Além da linha 2019 e de conceitos baseados no jipe T4, a Troller exibe no Salão do Automóvel de São Paulo um exercício de design que poderá dar origem a um novo modelo. Uma cabine com tecnologia em realidade virtual apresenta o holograma de um futuro Troller com carroceria de cinco portas.

Segundo o supervisor de marketing da marca, Rogério Maues, o conceito foi levado ao salão para testar a receptividade do público a um modelo com essas características. “É um veículo maior, tanto na cabine como no porta-malas, que futuramente poderá ampliar as opções da nossa linha sem perder a essência de 4×4 robusto para trilhas”, explicou o Maues.

Durante a apresentação da linha 2019 do T4, em outubro, executivos da marca chegaram a dizer que clientes de picapes e utilitários esportivos se interessam pelas características fora-de-estrada do jipe, mas desistem de comprar o modelo devido o espaço interno limitado.

Com um novo modelo capaz de levar uma família e suas bagagens, a Troller poderá atrair novos consumidores – principalmente se oferecer transmissão automática como opcional, uma vez que o T4 compartilha o conjunto mecânico com a Ford Ranger.

A motorização 3.2 turbodiesel de cinco cilindros, que entrega 200 cv de potência e 47,9 kgfm de torque, está disponível apenas com câmbio manual de seis marchas e sistema de tração 4×4 com acionamento eletrônico até 120 km/h e reduzida, além de diferencial traseiro autoblocante.

O jipe sai de fábrica equipado de série com direção hidráulica, ar-condicionado digital de duas zonas, vidros, travas e retrovisores elétricos, faróis de neblina, rodas de liga leve de 17″, lanternas de LED e freios a disco com ABS nas quatro rodas.

O T4 continua não oferecendo os airbags frontais, uma vez que a legislação não obriga veículos da categoria Jipe a serem equipados com o item por conta do risco de acionamento das bolsas infláveis em trilhas e terrenos acidentados. Um novo modelo poderia receber os airbags obrigatórios e até mesmo os adicionais laterais e de cortina, dependendo da sofisticação do projeto.

Imagens: Divulgação