Image

Novos Audi A6 e A7 equivalem a apartamento com um Fiat Mobi 0km na garagem

22

set
2019

A Audi segue a sua estratégia de lançamentos no Brasil com a nova geração dos sedãs A6 e A7 Sportback, apostando em tecnologia e estilo para conquistar potenciais clientes dos também germânicos BMW Série 5 e Mercedes-Benz Classe E. Partindo de R$ 426.990, o A6 ostenta linhas mais tradicionais de sedã executivo, enquanto o A7 cobra R$ 456.990 pela aparência de cupê, mais descolada e esportiva.

Tirando as diferenças visuais, ambos compartilham a moderna plataforma modular MLB-Evo para motores longitudinais, também usada em modelos da Bentley, Lamborghini, Porsche e Volkswagen.

O conjunto mecânico também é idêntico. O motor é o 3.0 V6 turbo (o mesmo dos SUVs Audi Q8 e da versão de entrada do Porsche Cayenne), que entrega 340 cv de potência e 51 kgfm de torque. A transmissão automatizada de sete marchas e dupla embreagem gerencia essa força às quatro rodas por meio do sistema de tração integral quattro.

Para aliviar o consumo do V6 turbo, um sistema híbrido leve alimentado por baterias de íons de lítio usa um superalternador para suprir o sistema elétrico de 48 volts. Essa tecnologia permite aos sedãs rodarem por alguns quilômetros apenas com eletricidade a velocidades entre 55 km/h e 160 km/h para economizar gasolina.

Segundo a Audi, A6 e A7 aceleram de 0 a 100 km/h em 5,1 e 5,3 segundos, respectivamente. A velocidade máxima, limitada eletronicamente, segue o tradicional acordo de cavalheiros firmado entre as marcas alemãs: 250 km/h.

Tivemos um rápido contato com o novo A7 Sportback pelo Aterro do Flamengo e ruas da zona sul do Rio de Janeiro. Nesse, digamos, passeio, o sedã honrou o histórico de carros bem construídos e bons de guiar das marcas premium alemãs. Apesar das rodas de 20 polegadas e dos pneus de perfil baixo, o A7 roda macio e silencioso.

A cabine muito bem acabada em couro e alumínio escovado reforça essa impressão de sedã executivo. O toque tecnológico é dado pelas telas digitais configuráveis de 12,3 polegadas do painel de instrumentos Virtual Cockpit e da central multimídia (10,1”) compatível com smartphones – dispositivos Apple podem ser espelhados via Bluetooh.

Logo abaixo, uma terceira tela de 8,6” comanda o ar-condicionado de quatro zonas e o sistema start-stop. Solução parecida com o dos novos Range Rover Evoque e Velar.

Infelizmente não rodamos com o A7 em estradas, ambiente mais propício para aproveitar o fôlego do motorzão de 340 cv, uma vez que os 51 kgfm de torque disponíveis abaixo de 1.400 rpm são mais que suficientes para dar agilidade à “barca” de quase 5 metros de comprimento e duas toneladas.

O controle de cruzeiro adaptativo também colabora para essa tocada mais tranquila, mantendo sozinho a velocidade máxima e a distância em relação ao veículo da frente previamente estipuladas pelo motorista. O sistema de condução semiautônomo ainda assume a direção do carro em curvas leves por alguns segundos e até corrige a trajetória em caso de mudança involuntária de faixa.

Tanto o A6 quanto o A7 são bem equipados, trazendo de série assistência de estacionamento (Park Assist), monitoramento de pressão dos pneus, alerta de tráfego traseiro, carregamento de smartphones sem fio, sistema de som premium Bang & Olufsen, faróis de LED com acendimento automático, entre outros.

No entanto, os itens mais interessantes são cobrados à parte. O Head-up Display, que projeta as informações do painel de instrumentos no para-brisa, sai por R$ 10 mil extras. O assistente de visão noturna custa mais R$ 16 mil. Já os belos faróis de LED Matrix, que fazem o efeito “cortina de teatro”, são oferecidos por R$ 13 mil. Somados, esses equipamentos saem por R$ 39 mil, valor suficiente para comprar um Fiat Mobi Easy Comfort zero quilômetro (R$ 38.990).

Completos, A6 e A7 Sportback chegam a custar, respectivamente, R$ 465.990 e R$ 495.990, quantias equivalentes a um apartamento com um carro popular na garagem.

Deixando essa conta de lado, a sofisticada dupla de sedãs da Audi atende muito bem, em termos de conforto, segurança e tecnologia, quem tem condições de bancar meio milhão de reais por um automóvel.

Viagem a convite da Audi
Fotos: Divulgação e Guilherme Silva

FICHA TÉCNICA

Audi A7 Sportback 2019
 
CarroceriaMonobloco em aço, quatro portas, cinco lugares
MotorDianteiro, longitudinal, injeção direta e indireta, turbo, duplo comando variável de válvulas de admissão e escape acionado por corrente, a gasolina
Número de cilindros6 em V
Número de válvulas24 (quatro por cilindro)
Taxa de compressão11,2:1
Cilindrada2.995 cm³
Potência 340 cv a 5.000 rpm
Torque51 kgfm entre 1.370 e 4.500 rpm
TransmissãoAutomatizada de sete marchas e dupla embreagem
TraçãoIntegral
DireçãoElétrica
Suspensão dianteiraIndependente braços sobrepostos
Suspensão traseiraIndependente multilink
Pneus e rodas255/40 R20, liga leve
Freios dianteirosDiscos ventilados com ABS e EBD
Freios traseirosDiscos ventilados com ABS e EBD
Tanque de combustível 73 litros
Volume do porta-malas535 litros
Altura1,42 m
Comprimento4,97 m
Largura1,90 m (sem espelhos)
Entre-eixos 2,93 m
Peso em ordem de marcha1.965 kg
Ângulo de entrada12,4º
Ângulo de saída14,1º
Diâmetro de giro12,2 m
Aceleração 0 a 100 km/h (dado de fábrica)5,3 segundos
Velocidade máxima (dado de fábrica)250 km/h

Sobre o autor

Editor. Começou a trabalhar no Carsale em 2012, mas gosta e acompanha o universo automotivo desde que se conhece por gente. Prefere carros compactos e práticos, mas se diverte da mesma forma quando avalia um utilitário no fora-de-estrada ou acelera um superesportivo num autódromo.