Image

Jaguar Land Rover ganha processo contra clone chinês do Evoque

22

mar
2019

Após três anos de batalhas nos tribunais chineses, a Jaguar Land Rover finalmente venceu o processo por plágio movido contra a marca local Landwind, que lançou, em 2015, o modelo X7, um SUV idêntico ao Range Rover Evoque.

A Corte do Distrito de Chaoyang, em Pequim, concluiu que os criadores do SUV chinês copiaram cinco elementos de design exclusivos do Range Rover Evoque original. A Justiça chinesa ordenou que a Jiangling, empresa chinesa dona da Landwind, encerrasse imediatamente a produção e as vendas do X7, além de pagar uma indenização à Jaguar Land Rover.

A empresa britânica descreveu a decisão como a primeira do tipo no apoio a uma empresa estrangeira na indústria automobilística chinesa. “Estamos satisfeitos com esta decisão do tribunal de Pequim, que fortalece ainda mais nossa confiança em investir na China e na justiça da adjudicação de propriedade intelectual nos tribunais chineses”, disse Keith Benjamin, diretor global jurídico da Jaguar Land Rover.

“Esta decisão é um sinal claro de que a lei está sendo implementada adequadamente para proteger os consumidores e manter seus direitos – de modo que eles não sejam confundidos ou enganados – enquanto protegem o investimento empresarial em design e inovação”, concluiu o executivo.

O Landwind X7 foi apresentado pela primeira vez no Salão do Automóvel de Guangzhou de 2015 e lançado no mercado chinês com um preço inicial quase três vezes inferior ao do Range Rover Evoque. O clone provou ser muito popular entre os clientes na China, aumentando a indignação da Jaguar Land Rover, que recorreu judicialmente. Em 2016, a Landwind até promoveu um facelift no X7 para atenuar as semelhanças visuais com o Evoque, mas ele continuou parecido com o SUV britânico.

O Landwind X7 até chegou a ser cogitado no Brasil após o seu lançamento na China. A importadora S.Auto confirmou a intenção de vendê-lo por aqui como uma opção mais em conta ao modelo britânico, mas não levou a ideia adiante – possivelmente para não correr o risco de ser processada pela JLR. Na época, o modelo viria equipado com um motor Mitsubishi 2.0 turbo a gasolina de 190 cv de potência, custando cerca de R$ 85 mil.

Fotos: Divulgação