A Honda registrou no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) o sedã Crider, uma variante alongada do City desenvolvida para o mercado chinês. Para efeito de comparação, o modelo é 11 centímetros mais comprido que o Civic.

Mas é pouco provável que a Honda comercialize o Crider no Brasil. Apesar do registro, é comum as montadoras patentearem modelos importados no país para resguardar os direitos comerciais de componentes e tecnologias que podem ser utilizados em outros veículos por aqui no futuro.

Embora seja baseado em uma plataforma mais simples que a do Civic, o Crider chama a atenção pelas dimensões: 4,75 metros de comprimento, 1,80 m de largura e 2,73 m de distância entre-eixos. O Civic mede, respectivamente, 4,64 m, 1,80 m e 2,70 m.

Espaçoso, o Crider possui um apoio de braço retrátil no banco traseiro que cria um ambiente parecido com o dos sedãs de alto luxo de quatro lugares. Já o porta-malas acomoda 588 litros de bagagem contra os 525 litros do compartimento do Civic.

Com visual inspirado no Accord, o modelo conta com chamativas barras cromadas na grade dianteira e na tampa do porta-malas, interligando os faróis e as lanternas.

As versões mais caras podem ser equipadas com a câmera de monitoramento de ponto cego no espelho retrovisor do lado direito, painel com tela digital, teto solar elétrico e conjunto óptico de LED.

O Crider é vendido na China com o motor 1.0 turbo a gasolina de 125 cv de potência e 17,6 kgfm de torque, podendo ser combinado ao câmbio automático CVT do City. Na Índia, essa motorização foi substituída pela 1.8 aspirada de 122 cv e os mesmos 17,6 kgfm.

Imagens: INPI e Divulgação