Apresentado ao público brasileiro no dia 19 de junho de 1973, o Ford Maverick entraria para a história como um dos modelos mais emblemáticos da indústria nacional. Desenvolvido nos Estados Unidos como uma opção mais barata ao Mustang, o Maverick chegava em três versões para preencher a lacuna entre o Corcel e o luxuoso Galaxie: Super, Super Luxo e a esportiva GT.

As configurações de entrada e intermediária eram inicialmente equipadas com um motor de seis cilindros em linha, posteriormente substituído por um quatro-cilindros. Já a desejada GT era movida pelo icônico 302 V8 de 199 cv de potência.

Apesar do apelo de esportividade, o Maverick saiu de linha em 1979 após 108 mil unidades produzidas em São Bernardo do Campo (SP). Concebido para atender a realidade norte-americana da época, o “Maveco” não resistiu à fama de beberrão agravada pela crise do petróleo do período.

Embora tenha sido descontinuado há quase 40 anos, o Maverick é bastante cobiçado por colecionadores e entusiastas de carros antigos. Modelo bem conservados e com alto grau de originalidade podem custar mais de R$ 100 mil, dependendo do estado de conservação.

Segundo o Departamento de Trânsito de São Paulo (Detran.SP), atualmente há 7.384 Mavericks registrados no estado, sendo 486 com a placa preta de veículos de coleção. A capital paulista lidera a lista de registros com 2.667 carros, seguida por Campinas (322), São Bernardo do Campo (157), Santo André (46) e Ribeirão Preto (140).

Fotos: Divulgação