Image

Honda Civic 2020, com retoques e somente câmbio CVT, parte de R$ 97.900

07

ago
2019

A Honda apresentou nesta quarta-feira (7) a linha 2020 do Civic. O sedã ganhou mudanças discretas no visual e uma noa versão de entrada, a LX, que vai partir de R$ 97.900 com a promessa de melhorar o custo/benefício do modelo — a versão de topo custa quase R$ 135 mil.

O Civic LX inclui itens como ar-condicionado digital, freio de estacionamento eletrônico com assistente de aclive, controle de cruzeiro, modo de condução econômico (ECON), vidros elétricos com função one touch, sistema de áudio (com display de 5 polegadas; a partir da versão seguinte, a tela é tátil de 7 polegadas e o sistema é multimídia, com Apple CarPlay e Android Auto), comandos no volante, câmera traseira, rodas de liga de 17 polegadas e transmissão CVT — que, aliás, é a única disponível em toda a gama. Não há mais Civic manual.

Curiosamente, no mesmo dia em que a Honda anunciava a gama 2020 de seu mais icônico produto, a General Motors resolveu contra-atacar dando alguns detalhes do novo Chevrolet Cruze, que oferecerá WiFi a bordo (algo que não consta dos pacotes do Civic). O arquirrival do Civic, o Toyota Corolla, ainda está na linha 2019 e logo mais mudará completamente na linha 2020 (por ora, parte de R$ 79.900 e chega a R$ 111.990).

Veja na ilustração abaixo as principais novidades de cada uma das versões do Civic (cada uma delas acumula o conteúdo da imediatamente anterior com novos itens), e logo abaixo confira os preços:

Civic LX: R$ 97.900
Sport: R$ 104.100
EX: R$ 107.600
EXL: R$ 112.600
Touring: R$ 134.900

O Civic traz sob o capô o motor 2.0 i-VTEC FlexOne, com 155 cavalos de potência (a 6.300 rpm) e 19,5 kgfm de torque (a 4.800 rpm) quando abastecido com etanol, nas versões LX, EX, EXL e Sport. Como citado acima, a transmissão é do tipo continuamente variável, com simulação de sete marchas (fora a LX, todas as versões possuem aletas atrás do volante).

A versão topo, a Touring, que (como no caso do HR-V) provavelmente receberá críticas pelo preço talvez exagerado, traz o propulsor 1.5 turbo com injeção direta e variação de tempo de abertura de válvulas, que gera 173 cv (a 5.500 rpm) e torque linear de 22,4 kgfm (entre 1.700 rpm e 5.500 rpm). O câmbio também é CVT.

ESTILO — As mudanças no visual da linha 2020 do Civic são descritas pela própria Honda como “pontuais”. A dianteira ganhou parachoque mais horizontalizado, e as versões LX, EX, EXL e Touring trazem grade frontal e molduras laterais com acabamento cromado. As rodas de liga-leve de dez raios são de 17 polegadas e possuem acabamento em grafite brilhante. A traseira de todas as versões recebeu acabamento cromado na parte inferior, cuja proposta é fazer o carro parecer mais largo.

As versões mais caras, EXL e Touring, têm as colunas de portas em preto brilhante. A versão Sport, que é uma espécie de pseudo-Si, tem acabamentos frontais e retrovisores em preto brilhante, além de um defletor traseiro. As rodas têm cinco raios e acabamento diamantado escurecido.

Na cabine, as versões LX e Sport possuem bancos em tecido preto, e todas as outras oferecem revestimento em couro (preto ou cinza, dependendo da cor externa).

ASSISTA AO VÍDEO OFICIAL DO SEDÃ:

SEGURANÇA — Todas as versões do Civic 2020 trazem airbags frontais, laterais e de cortina, controle de tração e estabilidade, sistema de partida em aclive, distribuição de torque em frenagens, luz de frenagem de emergência, freios com ABS e EBD, luzes diurnas (DRL) e lanternas traseiras em LED. No entanto, o número de itens tecnológicos ligados à condução semi-autônoma, e que de um modo geral estão conectados ao pacote de segurança, é — literalmente — zero.

Imagens: divulgação