Neste ano de 2018, o São Paulo Expo abre suas portas para mais um Salão do Automóvel, um dos eventos mais importantes para o setor na América Latina. Na edição anterior, em 2016 (relembre aqui a matéria que fiz para o Carsale), ficou claro o foco das fabricantes no segmento de SUVs e esse ano não foi diferente. Praticamente todos os estandes estão com algum grandalhão exposto. Tem para todos os bolsos e gostos. Além dos utilitários esportivos, carros elétricos e híbridos aparecem em maior número, deixando claro que essa é a tendência do futuro.

Mas quero falar dos SUVs mesmo, categoria que não para de crescer em todo o mundo. No mercado de usados, percebo que eles também estão cada vez mais fortes. Diariamente recebo dúvidas de pessoas querendo saber qual o melhor SUV.

Fiz uma análise de todos os SUVs expostos no Salão do Automóvel e selecionei 6 modelos para especular como será o futuro de cada um deles no país, tendo em vista as exigências do consumidor brasileiro. Os 3 primeiros são aqueles que considero que não se darão tão bem no mercado de usados e os 3 últimos são os que deverão ser queridinhos no mercado de usados.

Jeep Renegade
Para o modelo 2019, a Jeep renovou o visual de um dos seus principais produtos. O jipinho que conquistou o mercado com seu desenho robusto agrada na aparência, portanto não precisaram mexer tanto nele para apenas atualizá-lo.

Mas faltou trocar a principal fonte de reclamação do Renegade, o seu motor. O E-Torq 1.8 16v aspirado já deu o que tinha que dar. Num Renegade 2019, esse motor se mostra muito atrasado diante dos concorrentes que adotam motores mais eficientes. E o grupo FCA também tem esses motores modernos na prateleira, não faz mais sentido insistir no E-Torq.

Na minha opinião, o Renegade pode até continuar vendendo bem no mercado de novos, mas sua rejeição no mercado de usados vai ser ainda maior nos próximos anos.

+ Jeep Renegade homenageia o lendário Willys em série limitada

Chevrolet Tracker Midnight
No Salão do Automóvel do ano passado, fiz um vídeo aqui com o pessoal do Carsale, onde citei alguns modelos novos que seriam queridinhos no mercado de usados. Listei o Chevrolet Tracker entre uma das opções, pois ele tinha acabado de ganhar novo visual e motor 1.4 turbo. Ainda faltava os controles de estabilidade e tração, itens incluídos um ano depois na versão Premier.

De fato, eu acertei na escolha e, dois anos depois, o Tracker tem boa procura no mercado de usados. Porém, esse ano ele entra na minha lista de maus negócios, pois foi decepcionante ver de perto a nova série Midnight.

O carro continua bonito e o preto perolizado da cor única da versão agrada, mas é no interior que o carro se mostra cansado diante da concorrência. As laterais de porta são tão simples quanto ao de um Onix de entrada. O ar condicionado manual não condiz com o preço e a categoria do carro. Mas o pior foi quando eu notei a ausência dos air bags laterais e de cortina, economia que não faz sentido num carro com proposta familiar.

Ford EcoSport Titanium
O carro que inaugurou o segmento dos SUVs pequenos no Brasil, está na segunda fase da sua segunda geração. A atualização que a Ford fez no visual deixou o carro mais bonito e, mais importante, enquanto os novos motores e câmbio deram fôlego para encarar a concorrência. Faltava tirar o antiquado estepe pendurado na tampa traseira, algo que já acontecia em outros mercados.

Para o modelo 2019, a Ford atendeu aos pedidos e tirou o estepe na versão Titanium. Junto da mudança, vieram pneus do tipo runflat, aqueles que podem rodar vazios. Aqui está o detalhe que eu acredito ser prejudicial a imagem dessa versão da EcoSport no mercado de usados. Esses pneus são bem mais caros que a média. Se o primeiro dono não tiver que se preocupar com isso, os próximos que precisarem substituir os pneus terão que desembolsar uma boa grana, o que interfere diretamente no valor de mercado do carro.

Outra marca que costuma usar pneus desse tipo é a BMW, e eu já avaliei muitas usadas que não estavam com pneus runflats. Os donos optam por colocar pneus normais, mais baratos, mas precisam contar com a sorte de nunca ter um pneu estourado na estrada.

VW T-Cross
O novo SUV pequeno da VW tem tudo para agradar o consumidor brasileiro. Por mais que eu ainda não tenha digerido bem o desenho da lanterna traseira, acho que no geral o visual agrada.

Junto a isso, está presente a renomada família de motores TSi, já presente em vários outros carros da marca alemã. Esses motores são muito eficientes. Entregam boa potência e bastante torque em baixas rotações, tudo isso com baixo consumo de combustível, algo que os brasileiros valorizam cada vez mais. Na minha opinião, tem tudo para se dar bem no mercado de usados.

CAOA Chery Tiggo 5X
Esqueçam aquele jipinho com visual genérico. O Tiggo 5X vem com visual bem agradável na próxima geração, do jeito que os amantes de SUVs gostam. Quem entra nele, nota que o acabamento melhorou bastante e não deve em nada para os concorrentes.

Na parte mecânica, motor 1.5 turbo flex, câmbio automatizado de dupla embreagem e suspensão independente nas quatros rodas mostram um conjunto refinado. Eu arrisco dizer que esse chinês, que será fabricado aqui no Brasil, vai se dar bem no mercado de novos e de usados.

Mitsubishi Eclipse Cross
Que fique claro que eu não gostei do nome Eclipse no novo Crossover na Mitsubishi. Para quem não se lembra, Eclipse foi um legítimo esportivo de duas portas, que em nada se parece com o atual. Ele poderia se chamar qualquer coisa, menos Eclipse. Enfim, segue o jogo.

O carro agrada no visual. A traseira é um pouco estranha, mas não compromete tanto quanto a da nova Pajero Sport – essa sim com lanternas vindas de outro planeta. Tem conjunto mecânico moderno, com motor 1.5 turbo de 165 cv, câmbio automático de 6 marchas e tração na 4 rodas. No mercado de usados, a Mitsubishi tem boa imagem com os já consagrados ASX e Outlander, portanto o Eclipse Cross deve seguir a mesmo linha e fazer sucesso entre eles.

Felipe Carvalho é o primeiro caçador profissional de carros do Brasil. Acesse o site www.cacadordecarros.com.br e saiba mais. Inscreva-se no canal do Caçador de Carros no YouTube e curta a página de Felipe no Facebook.