Carros leiloados por mais de sete dígitos são raros. E o próximo a bater essa marca deverá ser uma Ferrari 250 GT Competizione Tour de France 1957. A expectativa é de que o raro exemplar seja arrematado por mais de US$ 10 milhões (cerca de R$ 35,4 milhões em uma conversão simples), daqui a duas semanas em um leilão em Mônaco.

Modelo que homenageia à antiga corrida Tour de France e que serviu de inspiração para a versão final da moderna F12, a Ferrari 250 TdF é equipada com um motor V12 de 3.0 litros de 261 cavalos de potência. Se para os padrões atuais esses números não impressionam, na década de 1950 a marca era impressionante. Para efeito de comparação, o Mercedes-Benz SL entregava “apenas” 214 cv.

A tradicional casa de leilões RM Sotheby’s estima que a 250 TdF poderá arrecadar de US$ 8,5 milhões a US$ 10,9 milhões (de R$ 30 milhões a R$ 38,5 milhões). Com base nessa projeção e, levando em consideração que uma Ferrari Battista Pininfaria 275 GTB Speciale foi arrematada em janeiro por US$ 8 milhões (R$ 28 milhões), a 250 TdF poderá se consagrar como o modelo mais caro de 2018. 

MAIS CARO DO MUNDO

Para quem se pergunta até onde pode ir o valor de um carro no leilão, a Ferrari 250 GTO 1962 tem a resposta. Arrematada por US$ 38,1 milhões (algo em torno de R$ 134,7 milhões considerando a cotação atual) em 2014, o exemplar ocupa o posto de carro mais caro já vendido em um leilão.

Imagens: Divulgação