Em tempos de crise de abastecimento de combustível, nada como andar pela cidade com um carro elétrico. Foi o que fizemos com o BMW i3, que tem autonomia para rodar até 160 quilômetros sem fazer ruídos ou emitir poluentes. Porém, o Carsale topou enfrentar um desafio: não utilizar o extensor de autonomia, que possibilita ampliar o alcance para até 300 quilômetros.

Vamos começar explicando como esse carro funciona. Primeiramente, é importante ressaltar que o BMW i3 é completamente elétrico, que pode ser recarregado na tomada. No entanto, para casos de emergência, é possível utilizar um extensor de autonomia que permite rodar até 150 quilômetros a mais. Para desfrutar dessa tecnologia é preciso abastecer com até 9 litros o tanque de gasolina do pequeno motor de 600 cc que funciona como gerador de energia extra para as baterias – lembrando que esse propulsor não movimenta o carro.

UMA OLHADA POR DENTRO DO i3

Construído com pensamento minimalista, o i3 utiliza vários materiais ecológicos em seu interior, além de priorizar o aspecto “clean”. Há poucos botões, uma central multimídia e um pequeno painel de instrumentos. A cabine comporta até quatro pessoas, mas com pouca praticidade, uma vez que as portas traseiras são menores e do tipo “suicida”, abrindo no sentido contrário ao das dianteiras e levando junto os cintos de segurança do motorista e passageiro.

Entre os itens de série, o BMW i3 conta com seis airbags, cintos de três pontos para todos os ocupantes, controles eletrônicos de tração e estabilidade, faróis e lanternas em LED, luz diurna em LED, ar-condicionado, direção elétrica, monitoramento de pressão dos pneus, rodas de liga leve de 19 polegadas, teto solar elétrico, vidros e retrovisores elétricos, sistema start-stop, sistema de som da marca Harman Kardon e assistente anti-colisão com ativação dos freios.

O QUE ELE É CAPAZ DE FAZER?

Com a carroceria feita de fibra de carbono, o elétrico da marca bávara pesa 1.315 kg. Seu sistema propulsor é composto por um conjunto de baterias (8 módulos e 96 células), capaz  de gerar 170 cv de potência e 25,5 kgfm de torque, entregues de maneira instantânea. Com isso, o i3 consegue acelerar até os 60 km/h em 4 segundos e atingir os 100 km/h em 7,8 segundos, de acordo com os testes do Instituto Mauá de Tecnologia. A velocidade máxima é de 150 km/h.

Um detalhe interessante é que não há marchas, apenas um seletor que faz o carro ir para frente ou para trás à moda dos consoles retrô de vídeo-game. Não dá para negar que o i3 é um carro capaz de fazer o motorista se divertir. As acelerações são vigorosas e o torque instantâneo faz toda a diferença. Mas logo lembramos que estamos a bordo de um carro elétrico e tiramos o pé do acelerador para economizar energia.

RODANDO UMA SEMANA EM SÃO PAULO SEM COMBUSTÍVEL

O i3 foi retirado pelo Carsale na sede da BMW, na zona sul da capital paulista. No mesmo instante em que entramos no carro, acionamos o modo EcoPro+, que limita a velocidade a 90 km/h e desliga o ar-condicionado para economizar a carga da bateria.

De lá, fomos até Taboão da Serra, na região metropolitana (quase 18 quilômetros de distância). Em seguida, o i3 pegou o caminho até o Jaguaré, zona oeste de São Paulo, adicionando mais 16 quilômetros ao trajeto. No primeiro dia, foram 34 quilômetros rodados, mas devido ao congestionamento, acabamos gastando um pouco mais da carga das baterias. Chegamos ao condomínio onde moro com 92 quilômetros de autonomia para rodar no modo puramente elétrico.

O prejuízo na autonomia só não foi maior por conta da tecnologia de regeneração de energia com o acionamento do freio ou alivio da pressão do acelerador. Assim, aproveitamos as ladeiras e diminuímos o prejuízo. Aliás, essa recuperação de eletricidade é mostrada por um gráfico na central multimídia, como uma espécie de econômetro, revelado quando a força aplicada está saindo das baterias para tracionar o carro e quando a força utilizada para frear é recuperada para as baterias, tornando as tentativas de recuperar energia um “game” viciante.

Já no condomínio, contamos com o apoio do síndico, que permitiu colocarmos o modelo na tomada da garagem por duas horas antes de sairmos novamente. Afinal, o BMW i3 pode ser recarregado em uma tomada convencional. Em tomadas de 110V, o modelo leva 16 horas para atingir uma carga completa, enquanto em instalações de 220V é possível fazer a recarga em 8 horas. Também é possível adquirir na BMW uma estação portátil chamada iWallbox para realizar a carga completa em 3 horas.

O sufoco maior aconteceu dias depois, quando tínhamos várias atividades para realizar e uma  autonomia de apenas 120 quilômetros. Acreditávamos que não conseguiríamos cumprir o desafio de não utilizar o extensor de autonomia. Mas para a nossa surpresa, mesmo após todos os compromissos, chegamos ao fim do dia com 10 quilômetros para rodar. Somente no fim de semana demos uma carga completa no i3.

Nos demais dias (ficamos uma semana com o modelo), as recargas foram de apenas uma ou duas horas, apenas para garantir a rodagem diária. Nas véspera da devolução não foi necessário recarregá-lo e ainda chegamos na sede da BMW com mais de 50 quilômetros de autonomia.

QUANTO CUSTA TER E CARREGAR UM CARRO ELÉTRICO?

O preço do BMW i3 é atualmente de R$ 160 mil em condições promocionais. Vale lembrar que o preço de tabela da versão atual, recém-reestilizada na Europa, chegou a R$ 236 mil. De qualquer forma, o i3 segue sendo um modelo para poucos e prova disso é que apenas 160 unidades foram vendidas no país.

No entanto, o grande trunfo do i3 está na conta para abastecimento. Se na hora de comprar, o alemão é ate cinco vezes mais caro que um modelo popular, na hora de rodar é muito mais econômico. Uma carga completa na bateria custa R$ 16,60, de acordo com a tabela de tarifas da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica).

O custo para percorrer 100 quilômetros é de R$ 7,92, enquanto um Fiat Argo 1.0, modelo mais econômico na cidade com gasolina, de acordo com o Ranking Carsale Mauá de 2017, precisa de 6,6 litros ou cerca de R$ 30 com o litro do combustível na casa dos R$ 5. Já para rodar os 300 quilômetros de autonomia máxima do i3, custa R$ 45 utilizando os 9 litros de combustível do extensor de autonomia, mais R$ 16,60 de eletricidade para completar a carga das baterias, totalizando R$ 61,60. Enquanto no Argo são necessários quase 20 litros, ou seja, R$ 100 considerando o preço acima.

Isso quer dizer que o BMW i3 faz em média 13 kw/h/100 km, o que segundo a norma EPA (Enviromental Protection Agency) que transforma kw/h em milhas por galão, equivale a 259,63 MPGe (Milhas do Galão Equivalente) ou incríveis 110 km/l.

Por fim, para quem tem uma rotina mais maleável, como é a de jornalistas automotivos, o uso do i3 ou outros veículos elétricos é bem plausível. O contra ponto é que mesmo em uma cidade do tamanho de São Paulo ainda é notória a falta de estrutura e postos de recarga para carros elétricos.

Teste Carsale-Mauá
 
0 a 60 km/h4 segundos
0 a 100 km/h7,86 segundos
0 a 120 km/h11,25 segundos
Retomada 40 a 100 km/h5,27 segundos
Retomada 80 a 120 km/h7,90 segundos
Aceleração em 400 metros16,05 segundos - 138,95 km/h
Aceleração em 1000 metros30,78 segundos - 148,07 km/h
Frenagem 100 a 0 km/h51,5 metros

Ficha técnica
 
CarroceriaEm fibra de carbono, cinco portas, quatro lugares
MotorTraseiro, transversal, elétrico
Potência 170 cv a 1 rpm
Torque25,5 kgfm a 1 rpm
TransmissãoAutomática
TraçãoTraseira
DireçãoElétrica
Suspensão dianteiraIndependente McPherson
Suspensão traseiraIndependente multibraço
Pneus e rodas 155/70 R19 na dianteira e 175/65 R19 na traseira, liga leve 19"
Freios dianteirosDiscos ventilados com ABS
Freios traseirosDiscos sólidos com ABS
Volume do tanque de combustível 9 litros
Volume do porta-malas260 litros
Altura1,57 m
Comprimento3,99 m
Largura1,77 m
Entre-eixos 2,57 m
Peso em ordem de marcha1.315 kg
Carga útil415 kg
Velocidade máxima150 km/h