Olá, meu amigo!

Uma das etapas mais importantes na avaliação de um carro é o test drive. Não é prudente fechar um negócio sem antes dar umas voltinhas para saber se existe algum problema mais grave com o possante.

Já deixei de comprar para clientes carros aparentemente impecáveis, mas que se mostraram ruins de guiar, com problemas mecânicos que inviabilizavam a aquisição.

É preciso levar em conta que você vai passar muitas horas da sua vida dentro do carro. Por isso, a primeira coisa a se fazer na hora do teste é ajustar as posições de banco, volante, cintos de segurança e espelhos. Depois disso, verifique se tudo está confortável e ao alcance das mãos.

Feitos isso, ligue o carro e pise nos pedais algumas vezes para sentir se há folga ou excesso de peso, principalmente na embreagem. Este é um componente caro, mas de fácil reparo. Se esse pedal estiver muito duro, só vale a pena seguir com o negócio caso o vendedor baixe a pedida. Em seguida, engate todas as marchas com certa rapidez e verifique se há sincronismo. Não pode haver folgas, imprecisão nos engates ou ruídos estranhos.

Nos carros automáticos, também não podem acontecer trancos entre as posições. Em “R” e “D”, solte o pé do freio e note se o carro se movimenta com suavidade.

Esterce o volante de um lado para o outro mais de uma vez. Aqui também não deve haver folgas ou acontecer estalos que possam indicar problemas na caixa de direção – um reparo oneroso. Teste buzina e se todos os comandos funcionam bem.

Se o motor estiver frio, você até pode sair com o veículo de imediato, mas é possível que ocorram oscilações na rotação do motor ou falhas em acelerações, situações toleráveis pelo menos até o momento em que o motor atinja a temperatura ideal.

Enquanto estiver guiando, desligue o som e o ar-condicionado e fique atento a qualquer ruído estranho. Dirija por ruas mal pavimentadas para que a suspensão possa trabalhar bastante e indicar eventuais folgas ou barulhos. Esse é um sistema complexo, com muitas peças caras. Portanto, descarte carros com suspensão ruim.

Passe com o carro na diagonal em valetas e, nesse momento, esterce o volante para os lados. Tente identificar algum possível estalo vindo das rodas. Isso pode sinalizar problemas nas juntas homocinéticas.

Em uma via bem pavimentada e sem curvas, solte as mãos do volante por alguns segundo e verifique se o carro se mantém em linha reta. Caso ele puxe para os lados, um simples alinhamento pode ser a solução. Mas, atenção: isso também pode ser problema estrutural, proveniente de alguma batida. Fique esperto!

Dificilmente você terá a oportunidade de pegar uma rodovia, considerando que, geralmente, o test drive é curto. Assim, tente dar umas aceleradas mais fortes para sentir se a resposta do motor é imediata, linear e suave. Nessas acelerações, repare também se há algum indício de escapamento furado.

Procure desacelerar diversas vezes, pisando no freio e na embreagem. É comum que carros com falhas no sistema de injeção eletrônica “apaguem” nessas desacelerações. Se isso acontece, somente um mecânico com um computador conectado ao veículo vai poder dizer a causa, que pode ser uma simples sujeira ou problemas em sensores mais caros. Descarte, também, carros com esse tipo de falha.

Infelizmente, nem todo vendedor deixa o potencial comprador fazer o test drive. Em geral, particulares são mais receptivos. Mas, se o ponto de encontro for um estacionamento de shopping ou mercado, exija que também possa dirigir em vias próximas, uma vez que não será possível testar bem o carro somente nesses espaços.

Quanto aos revendedores, muitos deles não liberam os veículos e ainda tentam convencer o cliente que, se surgir algum problema, farão o devido reparo. Não caia nessa! Discursos assim costumam mudar – e muito – depois que você já fez o negócio.

Se você seguir essas dicas e o carro não apresentar os possíveis problemas apontados, provavelmente fará um bom negócio caso opte pela compra.

Até a próxima!

Felipe Carvalho é o primeiro caçador profissional de carros do Brasil. Acesse o site www.cacadordecarros.com.br e saiba mais. Inscreva-se no canal do Caçador de Carros no YouTube e curta a página de Felipe no Facebook.