Image

Comparamos os carros mais baratos no Brasil e nos EUA: quem paga mais?

29

mar
2019

A discussão sobre o suposto alto preço dos carros no Brasil vem de longa data e parece longe de terminar. Para colocar gasolina na fogueira, o Carsale selecionou os três carros mais baratos à venda no Brasil e nos Estados Unidos atualmente.

Todos os modelos listados são considerados de porte pequeno localmente. Entraram na comparação somente marcas presentes nos dois mercados. Estão na lista carros de Chevrolet, Nissan, Fiat, Hyundai, Mitsubishi e Renault — esta última não vende carros aos americanos, mas integra aliança com a Nissan. Modelos de marcas chinesas oferecidos no Brasil ficaram de fora; um deles, o Chery QQ, que custa pouco menos de R$ 28 mil, é o carro mais barato do país.

Veja abaixo o trio de “pechinchas” de cada mercado, e depois uma análise ligeira do que os números significam. Para facilitar, a conversão de dólar para real considerou taxa de câmbio de 1 para 4 (US$ 1 = R$ 4), compatível com a verificada na última semana.

BRASIL


1) Renault Kwid Life

Preço: R$ 32.650
Conversão: US$ 8.160
Motor e câmbio: 1.0, manual
Equipamentos: este carro NÃO TEM ar-condicionado, computador de bordo, limpador traseiro, travamento central das portas, apoios de cabeça traseiros, vidros elétricos, assistência à direção ou sistema de som.


2) Fiat Mobi Easy

Preço: R$ 32.990
Conversão: US$ 8.250
Motor e câmbio: 1.0, manual
Equipamentos: este carro NÃO TEM ar-condicionado, ar quente, limpador e desembaçador traseiros, travamento central das portas, assistência à direção ou sistema de som.


3) Hyundai HB20 Unique

Preço: R$ 44.490
Conversão: US$ 11.120
Motor e câmbio: 1.0, manual
Equipamentos: versão traz de série ar-condicionado, direção hidráulica, travamento das portas, computador de bordo, sistema de som com Bluetooth.

ESTADOS UNIDOS


Nissan Versa Sedan S

Preço: US$ 12.360
Conversão: R$ 49.440
Motor e câmbio: 1.6, manual
Equipamentos: ar-condicionado, direção elétrica, controle de tração e estabilidade, sensor de pressão dos pneus, sistema de som com Bluetooth e controles no volante, tela touch de 7 polegadas, entre outros.


Chevrolet Spark LS

Preço: US$ 13.220
Conversão: R$ 52.880
Motor e câmbio: 1.4, manual
Equipamentos: ar-condicionado, dez airbags, tela touch de 7 polegadas, direção elétrica, sistema de som com Bluetooth, controle de tração e estabilidade, entre outros.


Mitsubishi Mirage ES
Preço: US$ 13.795
Conversão: R$ 55.180
Motor e câmbio: 1.2 (3 cilindros), manual
Equipamentos: ar-condicionado, câmera de ré, tela touch de 7 polegadas, som com Bluetooth, chave com controle remoto, controle de cruzeiro, controle de estabilidade, entre outros.

NOSSA ANÁLISE – 1) A trinca de carros baratos brasileiros deixa claro que, para começar abaixo de R$ 40 mil, só sendo muito “pelado” e voltado a frotistas. Um pacote realista de equipamentos, como o do HB20 Unique, já chuta o preço para perto dos R$ 45 mil.

2) O pacote de entrada dos carros americanos econômicos, que sempre inclui AC, som com Bluetooth, tela touch e controle de estabilidade/tração, assemelha-se ao de versões intermediárias (ou mesmo de topo) da maior parte dos carros de mesmo porte no Brasil.

3) A comparação de preços entre Brasil e EUA obviamente depende da cotação do dólar. Com a moeda americana em alta, os carros brasileiros acabam ficam baratos em dólar. Prova disso é que os três listados acima seriam os mais em conta no mercado americano neste momento.

4) O caminho inverso é interessante: os três carros americanos citados têm valores convertidos em real (na taxa de US$ 1 para R$ 4) que, embora altos, não chegam a parecer absurdos, especialmente devido ao alto nível de equipamentos.

5) A única comparação (quase) direta a partir dessas duas listas é a do Nissan Versa. No Brasil, a versão S manual, com motor 1.6 (que não é a de entrada, já que há uma com propulsor de 1 litro) e câmbio manual, custa R$ 55.540 (na conversão, US$ 13.885). O americano custa US$ 12.360 (na conversão, R$ 49.440). Tomando como base os valores que transformamos em reais, conclui-se que, com o dólar forte (como agora), o Versa S brasileiro é cerca de 11% mais caro que o americano; com o dólar fraco (digamos, a R$ 3), essa diferença chegaria a 33%.

São números para pensar bem, antes das tradicionais conclusões apressadas. Mas a resposta à pergunta do título parece relativamente clara: de um jeito ou outro, o brasileiro paga mais.

PS: Os preços de todos os carros citados não incluem frete; vale lembrar que os americanos em geral desprezam os carros manuais, como é o caso dos modelos/versões listados na reportagem. A opção por transmissão automática vai encarecer a compra entre US$ 1.100 e US$ 1.300.

Imagens: reprodução