Há apenas cinco meses, a Ford anunciou que abriria mão da sua linha “urbana” nos Estados Unidos. Até 2020, 90% dos produtos da marca serão picapes, SUVs e veículos comerciais. Até então, apenas Mustang e Focus Active sobreviveriam no mercado norte-americano.

No entanto, após as mudanças na política de impostos promovida pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a Ford mudou seus planos. Agora, a versão aventureira do Focus não será mais vendida naquele país por conta do aumento no imposto para produtos importados da China, onde o modelo será fabricado.

Segundo o site Autoblog, os próximos lançamentos da Ford serão as novas gerações da família de picapes F-Series, dos SUVs Escape e Explorer e do Mustang. A marca confirmou ainda a volta do utilitário esportivo Bronco e a comercialização da Ranger para aquele mercado.

Com isso, a oferta de alguns modelos será comprometida em outros países, como o Brasil, que deixará de receber o Fusion feito no México. A expectativa é que o sedã saia de linha em dois ou três anos.

O futuro do médio Focus também é incerto, uma vez que a quarta geração ainda não teve a produção confirmada na Argentina. Já a nova geração do Fiesta depende de uma solução de plataforma mais barata para não chegar por aqui muito cara. No caso do EcoSport, um produto importante para a Ford na América Latina, é possível que a marca desenvolva uma solução para reduzir os custos de produção ou escolha a configuração chinesa para replicar no Brasil.

Procurada, a Ford do Brasil informou que não comenta a respeito de futuras estratégias, mas que antes de qualquer decisão deve-se levar em conta as particularidades de cada mercado. Neste caso, faz mais sentido a marca manter o Focus Fastback e o Fiesta hatch em comercialização por aqui.

Fotos: Divulgação