A Volvo dá mais um passo a caminho da eletrificação de sua gama menos de um mês depois do período de pré-venda da versão híbrida plug-in do SUV médio XC60, a T8 R-Design (R$ 299.950), que chega para responder por cerca de 20% das vendas da gama composta pelas variantes Momentum e Inscription com motorizações a gasolina ou turbodiesel. De acordo com a marca sueca, a meta é vender 800 carros híbridos por ano no Brasil a partir de 2019, somando o próprio XC60 e os modelos XC90 e S90.

Segundo Luis Rezende, presidente da Volvo Car Brasil, com o lançamento do XC60 T8 R-Design e do sedã S90 T8, a marca ampliará significativamente a oferta de modelos híbridos, que já conta com o SUV grande XC90 desde 2017: “Queremos liderar esta transformação do segmento e por isso temos o compromisso de, a partir de 2019, todo novo Volvo lançado no mundo contar com um motor elétrico”.

Com o XC60 T8 R-Design, a Volvo também aponta a sua mira para potenciais clientes das versões mais apimentadas dos SUVs médios premium alemães – Audi SQ5 (R$ 397.990), BMW X3 M40i (R$ 397.950) e Mercedes-Benz GLC 43 (R$ 390.900) – apostando em um carro mais potente e consideravelmente mais econômico por cerca de R$ 90 mil a menos.

O SUV híbrido é movido por um conjunto formado pelo motor de quatro cilindros 2.0 turbo a gasolina, que rende 324 cv de potência e 40,7 kgfm de torque, combinado a um propulsor elétrico instalado no eixo traseiro, alimentado por uma bateria de íons de lítio de 10 Kwh. No total, são ótimos 412 cv e brutos 65,1 kgfm, enviados pelo câmbio automático de oito marchas ao sistema de tração nas quatro rodas.

De acordo com os dados de fábrica, o XC60 T8 R-Design atinge os 100 km/h em 5,3 segundos e os 230 km/h de velocidade máxima, mesmo pesando 2.174 quilos. O consumo de gasolina aferido pelo Inmetro aponta médias de 19 km/l na cidade e 20 km/l rodando na estrada.

A bateria instalada ao longo do túnel central – para não comprometer o espaço dos passageiros e contribuir com a distribuição de peso do carro – proporciona até 40 quilômetros de autonomia no modo totalmente elétrico (Pure) e pode ser recarregada em tomadas trifásicas de 220 Volts aterradas. O tempo de recarregamento varia entre duas horas e meia e sete horas, dependendo da amperagem da instalação elétrica.

Mas caso a bateria fique sem carga no meio do percurso, o motor a gasolina entra em ação para mover o carro e funcionar como um gerador. Com a alavanca de câmbio na posição B, o sistema recupera a energia dissipada nas frenagens para recarregar a bateria ou uso imediato.

Além do modo 100% elétrico, o SUV pode funcionar em outras cinco condições: Hybrid (combina os dois motores para a melhor relação entre desempenho e consumo), Power (configura os parâmetros do conjunto motriz, direção, câmbio e freios para favorecer o desempenho), AWD (tração integral permanente em pisos escorregadios), Off Road (envolve o controle de frenagem em descida para percursos fora do asfalto) e Individual (pode ser personalizado pelo motorista).

Durante o teste-drive de 60 km no trânsito da cidade de São Paulo no modo Pure, o XC60 T8 R-Design percorreu quase todo o percurso sem gastar uma única gota de gasolina. Com o câmbio na posição B, a bateria foi recarregada o tempo todo. O uso do motor a combustão foi notado apenas na hora de entregar mais força durante uma subida bastante íngreme. Uma pena que não tivemos a oportunidade de acelerar o SUV em um local propício para verificar o desempenho dos mais de 400 cv de potência do conjunto híbrido.

No geral, o XC60 T8 R-Design é um carro agradável de guiar por conta do silêncio e ótimo nível de conforto e sofisticação a bordo, com direito a alavanca de câmbio feita de cristal Orrefors, sistema de entretenimento harman/kardon com tela tátil de 12,3 polegadas, ar-condicionado digital de duas zonas com saídas para os bancos traseiros e tampa do porta-malas com abertura e fechamento por gestos (basta passar o pé sob o para-choque traseiro).

Para honrar a tradição da marca em segurança, o SUV traz sete airbags, frenagem autônoma de emergência para evitar colisões e atropelamentos de pedestres e ciclistas em trânsito urbano, controles de estabilidade e tração, sensores de chuva e de ponto cego, alerta de permanência em faixa, faróis de LED direcionais com acendimento e ajuste do facho alto automáticos, visão noturna, alertas de colisão traseira e tráfego cruzado.

Há ainda o recurso que auxilia a evitar acidentes com veículos que se aproximem em sentido oposto, avisando o motorista distraído que invade a pista contrária, atuando na direção e conduzindo o veículo de volta à sua própria faixa de rodagem. O sistema é ativado a velocidades entre 60 km/h e 140 km/h.

Já o kit estético R-Design adiciona para-choques com desenho mais agressivo, rodas de 20 polegadas, aerofólio traseiro, bancos esportivos revestidos parcialmente de Alcantara (camurça sintética) e couro. As principais diferenças visuais em relação às outras versões são o emblema “T8” colado na traseira e a tampinha do plugue de recarga no para-lama dianteiro esquerdo. Um pacote que incrementa o visual com detalhes externos na cor cinza e ponteiras de escape quadruplas é oferecido como opcional por R$ 7.700 (foto acima). Há também cinco opções de rodas de liga leve por preços que variam de R$ 10.740 (19 polegadas) e R$ 13.720 (20 polegadas) a R$ 19.900 (22 polegadas).

A Volvo diz que cada recarga doméstica custa cerca de R$ 6, mas os proprietários do híbrido poderão utilizar gratuitamente os 120 pontos de abastecimento instalados pela marca no país. Até abril do ano que vem serão inauguradas mais 130 estações de recarga nos shoppings da rede Iguatemi e supermercados Pão de Açúcar. A marca oferece também a estação de recarga doméstica Wall box por R$ 6 mil.

Veja abaixo os preços da linha Volvo XC60:

XC60 Momentum T5 (gasolina 257 cv) – R$ 245.950
XC60 Inscription T5 (gasolina 257 cv) – R$ 269.950
XC60 Momentum D5 (diesel 238 cv) – R$ 275.950
XC60 Inscription D5 (diesel 238 cv) – R$ 289.950
XC60 R-Design T8 (híbrido 412 cv) – R$ 299.950

Teste-drive a convite da Volvo
Fotos: Divulgação

Ficha técnica
 
CarroceriaMonobloco em aço, cinco portas, cinco lugares
MotorDianteiro, transversal, turbocompressor, injeção direta de combustível, duplo comando variável de válvulas na admissão e escape, a gasolina
Número de cilindros4 em linha
Número de válvulas16
Taxa de compressão10,3:1
Cilindrada1.969 cm³
Potência 324 cv a 5.700 rpm
Torque40,7 kgfm entre 2.200 e 5.400 rpm
Motor elétrico (potência e torque)88 cv e 24,4 kgfm
Autonomia da bateria45 km
Tempo de recarga (16A/10A/6A)2,5/h/4h/7h
TransmissãoAutomática de oito marchas
TraçãoIntegral
DireçãoElétrica
Suspensão dianteiraIndependente, braços sobrepostos
Suspensão traseiraIndependente, multibraços
Freios dianteirosDiscos ventilados com ABS e EBD
Freios traseirosDiscos ventilados com ABS e EBD
Pneus e rodas255/45 R20, liga leve 20"
Altura1,65 m
Comprimento4,68 m
Largura1,90 m (sem espelhos)
Entre-eixos2,86 m
Vão livre do solo21,6 cm
Volume do porta-malas468 litros
Volume do tanque de combustível70 litros
Peso em ordem de marcha2.174 kg
Aceleração 0 a 100 km/h5,3 segundos
Velocidade máxima230 km/h