Image

Salão de Xangai: as novidades que interessam ao Brasil

16

abr
2019

Muitas marcas estão aproveitando a edição deste ano do Salão de Xangai não apenas para apresentar novidades ao mercado chinês, mas também para antecipar futuros lançamentos que chegarão por aqui em breve. Listamos abaixo os modelos que já estão – ou serão – confirmados para estrearem em nosso mercado nos próximos anos; confira:

Chevrolet Onix SedanUma das grandes apostas da nova fase da General Motors no Brasil, o sedã foi parcialmente revelado à imprensa especializada em um evento na semana passada. O modelo conviverá com a atual geração do Prisma em nosso mercado, posicionado como uma opção abaixo do Cruze, uma vez que o Cobalt será aposentado em 2020.

O Onix Sedan brasileiro terá algumas diferenças em relação ao chinês (acabamento, nível de equipamentos), mas já se sabe que ele estreará em nosso mercado, no segundo semestre, a motorização 1.0 turbo de três cilindros. Na China, esse propulsor rende 115 cv de potência movido apenas a gasolina. Por aqui ele terá tecnologia bicombustível e será oferecido com transmissão automática de seis marchas. O Onix Sedan nacional também terá uma opção de motor aspirado (de litragem ainda não revelada).

Chevrolet TrackerAssim como o Onix Sedan, o SUV compacto também é derivado da plataforma GEM, desenvolvida para mercados emergentes. A novidade será feita em São Caetano do Sul (SP) em 2020 para substituir o Tracker atual, importado do México. Medindo, 4,27 metros de comprimento, 1,79 m de largura, 1,62 m de altura e 2,57 m de distância entre-eixos, o novo Tracker competirá no segmento atualmente dominado por Jeep Renegade, Honda HR-V, Hyundai Creta e Nissan Kicks.

A motorização deverá ser a mesma do Onix Sedan: 1.0 turbo flex (com potência variando entre 115 cv e 125 cv) e câmbio automático de seis marchas. É provável que o 1.3 turbo de 164 cv do modelo chinês também seja oferecido por aqui.

Ford EscapeRecém-apresentado nos Estados Unidos e na China, o Escape é o primeiro modelo global construído sobre a nova plataforma modular e considerado o mais importante produto da atual fase da empresa, dedicada a SUVs e picapes.

Cotado para ser vendido no Brasil para competir na categoria do Jeep Compass, a partir de 2020, o Escape conta com uma variada gama de motores a gasolina, que inclui um 1.5 turbo de três cilindros, um 2.0 turbo de quatro cilindros, além de variantes híbrida e híbrida plug-in com um 2.5 aspirado. As possíveis especificações para o mercado brasileiro não foram reveladas.

Embora o visual mais harmônico do Escape chinês ter maior potencial para agradar o público brasileiro, caso seja vendido em nosso mercado, o SUV deverá ser importado dos Estados Unidos – apesar de rumores afirmarem que o modelo substituirá o Focus na linha de produção da fábrica da Ford na Argentina.

Hyundai ix25/CretaA nova geração do SUV compacto chamou a atenção no Salão de Xangai pelo visual polêmico (para não falar outra coisa). Seguindo a nova identidade visual da marca, o modelo adota conjunto óptico de LED dividido em dois blocos, separados pela enorme grade frontal cromada. A chegada do SUV por aqui ainda é incerta – uma vez a geração atual do Creta é um lançamento recente em nosso mercado -, mas pode influenciar uma reestilização no modelo nacional.

Na China, o novo ix25 deverá manter as motorizações 1.6 de 125 cv, com câmbio manual ou automático de seis marchas, e 1.4 turbo de 130 cv com transmissão automatizada de dupla embreagem e sete velocidades.

Nissan SentraA nova geração do carro mais vendido na China foi apresentada com um visual que foge da atual aparência sisuda. O novo Nissan Sentra (chamado por lá de Sylphy) estreia com uma pegada mais esportiva, mirando as últimas gerações dos conterrâneos Honda Civic e Toyota Corolla. Para os chineses, o sedã será vendido com uma versão atualizada do motor 1.6 HR16DE a gasolina, que rende 139 cv de potência, combinado a uma caixa automática CVT. A Nissan ainda não confirmou, mas o novo Sentra deverá chegar ao Brasil a partir de 2020, importado do México (que também abastece os Estados Unidos).

Renault Kwid elétricoBatizado de City K-ZE, o compacto poderia ser mais uma opção elétrica da Renault em nosso país, uma vez que já comercializa os modelos Twizzy e Zoe. A marca não divulgou detalhes de autonomia e de potência das baterias, mas diz que elas podem ser totalmente recarregadas em quatro horas, usando uma tomada de 220V – no sistema de recarga rápida, o tempo cai para 50 minutos para disponibilizar 80% da capacidade.

Nesta versão, o Kwid conta com painel de instrumentos totalmente digital com indicador de carga das baterias, além de central multimídia com tela de 8 polegadas e internet sem fio 4G.

Devido o peso das baterias, o “SUV dos compactos” teve a altura livre do solo reduzida de 18 cm para 15 cm. Em contrapartida, o porta-malas ganhou 10 litros de capacidade (chegando a 300 litros) possivelmente pela eliminação do tanque de combustível no assoalho.

CAOA Chery Arrizo 5e (elétrico) e SUV híbridoSegundo o UOL Carros, a empresa anunciou a fase inicial da eletrificação de seus modelos no Brasil, começando pelo sedã Arrizo 5e. O modelo ainda não teve suas especificações reveladas, mas deverá ter autonomia de aproximadamente 400 quilômetros por carga. A previsão da CAOA Chery é cobrar um valor abaixo dos R$ 140 mil pelo sedã elétrico.

Outra novidade movida a eletricidade que a marca pretende vender por aqui é um SUV híbrido cujo modelo ainda não foi revelado. O mais cotado para receber baterias é o Tiggo 7, com condições de chegar ao consumidor na faixa dos R$ 150 mil.

Fotos: Divulgação, AutoHome e Newspress