O Grupo Volkswagen confirmou nesta quinta-feira (12) que Matthias Müller irá renunciar ao cargo de presidente-executivo e será substituído por Herbert Diess, atual presidente da marca Volkswagen. Atualmente, o grupo é composto por 12 marcas – Volkswagen, Audi, Skoda, Seat, Bentley, Bugatti, Lamborghini, Porsche, Ducati, Volkswagen Caminhões, MAN e Scania.

Herbert Diess, durante a apresentação do conceito I.D Buzz no Salão de Detroit,  em 2017

Herbert Diess, durante a apresentação do conceito I.D Buzz no Salão de Detroit, em 2017

Além de atuar como CEO, Diess também supervisionará diretamente a área de tecnologia da informação veicular, assim como o setor de desenvolvimento e pesquisa em grupo. Espera-se que o executivo seja responsável pelas novas diretrizes da VW sobre veículos autônomos e elétricos.

Herbert Diess (esq.) assume como presidente-executivo do Grupo VW no lugar de Matthias Müller

Müller ocupou o cargo máximo do Grupo VW por mais de dois anos, sendo o substituto de Martin Winterkorn, demitido dias após a fraude no software de emissões de poluição de 11 milhões de veículos a diesel ter sido revelada em setembro de 2015. O escândalo conhecido como dieselgate também impactou no Brasil, com o recall de 17 mil unidades da picape Amarok.

“Müller fez um excelente trabalho para o Grupo Volkswagen. Não só conduziu a Volkswagen com segurança durante aquele período, mas também juntamente com a sua equipe realinhou fundamentalmente a estratégia, iniciando uma mudança cultural que fez com que o grupo continuasse nos trilhos, mais robusto do que nunca”, destaca o comunicado divulgado pela fabricante.

Veja também: Justiça dos EUA condena ex-executivo da VW a sete anos de prisão

Imagens: Divulgação