Image

Quem vê cara não vê coração: novo Hyundai HB20 evolui no que realmente importa

19

set
2019

Sete anos após o Hyundai HB20 revolucionar o segmento de compactos com desenho marcante e alguns refinamentos até então presentes apenas em carros de categorias superiores, a marca sul-coreana faz uma aposta ousada ao mexer no visual do modelo pensado para agradar o público brasileiro. Embora as linhas inspiradas nos últimos Elantra e Sonata lançados no exterior sejam controversas, o novo HB20 chega com atributos capazes de convencer quem prioriza conteúdo e dinâmica a estilo.

+Novo Hyundai HB20 vai de R$ 46.490 a R$ 81.290; confira os preços de todas as versões

Falando inicialmente do visual, o novo HB20 é mais bonito que nas fotos. Nas primeiras imagens divulgadas pela Hyundai nos últimos dias, alguns detalhes pareciam desproporcionais, provocando uma enxurrada de críticas dos leitores aqui no site e nas redes sociais. O HB20, de fato, perdeu a personalidade do carro lançado em 2012, mas ainda foge dos traços genéricos dos outros modelos de sua categoria.

A frente mais baixa e bicuda chega a lembrar o Ford New Fiesta, apesar da grade exagerada e dos faróis recortados. Na traseira, as lanternas em posição mais baixa causam certo estranhamento quando comparamos com o HB20 anterior.

Já o interior é a parte melhor resolvida. A cabine é bem montada com materiais de boa qualidade, mesmo com a predominância de plástico rígido. No HB20 hatch, a Hyundai aplica peças e revestimentos dos bancos nas cores preta ou marrom, dependendo da versão. No entanto, a tonalidade cinza exclusiva do sedã HB20S é a que passa maior sensação de refinamento. No caso das versões mais caras, há até um visor digital entre os comandos do ar-condicionado, artifício usado para dar um ar mais sofisticado apesar de o climatizador ser analógico.

A Hyundai trata o novo HB20 como uma segunda geração, embora a antiga plataforma tenha servido de base para a estrutura atual. A fabricante elevou de 19% para 30% o uso de aços de alta resistência e aplicou novos pontos de fixação na carroceria. Com a rigidez torcional aprimorada em 17%, foi possível espichar o entre-eixos em 3 centímetros (2,53 metros).

Externamente, o hatch está 2 centímetros mais comprido (3,94 m) e largo (1,70 m), porém, manteve os 1,47 m de altura. No aventureiro HB20X, essas medidas são um pouco maiores por conta dos adereços estéticos: 3,97 m e 1,74 m, respectivamente. Em ambos os casos, o porta-malas continua com 300 litros de capacidade.

No sedã HB20S, o ganho foi de 3 centímetros no comprimento (4,26 m) e os mesmos 2 cm do hatch na largura (1,72 m). O porta-malas teve a capacidade ampliada em 25 litros, totalizando 475 litros (ante os 469 litros do Chevrolet Onix Plus).

No geral, o compacto está mais espaçoso, principalmente para os passageiros traseiros, tanto na distância das pernas em relação aos encostos dos bancos dianteiros quanto lateralmente.

1.0 TURBO ANDA JUNTO COM O 1.6
A versão Diamond Plus, a única disponibilizada no evento de lançamento, é equipada com o inédito motor TGDI 1.0 turbo flex de três cilindros com injeção direta, que entrega 120 cv de potência a 6.000 rpm e 17,5 kgfm de torque (entre 1.500 e 3.500 rpm). Com esse propulsor, o HB20 é ágil desde baixas rotações, embalando rápido e executando ultrapassagens com segurança. Nessas condições, é possível notar que o hatch é mais espertinho que o sedã devido a diferença de peso (cerca de 30 kg).

O bom acerto do câmbio automático também contribui para esse comportamento. Caso o condutor opte por uma tocada mais ousada, é possível esticar qualquer uma das seis marchas – embora o nível de ruído e aspereza seja um tanto elevado se comparado aos motores tricilíndricos turbo da concorrência.

De acordo com os dados de fábrica, o HB20 turbo acelera de 0 a 100 km/h em 10,7 segundos e atinge a velocidade máxima de 190 km/h. O desempenho é idêntico ao do motor 1.6 16V aspirado (10,5 segundos e 191 km/h, respectivamente), que passa a render 130 cv a 6.000 rpm e 16,5 kgfm a 4.500 rpm com a adoção de duplo comando variável de válvulas.

As suspensões recalibradas e a direção elétrica, que substitui o sistema hidráulico, combinam com essa performance. O conjunto proporciona um rodar mais confortável em pisos irregulares e maior precisão nas curvas e mudanças de direção mais bruscas.

Na versão testada, o HB20 conta com a frenagem automática de emergência. O recurso de segurança aciona os freios automaticamente a velocidades entre 5 km/h e 50 km/h para evitar acidentes ou reduzir danos em impactos frontais. No exercício promovido pela Hyundai na pista de um aeroporto privado, o sistema parou o carro com segurança ao se aproximar de uma barreira acolchoada.

O pacote de segurança ainda disponibiliza controles eletrônicos de estabilidade e tração e quatro airbags (dois frontais e dois laterais).

Visualmente polêmico, o novo HB20 evoluiu onde mais importa: espaço interno, tecnologia, equipamentos de segurança e motorizações. Apesar do bom conteúdo, a versão topo de linha (R$ 77.990) chega consideravelmente mais cara que a configuração equivalente da nova geração do Chevrolet Onix (R$ 72.990). Além disso, o principal concorrente também estreia com motor turbo, conteúdo renovado e mais dois airbags (de cortina).

O jornalista viajou a convite da Hyundai
Fotos: Divulgação

FICHA TÉCNICA
 
CarroceriaMonobloco em aço, cinco portas, cinco lugares
MotorDianteiro, transversal, injeção direta, turbocompressor, duplo comando variável de válvulas de admissão e escape, a etanol e/ou gasolina
Número de cilindros4
Número de válvulas16 (quatro por cilindro)
Taxa de compressão10,5:1
Cilindrada998 cm³
Potência 120 cv a 6.000 rpm
Torque17,5 kgfm entre 1.500 e 3.500 rpm
TransmissãoAutomática de seis marchas
TraçãoDianteira
DireçãoElétrica
Suspensão dianteiraIndependente McPherson
Suspensão traseiraEixo de torção
Pneus e rodas185/60 R16, liga leve 15"
Freios dianteirosDiscos ventilados com ABS e EBD
Freios traseirosTambores com ABS e EBD
Tanque de combustível 50 litros
Volume do porta-malas300 litros
Altura1,47 m
Comprimento3,94 m
Largura1,72 m (sem espelhos)
Entre-eixos 2,53 m
Peso em ordem de marcha1.091 kg
Carga útil419 kg
Altura livre do solo160 mm
Aceleração 0 a 100 km/h (dado de fábrica)10,7 segundos
Velocidade máxima (dado de fábrica)190 km/h

Sobre o autor

Editor-assistente. Gosta e acompanha o universo automotivo desde que se conhece por gente. Prefere carros compactos e práticos, mas sempre se diverte quando precisa avaliar um utilitário no fora-de-estrada ou acelerar um superesportivo num autódromo.