Image

GM começa a “normalizar” o carro elétrico com SUV inédito da Chevrolet

14

ago
2019

Pouco depois de anunciar a estreia do elétrico Chevrolet Bolt no mercado brasileiro, a General Motors prepara um novo EV (“electric vehicle”) para mercados não-ocidentais: trata-se do Chevrolet Menlo, destinado inicialmente à China — mas com toda a pinta de ser um produto global, destinado a construir uma “normalidade elétrica” para a indústria automotiva.

O SUV/crossover conta com motor elétrico capaz de gerar 174 cv de potência. No entanto, informações específicas sobre o hardware elétrico, o tempo de carga/recarga e mesmo a autonomia ainda não foram reveladas. Uma referência possível é o Buick Velite 6, primeiro EV da marca intermediária da General Motors (que é fortíssima na China): ele entrega 301 km de autonomia com uma carga da bateria.

O Menlo (referência a uma cidade americana vizinha de San Francisco, Palo Alto e Stanford, num claro aceno ao Vale do Silício e seus millenials) traz uma silhueta bastante convencional em termos de SUVs e crossovers contemporâneos (como o Trailblazer), e nisso se diferencia do Velite 6, que parece mais uma perua alongada. A dianteira do Menlo lembra carros da Tesla, já que a grade frontal que assina os atuais modelos Chevrolet é desnecessária num EV. A traseira remete ao já citado Bolt.

De acordo com informações ainda extra-oficiais, o Menlo tem 4,66 metros de comprimento, 1,81 m de largura e 1,51 m de altura — portanto, é 25 cm maior que o Jeep Compass. Dentro da atual gama Chevrolet, ele se posicionaria entre Tracker e Equinox.

Vale notar que o Buick Velite 6 estreou na China em maio e, no primeiro mês no mercado, emplacou cerca de 500 unidades. Para um EV, é um grande resultado — e, como o Menlo deve chegar às lojas mais barato que o “primo”, a perspectiva é de bons resultados nos emplacamentos. A GM, dona de Chevrolet e Buick, opera na China em regime de joint-venture com a montadora local SAIC, baseada em Xangai. Esse modelo de negócios é obrigatório na China quando há uma empresa estrangeira envolvida.

Imagens: reprodução