O ar-condicionado está se tornando cada vez mais imprescindível nos carros. E como dicas são sempre bem-vindas, o Cesvi Brasil (Centro de experimentação e segurança viária) aproveita para alertar os motoristas sobre alguns detalhes referentes a esse equipamento.

O primeiro ponto é saber que o ar-condicionado apenas funciona com o motor do veículo ligado, o que faz com que o compressor comece a se movimentar e o gás circule pelo sistema – com a troca de calor, o ar é resfriado.

Quanto ao tipo de gás, os sistemas atuais utilizam o R-134 A, que não agride a camada de ozônio, diferente dos antigos sistemas que utilizavam Freon R-12, à base de CFC (clorofluorcarbono).

  • Para fazer uma manutenção preventiva do sistema, recomenda-se ligar o sistema do ar-condicionado pelo menos uma vez a cada 15 dias, para circulação do gás, além de fazer a troca do filtro antipólen a cada 10 mil km e a limpeza dos dutos, evitando a proliferação de bactérias e obstrução da passagem do ar.
  • Em caso de vazamento ou baixa eficiência do ar-condicionado, é necessário realizar a substituição/recarga do gás em estabelecimentos especializados.
  • Além do botão de acionamento do sistema e regulagem de velocidade do ar-condicionado, há também um seletor para captação do ar externo ou reaproveitamento do ar interno. Quando o ar interno do veículo estiver muito quente, a melhor opção é a captação de ar externo. Quando o ar externo estiver muito quente, recomenda-se utilizar a circulação do ar interno – tomando o cuidado para que essa opção não seja utilizada por muito tempo devido à não renovação do ar.
  • Naquelas situações em que o veículo ficou muito tempo exposto ao sol ou a altas temperaturas, é recomendável ligar o ar-condicionado e abrir as janelas para que a massa de ar quente que ficou aprisionada dentro do veículo saia, fazendo com que o ar resfrie com maior rapidez. Após a substituição do ar, feche os vidros completamente, para que o ar resfriado permaneça dentro do veículo.

Foto: Divulgação