Dois moradores do estado do Arizona, nos Estados Unidos, admitiram na última quinta-feira (6) que viajaram até a cidade de Casper, no Wyoming, com duas crianças no porta-malas do carro. As autoridades locais disseram ao jornal Star Tribune que os menores, um de seis anos e outro de 10 anos, passaram boa parte do trajeto de 1.448 quilômetros no compartimento de bagagens enquanto dois cães da raça pastor alemão permaneceram sentados no banco traseiro do veículo.

Michael J. Fee, 63 anos, e Amber L. Freudenstein, 31 anos, confessaram a infração e foram condenados a 30 dias de prisão por maus tratos a menores.

Nenhum dos dois mencionou a presença dos cães no veículo durante o depoimento, mas Fee alegou que as crianças foram colocadas no porta-malas porque não havia espaço suficiente para todos no interior do carro.

“Eu tentei fazer as coisas da maneira mais segura possível. Não foi nada malicioso”, tentou explicar o motorista.

De acordo com o depoimento do xerife do Condado de Natrona, Fee e Freudenstein planejavam voltar ao Arizona na quinta-feira com as crianças e os cachorros. Segundo outro policial envolvido na ocorrência, a mulher assumiu que os menores foram colocados no porta-malas ainda no Arizona para que os cães tivessem mais espaço no banco traseiro.

Durante o percurso, uma das crianças saiu do compartimento e viajou sentada no assoalho do passageiro da frente, enquanto a outra permaneceu no porta-malas o resto do caminho até Casper.

Foto: yourmechanic.com