A Honda já havia revelado a décima geração do Civic para a imprensa brasileira, porém, somente esta semana a marca japonesa convidou os jornalistas especializados para um contato mais aprofundado com o sedã.

A décima geração do Civic chega às concessionárias da Honda a partir desta quinta-feira (25) para esquentar a disputa do segmento de sedãs médios, que teve a recente estreia do novo Chevrolet Cruze e é dominado pelo Toyota Corolla. Fabricado em Sumaré (SP), o novo Civic custará entre R$ 87.900 a R$ 124.900.

O novo Civic é oferecido no Brasil com duas opções de motorização (2.0 flex e 1.5 turbo), câmbio manual ou automático do tipo CVT (variação contínua), o que garante uma gama com cinco configurações.

Todas as variantes são equipadas de série com airbags frontais, laterais e de cortina, controle de tração e estabilidade VSA (Vehicle Stability Assist), sistema de partida em aclive (HSA), sistema de vetorização de torque baseado em frenagem Agile Handling Assist (AHA), luz de frenagem de emergência (pisca de forma intermitente em frenagens emergenciais), além de freios ABS com distribuição eletrônica de frenagem (EBD), luzes de rodagem diurna (DRL) e lanternas traseiras em LED, faróis de neblina, sistema ISOFIX para fixação de cadeirinhas e aviso de esquecimento dos cintos dianteiros.

Confira abaixo todas as versões, preços e principais equipamentos do novo Honda Civic 2017:

Civic Sport 2.0 MT6 (R$ 87.900): motor 2.0 flex de 155 cv (etanol), câmbio manual de seis marchas, direção elétrica, ar-condicionado digital, vidros, travas e retrovisores com acionamento elétrico, seis airbags (frontais, laterais e de cortina), controlador de velocidade, luzes de condução diurna (DRL) em LED, controle eletrônico de estabilidade com vetorização de torque, assistente de partida em rampa, faróis de neblina, freio de estacionamento eletrônico com Auto Hold, sistema de som com MP3, Bluetooth e quatro alto-falantes, grade frontal e rodas de liga leve de 17 polegadas com acabamento escurecido.

Civic Sport 2.0 CVT (R$ 94.900): acréscimo da transmissão CVT com borboletas para trocas de marchas atrás do volante.

Civic EX 2.0 CVT (R$ 98.400): mesmos itens da versão Sport CVT mais retrovisores com rebatimento elétrico, faróis com acendimento automático, bancos revestidos em couro e rodas de 17 polegadas com acabamento cromado.

Civic EXL 2.0 CVT (R$ 105.900): acrescenta aos itens da EX os seguintes equipamentos: ar-condicionado digital de duas zonas, painel totalmente digital com tela de TFT, sistema multimídia com espelhamento para celulares, entrada HDMI e oito alto-falantes.

Civic Touring 1.5 Turbo CVT (R$ 124.900): adiciona ao pacote da EXL o motor 1.5 turbo a gasolina de 173 cv, faróis e faróis de neblina em LED, sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, banco do motorista com regulagem elétrica, teto solar, chave presencial com acionamento remoto do motor e botão no painel, sensor de chuva, câmera de monitoramento de ponto cego do lado direito, retrovisor interno eletrocrômico, rodas de aro 17 e detalhes externos com acabamento cromado.

Motorizações e características

A motorização 2.0 i-VTEC FlexOne, com 155 cv a 6.300 rpm e 19.5 kgfm a 4.800 rpm no etanol – disponível nas versões EX, EXL e Sport – é acoplada à transmissão continuamente variável (CVT). Esse câmbio traz a opção de sete marchas simuladas que podem ser trocadas por borboletas atrás do volante. A configuração Sport conta com uma caixa manual de seis velocidades como opção.

Já o Civic topo de linha Turing tem como principal novidade um propulsor de 1.5 litro turbo a gasolina de 173 cv a 5.500 rpm e 22,4 kgfm entre 1.700 e 5.500 rpm, que coloca o Civic na era do downsizing. Associado à transmissão CVT, o novo motor atingiu nota AA nos testes de consumo do Inmetro, muito graças a tecnologias como turbo de baixa inércia, injeção direta, variação de tempo de abertura de válvulas (VTC) e válvula wastegate eletrônica. Nos testes feitos por revistas especializadas nos Estados Unidos, o Civic Touring acelerou de 0 a 100 km/h em aproximadamente 7 segundos.

A Honda destaca que a cabine do Civic está mais espaçosa graças ao uso de uma plataforma totalmente nova feita com aços de alta resistência,que garantiu uma estrutura mais rígida e um ganho nas dimensões. O sedã está 4,5 centímetros mais largo (totalizando 2,07 metros), 11 centímetros mais comprido (4,63 metros) e ganhou 3 cm na distância entre-eixos (2,70 m). O porta-malas agora acomoda até 525 litros de capacidade, segundo os dados de fábrica.

A Honda também faz questão de enfatizar que na nova geração do sedã a rigidez torcional foi ampliada em 25%, sendo que o peso foi reduzido em 22 kg. As suspensões são independentes nas quatro rodas (McPherson na dianteira e multilink na traseira).

O interior do Civic também foi renovado para acompanhar as mudanças do visual exterior. O principal destaque fica por conta do painel de instrumentos com tela de TFT de alta definição na versão Turing, enquanto as demais contam com velocímetro digital com conta-giros analógico e áudio com tela de 5 polegadas. Com isso, o sedã deixa de ter o painel de dois andares, peculiaridade das duas últimas gerações.

A expectativa da Honda é de comercializar cerca de 3 mil unidades do novo Civic por mês. De acordo com o vice-presidente comercial, Roberto Akiyama, espera-se que o mix de vendas seja de 48% para as versões EX e EXL, 28% para a Touring e 24% para a Sport.

O Carsale publicará as primeiras impressões ao dirigir do novo Civic em breve.

Fotos: Divulgação