Road (R$ 294.900) e 220d Enduro (R$ 329.900) são sempre equipadas com o novo motor de quatro cilindros 2.0 turbodiesel, que entrega 194 cv de potência e 40,8 kgfm de torque. Associado a uma caixa automática de nove marchas e ao sistema de tração integral 4Matic, o propulsor permite ao SUV de 1.835 kg acelerar de 0 a 100 km/h em bons 7,9 segundos e atingir os 210 km/h de velocidade final (limitada eletronicamente). A Mercedes-Benz diz que essa motorização atende melhor quem pega estrada com frequência ou pretende blindar o carro.

Para atender à legislação de SUVs a diesel, mesmo sem contar com tração 4×4 reduzida, o GLC sofreu algumas mudanças no que diz respeito à altura de vão livre e aos ângulos de ataque e saída – por isso o para-choque dianteiro com a parte inferior mais recuada.

Como um bom Mercedes-Benz, o GLC 220d preza pela qualidade construtiva impecável, percebida no acabamento interno muito bem arrematado. Se disserem a um motorista menos atento que o SUV é movido a gasolina, ele certamente acreditará, uma vez que a ausência de vibrações e o baixo nível de ruído do motor a diesel surpreendem.

Painel digital e central multimídia MBUX são novidades, como o volante com comandos táteis

O GLC 220d roda suave, absorvendo praticamente todas as imperfeições do solo. Feito para entregar o conforto esperado por quem paga mais de R$ 300 mil por um carro, o SUV chega a ser ameno demais paras os que desejam um desempenho mais esperto. As respostas do motor têm um pequeno atraso em relação ao acelerador, por isso as arrancadas e retomadas não vêm com aquela patada nas costas dos ocupantes. O negócio aqui é aproveitar uma viagem confortável e silenciosa, pois autonomia é o que não falta. Rodamos pouco mais de 200 km, entre a capital e o interior paulista, e o computador de bordo dizia que ainda poderíamos viajar mais 600 km.

Durante o teste, o GLC 220d Enduro registrou marcas de 14 km/l, mesmo abusando de acelerações mais fortes no modo esportivo e rodando sem a menor preocupação em economizar combustível. Estimamos que o GLC a diesel faça médias na casa dos 18 km/l sem dificuldades numa tocada mais tranquila.

Já a configuração GLC 300 Coupé (R$ 362.900), que não estava disponível no teste-drive, mantém a proposta mais esportiva com o 2.0 turbo a gasolina. O propulsor foi melhorado para render 258 cv e 37,7 kgfm ante os 211 cv e 35,7 kgfm do modelo pré-facelift. Equipado com o mesmo câmbio e sistema de tração das versões a diesel, o SUV de visual descolado vai de 0 a 100 km/h em 6,3 segundos e chega aos 240 km/h de máxima.

GLC 300 Coupé é vendido apenas com motor 2.0 turbo a gasolina de 258 cv

Além do painel digital, da central multimídia MBUX, do ar digital de duas zonas e os faróis de LED, o pacote “básico” do GLC 220d Off-Road traz câmera de ré, sensores de estacionamento, chave presencial, bancos de couro, sensor de ponto cego, assistente de manutenção em faixa e sete airbags, além de comodidades como acionamento elétrico da tampa do porta-malas (550 litros) e do engate (a peça fica escondida atrás do para-choque e “aparece” ao toque de um botão). A versão 220d Enduro acrescenta controle de cruzeiro adaptativo, câmera 360º, carregador de celular por indução, sistema de som premium Burmester, teto solar panorâmico e assistente de estacionamento automático.

O GLC Coupé 300 conta com os mesmos itens da Enduro 220d, mais rodas aro 20”, suspensão com ajuste esportivo e grade frontal com desenho próprio.

Bem equipado, confortável e agradável de guiar, o GLC 220d tem qualidades para cativar ainda mais os fãs e clientes da Mercedes. Entretanto, vai ser difícil quem busca por um SUV de luxo movido a diesel não ficar balançado diante do Volvo XC60 D5, que traz um arsenal completo de tecnologias de condução semi-autônoma e motor mais potente a partir R$ 281.950.

Teste-drive a convite da Mercedes-Benz
Fotos: Divulgação

FICHA TÉCNICA
 
CarroceriaMonobloco em aço, cinco portas, cinco lugares
MotorDianteiro, longitudinal, injeção direta, turbo, intercooler, a diesel
Número de cilindros4
Número de válvulas16 (quatro por cilindro)
Taxa de compressão16,2:1
Cilindrada1.950 cm³
Potência 194 cv a 3.800 rpm
Torque40,8 kgfm entre 1.600 e 2.800 rpm
TransmissãoAutomática de 9 marchas
TraçãoIntegral
DireçãoElétrica
Suspensão dianteiraIndependente, braços sobrepostos
Suspensão traseiraIndependente, braços sobrepostos
Pneus e rodas235/55 R19, liga leve 19"
Freios dianteirosDiscos ventilados com ABS e EBD
Freios traseirosDiscos ventilados com ABS e EBD
Tanque de combustível 66 litros
Volume do porta-malas550 litros
Altura1,64 m
Comprimento4,65 m
Largura1,89 m (sem espelhos)
Entre-eixos 2.87 m
Peso em ordem de marcha1.835 kg
Aceleração 0 a 100 km/h (dado de fábrica)7,9 segundos
Velocidade máxima (dado de fábrica)210 km/h (limitada eletronicamente)

Sobre o autor

Editor. Começou a trabalhar no Carsale em 2012, mas gosta e acompanha o universo automotivo desde que se conhece por gente. Prefere carros compactos e práticos, mas se diverte da mesma forma quando avalia um utilitário no fora-de-estrada ou acelera um superesportivo num autódromo.