Uma semana após revelar o nome do seu primeiro SUV-cupê, a Renault apresentou o Arkana. Na verdade, segundo a marca, o veículo mostrado durante o Salão de Moscou, na Rússia, ainda é um conceito, que sofrerá algumas alterações visuais antes de ser produzido.

O primeiro mercado a receber o Arkana será o russo, mas o modelo já está certo para chegar ao Brasil, China e Coreia do Sul. O SUV deve estrear por aqui somente em 2020, depois dos lançamentos da picape média Alaskan, das reestilizações da dupla Sandero e Logan e da nova geração do Duster.

No conceito, o Arkana utiliza rodas de 19 polegadas e a nova identidade visual da Renault, com faróis full-LED que formam um C, semelhante ao Koleos, mas com algumas exclusividades. Na traseira, há um refletor vermelho interligando as lanternas através da tampa do porta-malas e um pequeno spoiler.

Apesar de ser considerado mais tecnológico e sofisticado, o Arkana utiliza uma versão aprimorada da plataforma de Duster e Captur por questões de custo. O posicionamento será acima da dupla, brigando diretamente com o Jeep Compass.

O Arkana será responsável por estrear o motor 1.3 turbo de três cilindros. O propulsor denominado TCe terá cabeçote de 12 válvulas e será oferecido com transmissões manual ou automática. A potência ficará na casa dos 170 cv.

O novo motor deverá substituir o veterano 2.0 16V aspirado, podendo equipar o Captur, a Duster Oroch e nova geração do Duster, que estreia no ano que vem. É possível que o propulsor também seja estendido ao Nissan Kicks.