Image

Série limitada do Mercedes-AMG GT esgota no Brasil; cada carro custou R$ 1,7 milhão

07

ago
2019

A Mercedes-Benz traz ao Brasil — e já vendeu todo o estoque — o superesportivo Mercedes-AMG GT na versão limitada R PRO. Trata-se do principal modelo com assinatura conjunta da marca alemã e sua co-irmã de performance, agora numa variação que o aproxima das pistas de competição.

Com motor V8 de 4 litros com duas turbinas, capaz de gerar 585 cavalos de potência e 71,4 kgfm de torque máximo (despejado nas rodas já a 1.900 rpm), o GT R PRO vai de 0 a 100 km/h em 3,6 segundos, com velocidade máxima — liberada de controles instados em carros alemães — de 318 km/h. O câmbio é automático de sete velocidades.

O superesportivo teve conceitos dos carros de pista AMG GT3 e GT4 incorporados ao seu projeto. Para os privilegiados que puderem comprá-lo e levá-lo a uma pista, um dos brinquedinhos tecnológicos oferecidos de série é o Track Pace, capaz de analisar e processar cerca de 80 parâmetros de performance (aceleração, velocidade etc.) e mostrar ao motorista comparações instantâneas entre voltas, por exemplo.

O Mercedes-AMG GT R PRO traz seis modos de condução (tem os óbvios, como Sport e Comfort, mas também tem o Slippery, para pisos escorregadios) e um sétimo programa, AMG Dynamics, que subdivide-se em quatro outros modos.

Ou seja: é garantido que os novos donos do carro jamais vão conseguir usar nem uns 10% da tecnologia de mobilidade radical que o superesportivo entrega. E não é moleza tentar, já que o carro tem apenas 1,28 metro de altura. Uma pessoa de 1,80 metro fica mais de meio metro sobrando na hora de embarcar.

Segundo a Mercedes do Brasil, apenas 750 unidades do GT R PRO foram fabricadas para atender à demanda global. Cada brasileiro que comprou um (a Mercedes não disse quantos) pagou R$ 1.699.900.

Imagens: divulgação