Image

Vale a pena comprar um carro (quase) fora de linha? Ford Fiesta e Volkswagen Fox respondem

15

mar
2019

Há algumas semanas, a Ford anunciou o encerramento das atividades da fábrica de São Bernardo (SP), confirmando o fim da produção do Fiesta no Brasil. Antes disso, o modelo passou por uma reestilização, em 2017, ganhando a central multimídia SYNC 3 e corrigindo uma de suas defasagens perante a concorrência. Em contrapartida, a marca manteve o controverso câmbio automatizado Powershift e não aplicou a tecnologia bicombustível que permitiria o uso de etanol no ótimo motor EcoBoost 1.0 turbo.

Do outro lado do “comparativo”, o Volkswagen Fox, que chegou a ser cogitado como sucessor do Gol por conta das boas vendas, tem sido “ameaçado de morte” nos últimos anos. O compacto resiste há quase dois anos desde que a sua gama ficou restrita a apenas duas versões para abrir espaço ao Polo no portfólio da marca. Com a renovação da linha Volkswagen, o Fox deverá durar somente mais um ano para dar lugar a um crossover compacto feito sobre a plataforma MQB-A0. Nessas condições, será que vale comprar um carro que está prestes a sair de linha?

Os equipamentos considerados são os das versões mais completas ainda à venda. No caso do Fox, é a Xtreme 1.6 do carro das fotos. Por razão da indisponibilidade do Fiesta SEL 1.6, usamos para as fotos uma unidade da versão SEL Style 1.0 Ecoboost, que se diferencia pelas rodas e retrovisores pintados de preto – além do motor turbo e câmbio PowerShift.

Ambos saem da fábrica com ar-condicionado, direção elétrica com ajustes de altura e profundidade, banco do motorista com regulagem de altura, travas, retrovisores e vidros elétricos, chave canivete, faróis de neblina, sensor de estacionamento traseiro, volante multifuncional e sistema multimídia com tela de 6,5 polegadas compatível com Android Auto e Apple CarPlay (com chamada de emergência no Fiesta).

O Fiesta SEL começa a se destacar do Fox no quesito segurança. Além dos obrigatórios airbags frontais e freios com ABS também presentes no rival, o Ford conta com cinto de segurança de três pontos e apoio de cabeça para o terceiro ocupante traseiro. Para ampliar ainda mais a distância em relação ao Fox, o Fiesta ainda conta com controles eletrônicos de estabilidade e tração.

Recentemente, o Fox foi reavaliado pelo Latin NCAP e teve a sua nota rebaixada de quatro para três estrelas. O Fiesta foi testado apenas em 2012, logo após o modelo ser nacionalizado, quando alcançou quatro estrelas, a mesma nota que o rival tinha quando o teste era menos rigoroso.

Algumas diferenças se explicam pelas idades dos projetos. O Fox é basicamente o mesmo desde o seu lançamento em 2002. Claro, houve melhorias construtivas e de equipamentos a cada uma das duas atualizações visuais, porém, sem alterações profundas na antiga plataforma. Já o Fiesta é um projeto  lançado em 2008 na Europa, chegando ao Brasil quatro anos depois importado do México. A produção em São Bernardo do Campo teve início em 2013.

As vantagens para o Fiesta seguem quando partimos para as motorizações ainda disponíveis. Ambos são equipados com motores 1.6 de quatro cilindros. O Fox usa um motor de concepção mais antiga, com apenas oito válvulas (duas por cilindro), enquanto o Ford utiliza um cabeçote de 16 válvulas. Mais moderno, o propulsor Sigma do Fiesta rende até 128 cv de potência e 16 kgfm de torque contra 104 cv e 15,6 kgfm, respectivamente, do Volkswagen.

Esses números garantem desempenho superior ao Fiesta, embora o Fox cumpra bem o seu papel. Ambos são mais do que satisfatórios na cidade com ligeira vantagem ao Volks por antecipar a entrega do torque máximo (2.500 rpm contra 5.000 rpm do Ford). No entanto, Fox sente a diferença de potência na estrada, quando o motor é mais exigido em rotações elevadas. As transmissões manuais têm cinco marchas, com bom escalonamento e engates precisos.

Deixando o desempenho de lado, os compactos se distinguem mesmo é no comportamento dinâmico. O Fiesta entrega uma dirigibilidade que é referência em seu segmento, favorecida pelas suspensões mais firmes e a direção precisa. Com uma posição de dirigir elevada, o Fox prioriza o conforto com um espaço interno bem superior ao do rival e um rodar mais macio, que suporta melhor a buraqueira das ruas. Essas características distinguem os públicos de cada um. O Fiesta tem um perfil mais jovial, que privilegia o prazer ao volante. Já o Fox agrada mais quem precisa ou prioriza o espaço e busca um carro confortável.

Preços e descontos
Oficialmente, o Fiesta SEL 1.6 manual custa a partir de R$ 58.090, mas, na prática, o preço praticado nas concessionárias é bem mais convidativo. Chegamos a encontrar descontos de R$ 3.090 para esta versão, baixando o valor para R$ 55 mil. As versões mais em conta também estão em oferta, partindo de R$ 48 mil contra os R$ 52.690 divulgados pela Ford. A configuração intermediária SE Style 1.6 manual, por exemplo, foi encontrada por R$ 53.590 ante os R$ 56.590 da tabela oficial da Ford. Todos os valores promocionais são referentes a unidades na cor vermelha, que não tem custo adicional.

O Fox Xtreme 1.6 manual é vendido oficialmente por R$ 56.090, mas também é encontrado com descontos ou benefícios ao comprador. Em algumas concessionárias da marca consultadas pela reportagem, o compacto era oferecido por R$ 54.590, enquanto outras lojas o negociavam com o IPVA 2019 pago ou as duas primeiras revisões gratuitas. O Fox ainda possui outra versão em seu portfólio, a versão Connect 1.6, que parte de R$ 50.990 com câmbio manual ou R$ 54.490 com a transmissão automatizada I-Motion.

Desvalorização
O Fiesta já vinha desvalorizando mais que o Fox nos últimos anos. Comparando os preços da tabela Fipe de um ano para o outro, o Ford perde cerca de 12% no primeiro ano de uso, enquanto o Volkswagen perde 10%. Em 2019, com o fim da sua fabricação, o Fiesta poderá apresentar uma desvalorização maior. No entanto, os descontos negociados na hora da compra podem amortizar essa perda. Vale ressaltar que a desvalorização praticamente estabiliza após dois anos de uso, tempo que os públicos desses modelos costumam manter os carros.

Conclusão
O Fiesta é um projeto mais moderno que o Fox (apesar de já estar ficando cansado diante os novos concorrentes), mais potente, mais seguro e pode ser encontrado por preços mais convidativos. Por esses motivos, leva vantagem nesse comparativo. O Fox é bom um carro, confortável e espaçoso, mas entrega a idade avançada em diversos pontos. Ambos valem a pena se o comprador não se importar com uma possível desvalorização mais acentuada, e se conseguir negociar um bom desconto sobre o preço de tabela.

Ficha técnica

Modelo
Ford Fiesta SEL
Volkswagen Fox Xtreme
PreçoR$ 58.090R$ 56.090
MotorQuatro cilindros, 16 válvulas, duplo comando de válvulas no cabeçote com variação na admissão e escape, acionado por correia, a gasolina e/ou etanolQuatro cilindros, 8 válvulas, comando de válvulas simples no cabeçote, acionado por correia, a gasolina e/ou etanol
Cilindrada 1.597 cm³1.598 cm³
Taxa de compressão12:112,1:1
Potência (gasolina/etanol)125/128 cv a 6.500 rpm101/104 cv a 5.250 rpm
Torque (gasolina/etanol)15,8/16 kgfm a 5.000 rpm15,4/15,6 kgfm a 4.000 rpm
Transmissão Manual de cinco marchasManual de cinco marchas
Freios dianteirosDiscos ventiladosDiscos ventilados
Freios traseirosTamboresTambores
Suspensão dianteiraIndependente, McPherson, molas helicoidais Independente, McPherson, molas helicoidais
Suspensão traseiraBarra de torçãoBarra de torção
RodasLiga leve de 15 polegadasLiga leve de 16 polegadas
Pneus195/55 R15195/50 R16
DireçãoElétricaElétrica
Porta-malas 281 litros270 litros
Tanque 51 litros50 litros
Peso em ordem de marcha 1.105 kg1.114 kg
Comprimento3,96 m3,86 m
Largura 1,72 m1,66 m
Altura 1,46 m1,55 m
Distância entre-eixos2,48 m2,46 m
Carga útil450 kg406 kg

Sobre o autor

Jornalista e palmeirense, Renan Rodrigues de Oliveira, em alusão ao colega de profissão Nelson, prefere usar o primeiro sobrenome. Versátil, Renan fotografa, filma, ilustra, edita vídeo e áudio e se arrisca nas redes sociais. Acompanha em cima os lançamentos do mundo automotivo, prefere os compactos com vocação esportiva, mas pilota até carrinho de mão, se necessário.