Quatro meses depois do anúncio da compra de metade da operação da chinesa Chery no Brasil pelo Grupo CAOA por US$ 60 milhões, o primeiro produto da nova marca é lançado no país. O Tiggo 2 começa a ser vendido em abril nas versões Look (R$ 59.990) e ACT (R$ 66.490), ambas equipadas com motor 1.5 flex e câmbio manual de cinco marchas – a opção de transmissão automática de quatro velocidades chega ainda no primeiro semestre. O SUV compacto é o pontapé inicial do plano da CAOA Chery de conquistar 5% do mercado brasileiro até 2022, apostando em modelos produzidos em Jacareí (SP) e Anápolis (GO).

Fabricado em Jacareí, o Tiggo 2 compartilha a plataforma e o conjunto mecânico com o compacto Celer. No entanto, componentes da direção hidráulica, suspensão, eletrônica e base do motor foram retrabalhados. O motor 1.5 16V flex ganhou comando de válvulas variável na admissão para favorecer o consumo de combustível.

O crossover de 1.240 quilos mede 4,20 metros de comprimento, 1,76 m de largura, 1,57 m de altura e 2,55 m de distância entre-eixos. Apesar do porte de hatch aventureiro, o Tiggo 2 acomoda 420 litros de bagagem no porta-malas. Por conta dos bons ângulos de entrada (23,9 graus) e saída (31,6 graus) e da distância livre do solo de 18,6 centímetros, o modelo é classificado como SUV, segundo o Inmetro.

O Tiggo 2 é equipado de série com ar-condicionado, vidros e travas elétricos nas quatro portas, airbags frontais, freios a disco nas quatro rodas com ABS, sensor de estacionamento traseiro, luz diurna de LED, Isofix para ancoragem de cadeirinhas infantis, sensor de pressão dos pneus, cintos de três pontos e encosto de cabeça para todos os ocupantes, bancos com revestimento sintético, luz de neblina traseira, volante com regulagem de altura, computador de bordo, rádio com entrada USB e rodas de liga leve de 16 polegadas.

A versão ACT adiciona volante revestido de couro com comandos do som e do piloto automático, controles de estabilidade e tração, assistente de partida em rampa, ar-condicionado automático, teto solar elétrico, central multimídia com tela de 8”, compatibilidade com os sistemas Android Auto e Apple CarPlay e rodas de 16” com acabamento polido. O único opcional é o teto pintado de preto (R$ 1.500).

Em nosso rápido contato com o Tiggo 2 (apenas 20 km em rodovias), foi possível notar uma evolução em qualidade se comparado com os irmãos QQ e Celer. A cabine é predominada por plástico rígido, mas não verificamos peças com rebarbas ou mal encaixadas. O acabamento chega a ser melhor que o de alguns concorrentes (como o Renault Stepway, por exemplo).

A posição de dirigir mais altinha deve agradar quem procura um carro com essa característica. A regulagem de altura do banco do motorista tem boa amplitude e os ajustes da coluna de direção e do cinto de segurança facilitam na hora de se acomodar. No banco traseiro, o espaço é bom para dois adultos, porém, não é muito maior do que em um hatch compacto.

Em movimento, o Tiggo 2 mostra boa disposição nas saídas, mas o motor 1.5 16V de 110/115 cv de potência e 13,8/14,9 kgfm de torque (gasolina/etanol) deve força no uso rodoviário. Fazer ultrapassagens ou retomar velocidade exige constantes mudanças de marchas do bom câmbio, de engates leves e precisos. Com o carro rodando a 120 km/h, o motor gira a 3.500 rpm e o excesso de ruído que invade a cabine chega a incomodar depois de algum tempo. Mas vale citar que o isolamento acústico é eficiente na hora de filtrar o barulho do vento e do rolamento dos pneus.

Nesse primeiro contato, o Tiggo 2 passou a impressão de ser um carro de vocação mais urbana, pois o seu desempenho a baixas velocidades é satisfatório e as suspensões têm acerto voltado para o conforto, apesar de firmes para compensar a maior altura em relação ao solo. Mas essas características não desabonam o SUV, uma vez que a estratégia da CAOA Chery é atrair consumidores de hatches que ainda não têm condição financeira para comprar um utilitário esportivo. E o Tiggo 2 entra justamente nesse “espaço” em termos de preço, equipamentos e status.

Segundo a CAOA Chery, a marca terá 30 concessionárias no Brasil até o final do ano (atualmente são 21 lojas). O Tiggo 2 tem plano de revisões programadas até os 60 mil quilômetros, com preço total de R$ 2.759.

A empresa confirmou que pretende lançar mais três modelos em 2018. Os mais cotados são os SUVs Tiggo 5 e Tiggo 7 e o sedã Arrizo 5, que já estavam nos planos da Chery antes da compra de parte da operação nacional pela CAOA.

Ficha técnica
 
CarroceriaMonobloco em aço, cinco portas, cinco lugares
MotorDianteiro, transversal, injeção multiponto, duplo comando de válvulas variável na admissão, a gasolina e/ou etanol
Número de cilindros4 em linha
Número de válvulas16
Taxa de compressão10,5:1
Cilindrada1.496 cm³
Potência 110/115 cv a 6.000 rpm (gasolina/etanol)
Torque13,8/14,9 kgfm a 2.700 rpm (gasolina/etanol)
TransmissãoManual de cinco marchas
TraçãoDianteira
DireçãoHidráulica
Suspensão dianteiraIndependente McPherson
Suspensão traseiraEixo de torção
Pneus e rodas205/55 R16, liga leve 16"
Freios dianteirosDiscos ventilados com ABS e EBD
Freios traseirosDiscos sólidos com ABS e EBD
Tanque de combustível 50 litros
Volume do porta-malas 420 litros
Altura1,76 m
Comprimento4,20 m
Largura1,76 m
Entre-eixos 2,55 m
Peso em ordem de marcha1.240 kg

Teste-drive a convite da CAOA Chery
Fotos: Divulgação