Vivemos num País maravilhoso, mas com um custo de vida cada vez mais alto. Alimentação, educação, saúde, lazer e outras tantas coisas mais fazem do salário um verdadeiro herói por ter que aguentar longos 30 dias.

Claro que com os carros não é diferente. Aliás, não faltam comparativos que mostram como nossos automóveis são mais caros e mais simples que similares em outros países.

Como Caçador de Carros, atendo muitas pessoas com necessidades distintas, mas que possuem um mesmo objetivo: querem que eu faça o melhor negócio. Na prática, isso significa comprar um ótimo usado por um preço justo – e, assim, valorizar o suado dinheiro que ganham.

Uma parcela desses clientes sempre teve veículos usados, pois enxerga nesse mercado uma relação custo x benefício melhor. A outra parcela comprava carros novos, mas se cansou de ter modelos mais simples e perder um bom dinheiro com a significativa desvalorização que o automóvel sofre nos primeiros anos de uso.

No prédio onde resido, divido a vaga de garagem com uma simpática senhora, que trocou de carro recentemente. O antigo Celtinha básico deu lugar a um Fiat Mobi.

No primeiro dia em que precisei manobrar o novo veículo dela para poder sair com o meu, notei a falta do ar-condicionado e da direção assistida. Pois é! Ainda vendem carros sem esses dois equipamentos indispensáveis em pleno ano de 2016.

No mesmo instante em que notei as ausências do ar e da direção, pensei em automóveis usados bem mais interessantes que ela poderia ter comprado com os cerca de R$ 35 mil que pagou pelo Mobi. Naturalmente, não quero, aqui, julgar minha vizinha. Acho que ela fez o que considerou ser a melhor compra. Mas vou dar alguns exemplos do que eu teria indicado para ela, caso tivesse sido consultado – ou contratado.

Para ficar na mesma marca, com os mesmos R$ 35 mil ela poderia ter comprado um Palio 2015 completo com motor 1.4. Mais motor, mais equipamentos e garantia de fábrica. O que poderia dar errado?

Sendo mais ambicioso, ela também poderia ter optado por um Fiat Bravo 2013. Motor 1.8, controlador de velocidade, acabamento de primeira e mimos encontrados em categorias superiores. Reconheço que, para mim, fica fácil pensar nas alternativas, sem medo, para comprar um usado, já que trabalho com isso e sei quando um automóvel está bom ou ruim.

Para minha vizinha, foi mais cômodo adquirir um novo, independentemente da falta de equipamentos.
Já você, caro amigo leitor, que considera a compra ou a troca de carro e valoriza o dinheiro que tem, pode refletir melhor sobre o assunto.

Seu orçamento pode ser de 30, 50, 100 ou R$ 500 mil; tanto faz. Sempre vai existir, pelo mesmo preço, um usado mais interessante que um novo.

De carros da mesma categoria, com pouco tempo de uso, mas com mais equipamentos, até veículos de categoria superior, porém um pouco mais usados, o que não faltam são ótimas opções.

Você pode até dizer: “Ah, mas eu valorizo a garantia de fábrica”. Ótimo! Escolha uma marca que ofereça longos prazos de garantia e procure por um modelo que passou pelas revisões nas concessionárias. Ou, ainda, você pode argumentar algo como “Ah, mas quanto mais velho e rodado o carro, mais difícil revendê-lo depois”. Balela! Toda panela tem sua tampa, e sempre haverá um comprador interessado no seu veículo. Tenho certeza que, mesmo dando um desconto na negociação, você vai perder menos do que na desvalorização do carro novo.

Em colunas passadas, aqui no Carsale, já dei dicas para você procurar, avaliar e negociar o carro sem erro – e sem medo.

Diariamente, faço ótimos negócios para meus clientes, e posso garantir que a maioria deles se convence que o mercado de usados é, de fato, muito tentador.

Se mesmo assim, depois de ler esta coluna, você ainda prefere comprar um carro novo, sem problemas! Como eu sempre digo, não sou o dono da razão, e cada um deve fazer o que achar melhor.

Aliás, comprador de 0km, eu preciso de você! Afinal, para o automóvel ser usado, um dia alguém precisou comprá-lo novo.

Até a próxima!

Felipe Carvalho é o primeiro caçador profissional de carros do Brasil. Acesse o site www.cacadordecarros.com.br e saiba mais. Inscreva-se no canal do Caçador de Carros no YouTube e curta a página de Felipe no Facebook.