Lançada em 1975, a Honda GL 1800 Gold Wing é considerada um objeto de desejo dos motociclistas que gostam viajar grandes distâncias sobre duas rodas. A nova geração da motocicleta gran turismo começa a ser vendida no Brasil a partir 22 de outubro em duas versões, equipadas com tecnologias – e preços – de carros de luxo. Os valores partem de R$ 136.550 para a Gold Wing (apenas na cor cinza fosco) e R$ 156.550 no caso da Gold Wing Tour (somente com pintura vermelha).

Para efeito de comparação, o Accord EX V6, carro mais caro da Honda no Brasil, custa R$ 162.500.

A nova Honda Gold Wing é movida por um motor de seis cilindros opostos (boxer) de 1.8 litro a gasolina, que entrega 126 cv de potência (ganho de 6 cv) e 17,34 kgfm de torque – números parecidos com os de alguns motores 1.6 de automóveis. O propulsor é gerenciado por uma transmissão de seis marchas na versão Gold Wing ou de sete velocidades e dupla embreagem na variante Gold Wing Tour.

Além do câmbio mais moderno, a Gold Wing Tour acrescenta airbag para o piloto, suspensão traseira com ajustes eletrônicos, para-brisa com regulagem elétrica de altura e inclinação e porta-objetos top box adicional.

Desde a versão de entrada, a Gold Wing é equipada de série com controle de cruzeiro, painel com tela digital de 7 polegadas, sistema multimídia com navegação, Bluetooth, entrada USB e compatibilidade Apple CarPlay, faróis full LED, controle eletrônico de tração, assistente de partida em rampas, sistema start-stop, função “Walking Mode” para manobras de estacionamento (marcha à ré), entre outros.

A Gold Wing conta com assentos individuais e pode levar um total de 110 litros de bagagem nos compartimentos laterais e no top box (disponível apenas na Gold Wing Tour).

De acordo com a Honda, a nova Gold Wing é construída com uma arquitetura mais compacta e leve, com chassi duplo trave de alumínio fundido que reduziu o peso total da motocicleta em 48 quilos em comparação com o modelo anterior.

As suspensões também são novas. Na dianteira, a Gold Wing conta um sistema de duplo braço oscilante com função amortizante separada da direção, resultando em até 40% mais agilidade nas manobras do guidão. Já a suspensão traseira é do tipo monobraço Pro-Arm conectada ao sistema Pro-Link. O conjunto possui regulagem eletrônica automática, que adapta a carga dos amortecedores de acordo com o modo de condução selecionado pelo piloto.

Para conter a grandalhona, os freios com ABS contam com pinças de seis pistões na roda dianteira (18 polegadas) e de três pistões na traseira (16 polegadas). O pneu traseiro tem medidas parecidas com a de alguns carros: 200/55 R16.

Ambas têm garantia de três anos, sem limite de quilometragem, e serviço de assistência em cinco países da América do Sul.

Fotos: Divulgação