Ainda sob camuflagem, o Volkswagen T-Cross nacional foi apresentado a jornalistas especializados durante uma prévia da marca alemã no interior de São Paulo. O SUV derivado do Polo será revelado oficialmente no dia 25 de outubro, antecipando a sua aparição pública no Salão do Automóvel de São Paulo, em novembro. A fabricação do modelo em São José dos Pinhais (PR) terá início no primeiro trimestre de 2019.

Construído a partir da plataforma MQB-A0, o T-Cross possui a mesma distância entre-eixos do sedã Virtus (2,65 m). O SUV mede 4,20 metros de comprimento e 1,56 m de altura (a largura não foi divulgada). A capacidade do porta-malas varia entre 373 litros e 420 litros, quando o banco traseiro está totalmente deslizado para frente – se aproximando dos 431 litros do Hyundai Creta e 437 litros do Honda HR-V.

O T-Cross será vendido no Brasil com as motorizações turbo flex 1.0 TSI de 128 cv de potência e 20,4 kgfm de torque e a 1.4 TSI de 150 cv e 25,5 kgfm, sempre com câmbio automático de seis marchas e tração dianteira. A variante equipada com o 1.6 16V MSI aspirado será inicialmente destinada apenas para a exportação na América Latina, rendendo 110 cv com gasolina.

No quesito segurança, todas as versões do SUV compacto serão equipadas de série com controle eletrônico de estabilidade. O T-Cross terá ainda seis airbags, frenagem pós-colisão e assistente de partida em rampa.

As configurações mais caras herdarão do novo Jetta as luzes internas configuráveis, painel de instrumentos digital Active Info Display e central multimídia com duas portas USB e faróis de full-LED. Entre os opcionais haverá teto solar panorâmico, ar digital com saídas para o banco traseiro, sistema de estacionamento autônomo Park Assist 3.0, chave presencial, rodas de 17 polegadas, sistema de som premium Beats, entre outros.

Fotos: Divulgação