BMW X2 mescla visual de SUV com pegada de hatch esportivo; veja os números do teste

O BMW X2 chegou ao Brasil em abril deste ano prometendo mexer com o segmento de SUVs/crossovers premium. Um dos destaques do novato da marca bávara é o seu visual diferentão, que mescla linhas de hatch com traços de utilitário esportivo. Aliás, até por isso é difícil enquadrá-lo em uma única categoria: SUV, SUV-cupê, hatch anabolizado ou perua altinha? A verdade é que essas nomenclaturas pouco importam.

O X2 foi desenvolvido justamente para ser um modelo de personalidade única, voltado para um público jovem que deseja algo menor que o X3 e menos sóbrio que o X1. O preço também é para poucos: R$ 246.950 na versão topo de linha sDrive 20i M Sport X, a testada pelo Carsale. Para efeito de comparação, a variante de entrada sDrive20i GP é oferecida por R$ 211.950.

Construído sobre a mesma base do modelos Série 1, Série 2 e Mini Cooper, o X2 mantém a distância  entre-eixos do X1 (2,67 metros), mas é menor em altura e possui bitola mais larga. Essa receita é complementada pela posição de dirigir 2 centímetros mais baixa que a do SUV.

O visual da parte dianteira do X2 exibe a tradicional grade com o duplo rim, mas possui um desenho inédito. O conjunto ótico é composto por luzes de LED, enquanto o para-choque da versão mais cara conta com desenho exclusivo como parte do pacote M Sport. A traseira curta contrasta com o capô longo. Um detalhe que vale a pena frisar é o saudosismo que se faz presente na coluna C, remetendo aos cupês mais clássicos da marca bávara.

O interior oferece bom espaço para quatro passageiros e ainda é possível colocar uma cadeira infantil na posição central do banco traseiro, fixada nos ganchos Isofix. Um adulto não ficaria confortável nessa região por conta do túnel central elevado, que limita o espaço para as pernas. O acabamento da cabine é primoroso, com destaque para uma faixa no centro do painel. O porta-malas, no entanto, está abaixo da média do segmento: 370 litros, perdendo para os bagageiros dos principais rivais (Volvo XC40 e Jaguar E-Pace).

Já a carroceria mais baixa e larga dá ao X2 uma vantagem na categoria em termos de dirigibilidade. O modelo segue a tradição da BMW, favorecendo quem realmente aprecia uma condução mais arrojada, uma vez que o condutor fica acomodado em uma posição esportiva, mais próxima do solo.

A dinâmica é reforçada pelo motor de quatro cilindros 2.0 turbo a gasolina, capaz de entregar 192 cv de potência e 28,6 kgfm de torque (90% disponíveis a 1.350 rpm). O propulsor é acoplado a um câmbio automatizado de dupla embreagem e sete marchas. Com esse conjunto, de acordo com os testes do Instituto Mauá de Tecnologia, os 1.535 kg do X2 saem da inércia para os 100 km/h em menos de 8 segundos. A velocidade máxima, segundo a BMW, é de 227 km/h. A diversão ficaria ainda mais completa se o modelo fosse equipado apenas com tração traseira, a exemplo dos tradicionais sedãs da marca.

Rodar em uma cidade com asfalto esburacado como São Paulo pode ser um desafio para o X2. O crossover possui um acerto de suspensão bem firme, parecido com o do Mini Cooper, por exemplo. Com isso, as valetas e buracos são sentidos pelos passageiros, o que depõe mais contra nosso asfalto do que contra o modelo. Mas o conforto a bordo é reforçado pelo excelente isolamento acústico. Os bancos seguram bem o motorista e passageiros em curvas e trechos irregulares, pois contam com ajustes elétricos, inclusive para as abas dos encostos dianteiros.

Em termos de equipamentos, o X2 sDrive M Sport tem quase tudo que se espera, teto solar panorâmico, faróis full-LED, lanternas em LED, head-up display, ar-condicionado digital de duas zonas, seis airbags, controles de tração e estabilidade. No entanto, o BMW peca por não oferecer nenhum sistema de auxilio ao motorista, nem mesmo alerta de ponto cego ou controle de cruzeiro adaptativo. Para os entusiastas é uma forma de a BMW reforçar que o X2 é um veículo feito para quem gosta de dirigir, mas para o consumidor em geral é difícil não olhar para o Volvo XC40, que na versão topo de linha custa o mesmo que o X2 intermediário e oferece pacote de direção semiautônomo.

Por falar em imperfeições, a central multimídia do X2 oferece conexão apenas para smartphones Apple, o que pode ser considerado um deslize na questão de conectividade, mesmo que conte com um chip dedicado de internet e consiga informações do tráfego em tempo real. A tela sensível ao toque também é um tanto quanto pequena: são 8,8 polegadas – embora um avanço perante os sistemas similares das rivais Audi e Mercedes-Benz. Para a BMW, as funções do Connected Drive suprem bem as de um smartphone.

Por fim, o BMW X2 é realmente um crossover (ou um SUV, como preferir) que dá prazer ao dirigir, sendo capaz até de tirar sorrisos do motorista durante uma tocada mais ousada. Mas ao olhar para o lado vemos que os rivais são maiores, tão ou mais espaçosos, mais tecnológicos e até mais potentes.

Teste Carsale-Mauá
 
Consumo cidade10,8 km/l
Consumo estrada15,9 km/l
0 a 60 km/h3,69 segundos
0 a 100 km/h7,64 segundos
0 a 120 km/h10,40 segundos
Retomada 40 a 100 km/h5,52 segundos
Retomada 80 a 120 km/h5,05 segundos
Aceleração em 400 metros15,57 segundos - 147,49 km/h
Aceleração em 1000 metros28,18 segundos - 188,92 km/h (g)
Frenagem 100 a 0 km/h49,2 metros

Ficha técnica
 
CarroceriaMonobloco em aço, cinco portas, cinco lugares
MotorDianteiro, transversal, turbo, injeção direta, duplo comando variável de válvulas na admissão e escape com comando por corrente no cabeçote, a gasolina
Número de cilindros4 em linha
Número de válvulas16 (quatro por cilindro)
Taxa de compressão11:1
Cilindrada1.998 cm³
Potência 192 cv a 5.000 rpm
Torque 28,5 kgfm a 1.350 rpm
TransmissãoAutomatizada de dupla embreagem e 7 marchas
TraçãoDianteira
DireçãoElétrica
Suspensão dianteiraIndependente McPherson com amortecedores pressurizados e molas helicoidais
Suspensão traseiraSuspensão tipo multibraço e traseira com barra estabilizadora, roda tipo independente e molas helicoidal.
Pneus e rodas 235/45 R19, liga leve 19"
Freios dianteirosDiscos ventilados
Freios traseirosDiscos ventilados
Volume do tanque de combustível 51 litros
Volume do porta-malas370 litros
Altura1,54 m
Comprimento4,36 m
Largura1,82 m
Entre-eixos 2,67 m
Peso em ordem de marcha1.535 kg
Vão livre do solo18,2 cm
Renan Rodrigues: Jornalista e palmeirense, Renan Rodrigues de Oliveira, em alusão ao colega de profissão Nelson, prefere usar o primeiro sobrenome. Versátil, Renan fotografa, filma, ilustra, edita vídeo e áudio e se arrisca nas redes sociais. Acompanha em cima os lançamentos do mundo automotivo, prefere os compactos com vocação esportiva, mas pilota até carrinho de mão, se necessário.