Image

Ford desafia demanda por SUVs e insiste em minivans na Europa

10

out
2019

Mesmo com a crescente demanda pelos SUVs em todo o mundo, a Ford continua apostando nas minivans. Após tirar de linha, em alguns mercados, modelos consagrados – como Fiesta, Focus e Fusion – e definir que apostará em utilitários esportivos, picapes e veículos eletrificados, a marca lança na Europa a linha 2020 dos monovolumes S-Max e Galaxy.

As mudanças são basicamente estéticas, com discretos retoques na grade frontal, para-choque e faróis full LED redesenhados. Agora, as minivans podem ser configuradas na versão de luxo Vignale, que traz interior mais sofisticado, com direito a acabamento em alumínio, painel revestido de couro, sistema multimídia com internet sem fio para os passageiros e bancos com massageador, aquecimento e ventilação.

Dependendo da versão, as minivans podem ser equipadas com rodas de liga leve de 15, 17, 18 ou até 20 polegadas de diâmetro (disponível na Galaxy Titanium).

Ambas são construídas a partir da plataforma CD4 (mesma base do Fusion). A S-Max mede 4,80 metros de comprimento e é oferecida em versões para cinco e sete ocupantes. Cinco centímetros mais comprida, a Galaxy é vendida somente com sete lugares.

A única motorização disponível para as minivans é a EcoBlue 2.0 turbodiesel, com variantes de 150 cv, 190 cv e 240 cv. A menos potente pode ser combinada a uma caixa manual de seis marchas, mas a Ford oferece um câmbio automático de oito velocidades para todas as configurações.

A tração é sempre dianteira, no entanto, o motor de 190 cv pode combinar a transmissão automática com o sistema de tração integral.

A Ford diz que a S-Max 2.0 turbodiesel de 150 cv com câmbio manual e tração dianteira pode fazer surpreendentes 16,9 km/l na cidade, 22,7 km/l na estrada e 20,4 km/l em ciclo combinado.

Fotos: Divulgação

Tags