Image

Fiat Grand Siena pode ser preparado para GNV de fábrica

30

abr
2019

A Fiat está relançando, em partes, no Brasil a tecnologia Tetrafuel, que permite o abastecimento de veículos flex com gás natural veicular (GNV). Agora, o veterano Grand Siena pode ser equipado de fábrica com um kit de conversão que permite o uso do GNV, vendido como opcional de R$ 690, além dos R$ 54.990 iniciais pedidos pela versão Attractive 1.4 (totalizando R$ 55.680).

Para ser abastecido com GNV, o Grand Siena recebeu algumas modificações: o cabeçote do motor tem válvulas e sedes de válvulas que são produzidos com material mais resistente e com nova geometria, garantindo durabilidade e confiabilidade.

O coletor de aspiração foi projetado para receber na posição correta os bicos injetores de gás. Isso traz mais segurança e maior rendimento para a conversão, pois melhora o enchimento do motor e a formação da mistura ar-combustível. Essas modificações garantem a vida útil do motor bem como evitam uma maior depreciação do veículo optar pela transformação, segundo a Fiat.

Além da modificação para GNV, o Grand Siena é equipado de série com ar-condicionado, direção hidráulica, vidros elétricos dianteiros com função um-toque e sensor antiesmagamento, lane change (função auxiliar para acionamento das setas indicando trocas de faixa), computador de bordo, alertas de limite e manutenção programada de velocidade.

O motor é o conhecido Fire EVO 1.4 de 8 válvulas, que também pode ser abastecido com etanol e/ou gasolina em qualquer proporção, como um carro flex convencional. O propulsor rende 85 cv com gasolina ou 88 cv quando abastecido com etanol. Utilizando GNV, a potência cai para 75 cv.

Diferentemente da tecnologia Tetrafuel, lançada em 2006 no Siena, o comprador do Grand Siena terá de adquirir o kit GNV à parte (cilindros de armazenamento e demais componentes), contando apenas com a preparação do motor do veículo. A Fiat diz que oferece a manutenção da garantia original de um ano do sistema instalado em empresas certificadas pelo Inmetro.

Siena 2006 com tecnologia Tetra Fuel

Tecnologia Tetra Fuel, lançada em 2006 no Siena, trazia os cilindros de armazenamento e outros componentes

Vantagens do GNV
O GNV compensa para quem roda bastante por ser mais barato que os demais combustíveis – e ainda emite menos poluentes. Caso esteja em uma região sem postos de GNV, o motorista pode abastecer o carro com etanol ou gasolina sem problemas. Alguns estados brasileiros ainda dão desconto no IPVA para os veículos convertidos para o gás natural veicular.

Desvantagens do GNV
O dono do veículo terá de desembolsar – além das despesas de instalação do kit – para alterar a documentação do veículo. Carros zero quilômetro perdem a garantia de fábrica, e ainda há redução do espaço do porta-malas para acomodar os cilindros – embora alguns modelos possibilitem a instalação sob o veículo. Existe ainda a possibilidade de aumento nos gastos de manutenção por conta do desgaste prematuro de alguns componentes do motor.

Economia
A conta varia de acordo com o preço dos combustíveis nos postos. Segundo a Companhia de Gás de São Paulo, o GNV tem um rendimento 30% superior ao da gasolina e pode rodar até 50% a mais que o etanol. Mas esses números variam com as condições de uso do veículo e da condução do motorista.

Perda de potência
Embora seja mais econômico que os outros combustíveis, o GNV tem rendimento inferior. Considerando o kit Geração 5, a perda de potência fica em torno de 3% em relação a um carro abastecido com gasolina.

Fotos: Divulgação