Um dos SUVs da recém-anunciada ofensiva de novos produtos da Volkswagen, o Tharu teve imagens e dados técnicos revelados na China. Por aqui, o modelo será rebatizado de Tarek para competir com o Jeep Compass no segmento de SUVs médios, justificando a escolha da Volks em trazer do México apenas a variante alongada Allspace do Tiguan.

O Tarek será fabricado na Argentina para estrear em nosso mercado até 2020, posicionado entre o T-Cross (derivado do Polo que chega em 2019) e do já citado Tiguan Allspace. Também construído a partir da plataforma modular MQB, o Tarek mede 4,45 metros de comprimento, 1,84 m de largura, 1,63 m de altura e 2,69 m de distância entre-eixos. São medidas bem parecidas com as do Tiguan encurtado vendido no mercado europeu.

Na China, o Tarek/Tharu será oferecido com as motorizações a gasolina com turbo e injeção direta 1.2 TSI de 116 cv de potência e 1.4 TSI de 150 cv. Os dois propulsores são combinados ao câmbio automatizado DSG de dupla embreagem e sete marchas.

Aparentemente, o Tarek/Tharu será vendido no mercado chinês em três configurações de acabamento, sendo que a de entrada não possui acabamentos cromados e nem rack no teto. Já a topo de linha conta com rodas de 17 polegadas, sistema de som Beats e até teto solar panorâmico.

As versões equipadas com o motor 1.2 TSI terão suspensão traseira com eixo rígido, enquanto as 1.4 TSI serão construídas com um conjunto independente multilink – possivelmente para o uso do sistema de tração integral.

Para reduzir os custos de produção e ter preços mais competitivos, o modelo feito para o Mercosul deverá ser comercializado apenas com o motor 1.4 TSI (provavelmente convertido para o uso do etanol no Brasil) e transmissão automática Tiptronic de seis velocidades. O 1.6 MSI aspirado de 117 cv do Polo chegou a ser cogitado por alguns veículos da imprensa especializada para equipar a versão de entrada, mas é improvável que a Volkswagen utilize esse propulsor em um carro do porte do Tarek.

De qualquer forma, o Tarek deve pintar por aqui em até dois anos para inserir a Volkswagen em um segmento no qual ela ainda não atua. Se chegar com preços e pacotes de equipamentos competitivos (na faixa entre R$ 100 mil e R$ 130 mil), poderá ameaçar a liderança do Jeep Compass.

Fotos: Automotor.hu e Autohome.cn