Após os lançamentos da nova geração da Toyota Hilux e da atualizada Ford Ranger, a Chevrolet mostrou que ainda está na briga pela liderança do segmento de picapes médias ao apresentar a linha 2017 da S10. Líder de vendas nos últimos 20 anos, o modelo passa a ostentar a nova identidade visual da marca, ganhou equipamentos, além de melhorias mecânicas (confira os preços de todas as versões abaixo).

Linha Chevrolet S10 2017:

S10 LS chassi-cabine 2.8 turbodiesel manual 4×4: R$ 105.990
S10 LS cabine simples 2.8 turbodiesel manual 4×4: R$ 111.690
S10 LS cabine dupla 2.8 turbodiesel manual 4×4: R$ 123.490

S10 LT cabine dupla 2.5 flex manual 4×2: R$ 97.890
S10 LT cabine dupla 2.5 flex manual 4×4: R$ 106.590
S10 LT cabine dupla 2.8 turbodiesel manual 4×2: R$ 127.290
S10 LT cabine dupla 2.8 turbodiesel automática 4×2: R$ 131.490
S10 LT cabine dupla 2.8 turbodiesel manual 4×4: R$ 139.290
S10 LT cabine dupla 2.8 turbodiesel automática 4×4: R$ 144.230

S10 LTZ cabine dupla 2.5 flex manual 4×2: R$ 113.690
S10 LTZ cabine dupla 2.5 flex manual 4×4: R$ 120.790
S10 LTZ cabine dupla 2.8 turbodiesel automática 4×2: R$ 150.190
S10 LTZ cabine dupla 2.8 turbodiesel automática 4×4: R$ 160.390

S10 High Country cabine dupla 2.8 turbodiesel automática 4×4: R$ 167.490

O facelift pontual foi inspirado nas linhas “horizontalizadas” da Colorado, a irmã norte-americana da S10. A grade frontal está mais retilínea, os faróis foram espichados e o para-choque foi remodelado a ponto de aumentar o ângulo de ataque da parte inferior da picape. Na traseira, as novidades são a tampa da caçamba reestilizada e a câmera de ré integrada à maçaneta. Na versão topo de linha High Country as lanternas são de LED.

O interior também é parecido com o da Colorado. O novo painel deu ar de maior refinamento à S10, uma vez que utiliza material emborrachado na parte superior e plásticos de melhor qualidade. Para acomodar o quadro de instrumentos atualizado, a central multimídia MyLink II e os novos comandos do ar-condicionado, a GM utilizou uma nova arquitetura eletrônica na picape. Na High Country, há bancos revestidos de couro bicolor e plaquetas alusivas nas portas.

Conectada

Em termos de conectividade, a central multimídia MyLink passa a contar com novos recursos na nova geração. Além da tela de oito polegadas sensível ao toque, o sistema incorporou reconhecimento de voz, espelhamento da tela do smartphone por meio das plataformas Android Auto e Apple Car Play. A exemplo dos sedãs Cobalt e Cruze, a S10 recebeu o serviço OnStar, que orienta o motorista com informações de pontos de interesse, navegação e ainda liga ao Samu em caso de emergência.

Melhorias mecânicas e dieta

A S10 recebeu melhorias nas suspensões e nos freios, trocou a a direção hidráulica por um sistema elétrico, mas manteve as motorizações de quatro cilindros 2.5 flex de 197/206 cv de potência e 26,3/27,3 kgfm de torque e 2.8 turbodiesel de 200 cv e 44,9 kgfm (câmbio manual)/51 kgfm (automática). Por conta do uso de materiais mais leves, que reduziram o peso da picape em até 35 quilos, a S10 está 5% mais econômica, segundo a GM.

As transmissões disponíveis também não mudaram: manual ou automática (apenas com o motor turbodiesel), ambas de seis marchas, com opção de tração traseira ou 4×4.

Tecnologia embarcada

A exemplo da Ranger, a S10 incorporou sistemas até então presentes apenas em carros de passeio. Como na picape da Ford, o modelo da Chevrolet recebeu, na versão topo de linha, o sensor de colisão frontal e o alerta de mudança involuntária de faixa. O primeiro avisa o motorista, por meio de sinais luminosos e sonoros, quando há o risco de colidir contra o veículo da frente. O último emite um alarme ao detectar a picape está invadindo as faixas laterais sem acionar as setas.

No entanto, o piloto automático da S10 ainda é convencional, enquanto o da Ranger Limited é adaptativo (interfere no acelerador e nos freios para manter a distância indicada pelo condutor em relação ao carro da frente).

Impressões

Testamos a versão topo de linha High Country, equipada com o motor 2.8 turbodiesel de 200 cv, e comprovamos que a S10 manteve o bom desempenho proporcionado pelos 51 kgfm de torque a 2.000 rpm. A picape embala rapidamente na estrada e encara praticamente qualquer obstáculo no off-road – principalmente com a tração 4×4 reduzida acionada. As principais diferenças, entretanto, são notadas ao trafegar em vias esburacadas. As suspensões recalibradas e dotadas de amortecedores e molas com maior carga e barras estabilizadoras mais rígidas reduziram consideravelmente os sacolejos da caçamba. O rodar da S10 também foi suavizado graças à adoção de novos coxins que atenuaram as vibrações da carroceria. Embora uma picape média não seja o veículo mais indicado para o uso urbano, trafegar com a S10 na cidade ficou mais cômodo graças à direção elétrica que facilita as manobras de estacionamento e dá mais agilidade na hora de mudar de faixa em congestionamentos.

Apesar de a Chevrolet não ter revelado números de venda, a S10 2017 mostra credenciais para manter a hegemonia conquistada há duas décadas. Comparada às rivais, a picape apresenta um custo-benefício bastante considerável por entregar um nível de equipamentos semelhante por preços inferiores (nas versões topo de linha a diferença supera os R$ 20 mil. se equiparada à Hilux SRX, por exemplo). Embora tenha ganho modernos itens de segurança, a S10, porém, vacila ao sair de fábrica com apenas dois airbags (contra seis das concorrentes mais equipadas) mesmo na versão mais completa.

Principais itens de série de todas as versões:

S10 LS: direção elétrica, ar-condicionado, vidros e travas com acionamento elétrico, roda de aço de 16 polegadas, rádio com conectividade via Bluetooth e USB, sistema de monitoramento da pressão dos pneus, freios com ABS, airbags frontais.

S10 LT: itens da LS mais faróis de neblina, desembaçador do vidro traseiro, roda de liga leve de 16 polegadas, capota marítima, piloto automático, ajuste de altura para o volante, espelhos externos com repetidor de pisca e ajuste elétrico, tela multimídia de sete polegadas com espelhamento da tela do celular e conectividade via Bluetooth e USB e sensor de estacionamento traseiro.

S10 LTZ: acréscimo de controle de estabilidade, assistente de partida em rampa, sensor de chuva, faróis com acendimento automático, alertas de mudança involuntária de faixa e de colisão frontal, rack de teto, bancos de couro, rodas de liga leve aro 18, painel com acabamento emborrachado, ar-condicionado automático, volante multifuncional, espelho interno eletrocrômico, câmera de ré, sensor de estacionamento dianteiro, partida por controle remoto, rebatimento elétrico de espelhos, luzes diurnas de LED, tela multimídia de 8 polegadas com projeção da tela do celular, conectividade via Bluetooth e USB e navegação por GPS e sistema OnStar.

High Country: itens da LTZ mais lanternas traseiras de LED, rack de teto com barras transversais, santo antônio, estribos laterais, banco do motorista com regulagem de altura, rodas aro 18 com desenho exclusivo.

Teste-drive e viagem a convite da General Motors do Brasil
Fotos: Divulgação