A Força Aérea Brasileira (FAB) notificou no último dia 4 de outubro a abertura de um Processo de Licitação na forma de leilão para tentar vender novamente um lote de 11 caças Mirage F-2000, avaliado em US$ 508.631 (cerca de R$ 1,8 milhão em conversão simples).

Os aviões têm preços unitários variando a partir de US$ 7.321 (R$ 26.229), valor um pouco abaixo do preço inicial da versão de entrada do subcompacto Chery QQ (R$ 27.490), o carro zero quilômetro mais barato à venda no Brasil. Já a aeronave mais cara do lote sai por US$ 62.635 (R$ 224.400).

A FAB só aceita propostas para a compra do lote completo. Pessoas físicas e jurídicas, empresas e governos de outros países podem participar do leilão se atenderem os requisitos estabelecidos no edital de licitação – incluindo a aprovação do governo francês.

Os Mirage F-2000 foram comprados já usados da França em 2005, por US$ 200 milhões (R$ 716 milhões na cotação atual), como solução temporária para substituir os antigos Mirage III até o início das operações dos novos caças suecos Saab Gripen NG. O plano inicial era usar as aeronaves francesas até 2011, mas com ajustes seis delas permaneceram em operação por mais dois anos.

Das 12 aeronaves adquiridas pela FAB, uma está preservada no Museu Aeroespacial no Rio de Janeiro. As outras 11 que estão sendo leiloadas não têm condições de voo (nove monoplaces F-2000C e duas biplaces F-2000D). Três delas estão na ALA 1, em Brasília, e as outras oito em Anápolis (GO). É provável que os aviões sirvam como doadores de componentes e peças a caças semelhantes que estejam em operação em outros países.

O Mirage F-2000 é um interceptador propulsionado por um motor turbofan com pós-combustão, que gera quase 9 toneladas de empuxo. O caça é capaz de voar a duas vezes a velocidade do som (mais de 2.400 km/h) a 16.500 metros de altitude. A aeronave tem alcance de 3.000 quilômetros quando equipada com os tanques de combustível auxiliares, mas pode ter a autonomia estendida por contar com a sonda de reabastecimento em voo.

Quando estavam em operação, os caças eram munidos de radar multifunção, dois canhões de 30 mm e mísseis ar-ar de médio e curto alcance.

Fotos: Divulgação Chery / Agência Força Aérea