O veterano Ford Escort completa 35 anos de lançamento no Brasil neste mês de julho. Ícone dos anos 1980, o Escort ainda é responsável por 393.487 registros no sistema do Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP). Deste total, 90 unidades possuem placa preta, item destinado a exemplares com, pelo menos, 30 anos e que estejam com boa parte das características originais de fabricação.

Confira abaixo a tabela das cidades com mais registros do Escort:

+ Escort XR3, o esportivo que foi sonho de consumo no Brasil

+ Versões modernas de Ford Escort e Volkswagen Santana vendem bem na China

A história do Escort 

O Escort chegou ao mercado brasileiro após fazer sucesso na Europa. A versão nacional mais em conta era a CHT E-Max 1.3, que custava Cr$ 4.019.324,00 (valores atualizados pelo IPC-Fipe correspondem atualmente a cerca de R$ 40 mil). A GL 1.6 era oferecida por Cr$ 5.122.052,00 (cerca de R$ 51 mil, pelo IPC-Fipe).

Em outubro de 1983, foi lançado o modelo XR3, mais sofisticado e esportivo. A versão tinha relógio digital de múltiplas funções, bloqueio elétrico das portas, vidros acionados por comando elétrico, retrovisores elétricos e teto solar, além de um motor com modificações para realçar a esportividade. O preço? Custava Cr$ 7.075.000,00 (aproximadamente R$ 58 mil).

Mas foi apenas em abril de 1985 que o XR3 passou a ostentar um detalhe que o tornou inesquecível para muitos: era o único veículo nacional a sair sem capota de fábrica. Custava bem mais que o XR3 normal: cerca de Cr$ 72.000.000,00 (R$ 114 mil, em valores corrigidos pelo IPC-Fipe). Depois de promover reestilizações do Escort na década de 1990, a Ford descontinuou o modelo em 2003.

Imagens: Divulgação